Artigos do Portal:
#Artigo da Semana#Divindades Femininas na América do Sul#Deusas Maias#Chá para o Parto – Chá Mexicano#Domesticidade e Feminilidade#A Deusa Inuit Sedna#Changelings – Lendas das crianças trocadas#Gaulesas e Gauleses e as Divindades Celtas#Origem da Festa Junina#Festival Folclórico de Parintins#História e Origem das Festas Juninas na América#Anat, Deusa antiga Cananita#Óleo de Abramelin#Deusas Celtas#Mitos e Lendas Eslavas#Cartimandua e Boudica (Boadiceia)#Zorya, Deusa Eslava da Luz#Reavivando o Divino Feminino por meio de histórias e tradições celtas#Reino de Hel: A Deusa Nordica do Submundo – Indo e voltando para o inferno#Fiar e tecer, as artes mágicas femininas e maravilhosas associações#História Celta relacionada ao Mito do Rei Arthur#Cailleach: Mito Irlandês, Lenda e o Feminino Divino#Mitos e Estações no céu Tupi-Guarani#Deusas da Natureza#Druidas femininas, as sacerdotisas esquecidas dos celtas#Deusa Nemetona#A luta de Elizabeth Packard contra a tirania legal dos maridos#Baalbek – Templos de mais de 5000 anos – Deusas Venus / Atargatis#Al-Lāt, Allat, Allatu ou Alilat , a deusa árabe pré-islâmica#Tir na nOg e Tuatha De Danann#Oráculos no Druidismo / Oráculos Druidas#Um Ogham para os Montes Apalaches#Awen, a inspiração divina: princípio central na tradição druida#Atlantida, a civilização anterior a atual#Mulheres na sociedade Maia#O princípio feminino: uma ideia em evolução#Yoni e ‘Sheela Na Gig’#Deusas Nativas do Brasil e os mitos de mitos#Os Nativos do Novo Mexico (Norte America) Zuni e Puebloans Ancestrais#Maria Madalena / Maria Magdalena#Mehrgarh – sitio arqueológico neolítico (datado de 7000 aC a 2500/2000 aC – Paquistão)#A PODEROSA ORAÇÃO AO PLANETA DE MAIS DE 500 MULHERES NO VALE SAGRADO DO PERU#Monte Ararat#Alfabeto siríaco#Monte Nemrut / Nemrud#Maitreya (as três mães) se encarna#Compreendendo a filosofia de Shiva-Shakti através de ‘Ardhanarishvara’#Shakti e Kali#Sobre Magia#As Eras Glaciais – A História da Ciência sobre o tempo antes do auge da Civilização Ariana#Sonhos lúcidos podem nos aproximar de experimentar a “realidade” não dualista do que acordar a meditação#Honrando nosso sagrado ciclo feminino ‘tempo da lua’#Atlantida e os deuses antigos#Artemis#Doze mulheres famosas da idade média#Jezabel: princesa de Sidom, rainha de Israel#Hormônios e seu ambiente – Quando se trata de hormônios, há mais de um “normal”#Os ciclos femininos, ciclos de fertilidade e menstruação nas Culturas Nativas#Ereshkigal – Deusa Crone, Deusa do Submundo e da Morte#Deusas Crone – As Mães das Sombras, da Morte#Deusas Incas#Deusas da Água – Deusas do mar, dos rios e lagos#Deusas do Fogo#Recomendações da medicina tradicional chinesa para ajudar a aliviar as dores do período menstrual#Maré – a força do Sol, da Lua e outros astros sobre a Terra#Mais artigos para ginecologia natural: plantas, ervas#A civilização mais antiga do mundo é ainda mais antiga do que se pensava#Antropologia Feminista#Abraçando o feminino divino, a escuridão, a sombra e tudo#Deusas nativas americanas#Coatlicue, deusa mãe asteca#Ginocentrismo e Androcentrismo#O Feminino nas religiões#Amphitrite / Salacia: A Deusa contraparte de Netuno / Poseidon#CORRESPONDÊNCIA ENTRE PLANTAS E PLANETAS: UM GUIA DE ASTROBOTÂNICA PARA PREPARAR REMÉDIOS MÁGICOS#CORRESPONDÊNCIA ENTRE PLANTAS E PLANETAS: UM GUIA DE ASTROBOTÂNICA PARA PREPARAR REMÉDIOS MÁGICOS#O Sagrado Feminino pelo Budismo Vajrayana#Volvas – Mulheres ‘xamas’: as temidas e respeitadas Profetisas, Sábias, Sacerdotisas, Videntes nórdicas#A Adoração de Deus na forma feminina#Atma Shakti pela abordagem do Yoga#As Bruxas do Brasil Colônia#Os Planetas/ Astros na astrologia#Atargatis: uma deusa síria adorada nos primeiros séculos dC.#Ecofeminismo(s): Por Que Mulheres, Animais e Natureza Sob o Mesmo Olhar?#Disfunção Sexual Feminina#Anatomia Genital Feminina#Ginecologia natural: o poder das ervas a serviço da saúde da mulher#Ginecologia natural: um caminho para a humanização do cuidado#MENSTRUAÇÃO, CORPOS FÍSICO & SUTIL, GINECOLOGIA NATURAL & HOLÍSTICA#Diu de Cobre – Métodos contraceptivos não hormonais#O que você deve saber sobre os octagramas – estrelas de oito pontas#Sete raios#Empatia nos cuidados de saúde da mulher#Ginecologia Ayurveda#Passos positivos para se estabelecer para a gravidez pela Ginecologia Tradicional Chinesa#Ginecologia na Medicina Chinesa – Ginecologia Tradicional Chinesa – Oriental#Astrologia egípcia e signos do zodíaco egípcio#O Feminino Divino nos Contos de Fadas#Sirius – Estrela Nobre e Divina#Quiromancia#Shamans Göbekli Tepe e seus símbolos cósmicos e Shahmaran#Mulheres antigas xamãs da Irlanda: curandeiros, sacerdotisas e adivinhos#Shakti – seus significados#Imagens do Feminino Ancestral: Reconhecimento de Padrões, Através do Espaço e do Tempo#O keebèt e a cerimônia feminina no Chaco#Notre Dame de la Vie: Nossa Senhora da Vida#Templos da Deusa na Ásia Ocidental#Atete, Deusa do Povo Oromo no sul da Etiópia#Rainha de Saba / Sabah / Shaba – Makeda, Bilqis#Matriarcado, Matrilinearidade,#Mãe Menininha do Gantois#A rabina Léah Novick#A natureza divina das mulheres naturalmente – um desafio do século XXI#Citações do Feminino Divino#O poder da Irmandade / Fraternidade Feminina ou Sororidade#Influencias da Lua, dos planetas e outros astros sobre a terra#Sobre a Vagina, a Vulva e soluções naturais para alguns problemas#Runas – História, Mitos e Significados dos Símbolos#Madeiras para fazer varinhas mágicas#Dualidade Mútua: Yin Yang / Shiva Shakti#Plantas para reconexão feminina#O Feminino Divino está em Ascensão#Pindorama – O Brasil Nativo, O Brasil Ancestral – e Abya Yala#Astros de tônicas femininas para encontrá-los e entender o feminino no seu mapa astrológico#Florais para as mulheres#Ervas e plantas para a cura dos disturbios femininos – ervas e plantas para mulheres – Ginecologia Natural#Vênus e as Plêiades!#Código e Contemplação da ética das Sacerdotisas#Purificação, Consagração e Carregamento de objetos#Plantando um jardim mágico – Plantas Mágicas#Jóias egípcias antigas arrancadas do monte funerário da “princesa virgem” na Siberia, montanhas de Altai#Ervas, plantas e magia#Tuatha De Danann#Os Duidas#Moura Encantada#Poder dos Metais – Propriedades Magicas dos Metais#De Tonantzin Coatlicue à Virgem de Guadalupe: o que Elas têm em comum#Magia dos tecidos: A Cosmovisão Andina Através da Tecelagem#Deusas da Cura#As Hostes Angelicas – de Geoffrey Hodson#Os Anjos#Astrologia do Centro Galáctico – o centro galáctico no mapa astrológico#Tonalidade cósmica – o significado sagrado da tartaruga#Deusas hindus. Lakshmi, Sarasvati e Parvati (Sati, Durga e Kali)#A lenda hindu do dilúvio de Manu e o relato bíblico de Noé#A Deusa Ganga e O Ganges: o rio sagrado do hinduísmo#Qhaqoy – técnica massagem andian#simbolos para os principios#Ativando a Prosperidade#Sobre o que é Sombra#A Menstruação é realmente ‘normal’ ou ‘natural’? (do ponto de vista muito ancestral)#Ogham / Ogam – Alfabeto Celta – Druida#A Jornada de Inanna: A descida de Inanna ao submundo: uma obra-prima literária de 5.500 anos#Shakti – Invocando sua energia feminina#Deusa Mãe (Ninmah, Nintud / r, Belet-ili e Nin e Ninhursag)#Principais desastres ambientais no Brasil e no mundo#Salto de Sete Quedas – SALTOS DEL GUAIRÁ – O fim das maiores cachoeiras do mundo#Meses da árvore celta – 13/treze divisões lunares#Plantas harmonização hormonal#Magia, Magia Cerimonial e Teurgia#A Mãe Divina#Shakti – Na astrologia oriental e numerologia#Planetários e quadrados mágicos –#Artes divinatórias e práticas mânticas#Tarot: A Rota ou Roda das Experiências das civilizações antigas#Deusa Asherah – Representação Feminina do Sagrado, a Deusa de Israel#A Grande Deusa – Histórico#A Mais Antiga Oração Dirigida à Maria Datada Do Ano 250 d.C#Áreas reflexas femininas do corpo físico-etérico#Lilith#A Humanização do Parto e do Nascimento#Nomes Xamãs#Animais com fêmeas dominantes#Uma não definição de “xamã”#Enheduanna – A poeta e Alta Sacerdotisa acadiana#O Panteão da Mesopotâmia – Mitologia Mesopotâmia#Tiamat#Lista de ocultistas e escritores ocultistas#Plantas e seus benefícios#Reflexões de uma antropóloga e mãe: ‘O que aprendi com índios sobre educação infantil’#As “Montanhas Sagradas”, o Centro das Montanhas Mágicas da Mantiqueira – Aiuruoca#Serra do Roncador#Instrumentos Musicais Indígenas#O poder das raízes: As plantas falam umas com as outras pelas suas raízes#As mulheres e produção de óvulos: mulheres nascem com óvulos em seus ovários#Escritos e Evangelhos Apócrifos#Astarte, Astoreth, Ashtarot, a verdadeira origem de Venus e Afrodite#Deusas em Transformação:#Exercícios Kegel: Exercícios Musculares Pélvicos#Alquimia Feminina: Cultivo Feminino#Hypatia de Alexandria#Sírius, a estrela da realeza#Quem é Baphomet?#Maquiagem com produtos naturais (maquiagens veganas, naturais e caseiras)#Ēostre – A Deusa da Origem da Páscoa#Arqueólogos encontram vestígios de civilização desconhecida na Amazônia#Inanna – Ishtar – Astart (Ashtoreth)#Apsaras#Sobre a Frequência 432 e afins#A Era de Aquário#Evangelho de Maria#Quando Deus era mulher: A civilização das deusas gordas#Aradia#Porque precisamos de energia feminina no mundo#Mudanças no campo magnético da Terra#Associações de apoio às mulheres pelo mundo#Como a sabedoria das mulheres estava perdida#Ondas Cerebrais e Meditação#O Movimento do Sagrado Feminino ou Divino Feminino#A lenda de Mulan: a jornada da mulher e do feminino#Jornada de Cura – integrado as jornadas dos heróis e heroínas#Marija Gimbutas e a Deusa#Jornada da heroína: a narrativa mítica da mulher#Diferenças entre Signos e Constelações#Centro Galáctico#108 Siddhas Femininas, Dakinis, Yoginis e tântricas#Mulheres nas religiões#Casa da Virgem Maria na Turquia#As Mulheres na Cultura Védica#A Jornada da heroína e os ciclos de morte e vida#Elementos da meditação ativa:#Shakti Sadhana – Disciplina espiritual hindu (combinação de prática védica e tântrica)#Fases da Lua de 1900 a 2060#Informações básicas e interessantes da Astronomia#Locais importantes relacionados ao Caminho Evolutivo da civilização Ária#Samhain#Deusas da Mitologia no Brasil#A Centralidade da Feminina Divina – Shakti – no Sufismo#LILITH, O grande misterio do feminino selvagem#O que é Ginecosofia / Ginecosophia – Ginesofia / Ginesophia#Pleiades – pela Teosofia#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (ciganas)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (indianas)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (orientais, árabes)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (flamenco e salsa)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (brasileiras)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (hawaianas, polinesia, tailandesas, chinesas outras)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (árabes – dança do vente, orientais tribais, indianas fusion e afins)#Mandala#Grupo Mawaka#Outras Músicas#Sarasvati, Lakshmi, Parvati – As Três deusas, Shaktis supremas do induísmo#Yasodhara#Yasodhara#Céu Real – Céu Astronômico do momento (Efemérides Astronômicas)#Beltane#Mulher Shaman / Mulheres Xamãs#Maha Devi – Lalitha Sahasranamam – Os 1000 nomes de Lalitha / Lalita#Dança Duende – Danza Duende e ‘El Duende’#Mulheres Heroínas Indígenas#Apu (divindade) – Os Espíritos da Montanha do Peru#Mitos e lendas: Paititi, uma importante cidade perdida dos Incas#Caminho do Peabiru – Caminho utilizado pelos nativos ancestrais sul-americanos, ligando o litoral ao interior#SHAKTI-SHIVA e a Cosmogênese – Os mistérios da origem do humano e do universo#Qoya – A Rainha-Sacerdotisa Inca#Ginecologia Natural – Naturologia Feminina: Saúde da Mulher#NEFERTITI, a Bela e Poderosa Rainha do Egito – A Grande Rainha do Nilo#Recebemos as mitocôndrias de nossas mães: maioria dos seus genes são oriundos de sua mãe.#Mulheres Incas#Hello world!#Deusas indianas e o significado de suas imagens#História das mulheres#Musicas Danças#RECONEXÃO Caminho Sagrado Feminino: Práticas Essenciais#O que é o Feminicídio ou femicídio#Gênero Feminino#Políticas públicas de combate à violência contra a mulher#Movimentos pelos Direitos da Mulher#Atos Internacionais – convenções que se referem às mulheres (Diretos da Mulher 2)#Direitos da Mulher#Helena Blavatsky#Mulheres em luta: Mulheres revolucionárias#Sobre o Útero – O Cálice Sagrado (pela abordagem do xamanismo tolteca contemporaneo)#Sobre Alquimia Interior – Alquimia Feminina – Respiração Ovariana – (pela abordagem do Tao Universal)#Tambores Xamânicos Sagrados#Xamanismo Huna (Hawai) e o Ho'oponopono#Atlantida, uma civilização matriarcal esquecida#Elementais da Natureza#Pedras de Poder#Os cristais e o ventre#Equilíbrio hormonal da mulher 2 – A importância da Progesterona#Equilíbrio Hormonal da Mulher#Por que nem todas as fêmeas menstruam? ….#Shakti#O Sagrado Feminino e a Deusa Gaia Manifestada#Os Mistérios de Vila Velha (Ponta Grossa – PR – Brasil)#Mistérios Brasileiros Famosos#As Deusas Védicas#O Poder das Plantas#Pesquisa revela o poder das mulheres Incas#Profecias dos Incas Q’ero#Mulheres da Floresta#ZENEIDA, A PAJÉ DO MARAJÓ#Mulheres Pajes – As xamas nativas brasileiras#A Sabedoria dos Incas e Andina e os resquícios de uma sabedoria sagrada feminina#A CHAKANA – A Cruz Andina ou Cruz Quadrada – a ponte entre os mundos#Acllas, as Sacerdotisas do Sol – Mulheres Sagradas dos Andes (sacerdotisas incas)#Princípios dos Povos Andinos#Pachamama#Herbologia mística – o poder das ervas e plantas#O Poder dos Cristais#O Poder das Flores – O Povo Flor#A Lenda das 13 Matriarcas#O Poder das Árvores: O Povo em Pé#Purificação com ervas – por método xamânico#Plantas de Poder#Catal Hoyuk – Anatólia (atual Turquia) e a arte da deusa e do feminino#Símbolos minóicos do culto a Deusa#Animais de poder – As ‘Criaturas’ ou ‘Criaturas Animais’ – Totens (Xamanismo)#Animais de poder – As 'Criaturas' ou 'Criaturas Animais' – Totens (Xamanismo)#Mix de ervas emagrecedoras – também diminui a barriga (perde gordura abdominal)#Shakti Mantras: os mantras de poder e graça potencializando outros mantras#Oração (ou contemplações) às Marias Navegantes – das Sacerdotisas de Maria#Theotokos – Maria como a 'Mãe de Deus'#Theotokos – Maria como a ‘Mãe de Deus’#Coliridianismo#A TERRA OCA – Mistérios milenares da Terra#Sara La Kali ou Santa Sara Kali – O Sagrado Feminino e o Sincretismo religioso#Segredos do Sagrado Feminino Cristão – As Marias do Mar#O que é ser uma sacerdotisa – A Sacerdotisa e o Sagrado Feminino#Sagrado Feminino: Brasil, ÍSIS, N.Srª Aparecida, o poder da Deusa#Sobre o Sagrado Feminino, as Abelhas e o mel, A Deusa Abelha#Shaktis – As mulheres Yoginis, Dakinis e Sacerdotisas#Shakti – A importância de seu reconhecimento pela mulher#Shaktis dos Nakshatras#Shakti – Poder Cósmico e Universal#Shakti : A Mãe do Mundo 1#Shakti: O Despertar da Deusa Adormecida na Matéria#Shakti: O Poder, a Força Divina Cósmica, Planetária e Pessoal#Shakti, kundalini e Tantra#Cariatides – Sacerdotisas de Artemis#Piramides na Bosnia e China#A história das coisas, pelas pessoas e pela Terra#Os Mistérios da Serra do Roncador#Avatara ou Avatar e o Kalki Avatar ou Maitreya#Links Astrologia Sideral e Astrologia Védica#O que são formas pensamento, egregoras e tulpa?#Estátua de Maitreya: uma imagem que a mente pode fazer dela uma ponte!#Allamirah – Uma Encarnação da Divina Mãe, do Feminino Sagrado#Oricalco: o metal desaparecido usado na Atlântida#Especiarias#Sacerdotisas Sumérias#Ervas Medicinais, Especiarias e Temperos#Shakti#Srichakra – representação de Shiva-Shakti no macrocósmico e microcósmicos#Dharma e Sanatana Dharma – As Leis Universais e o Sistema de Sabedoria da Índia para estar em sintonia com essas leis#A Filosofia Yoga Shakti – por Sri Swami Sivananda#Samantabhadri, Prajnaparamita, Vajravarahi e Arya Tara (As Grandes Shaktis do dharmakaya, sambhogakaya e Nirmanakaya)#Kurukulla: Lalitavajra ou Vajratara (ou Tara Vermelha)#Vajravahari e Vajrayogini#As ‘Deidades’ do Bardo (estágio intermediário)#Aditi – Devamatri, expansão cósmica, espaço; mãe de todas as coisas#Adi Parashakti (Adi Shakti) – Param Prakriti, o Poder do Para Brahman#Lokapalas ou Maharajas#Shri Yantra – Um dos mais conhecidos e poderosos Yantras#Lalita Tripurasundari – A origem dos 3 mundos#Filmes Indicados#Bibliografia: Livros – Indicação para o estudo da Espiritualidade e Sabedoria Feminina#Glossário de Deusas#Glossário Indígena e Xamânico#Músicas de Marcus Viana e Sagrado Coração#Links para as constelações e estrelas fixas: Pleiades, Orion/Tres Marias, Sirius, Algol, Cruzeiro do Sul, Pleiades do Sul, Cão e Ursa Maior, Coroa Austral e Boreal, Spica, Sadalmelik#Conjunções de Vênus (de 1900 a 2050) – Trânsitos e Ciclos de Venus (1032 a 2255)#Estações do Ano de 1900 a 2099#O Céu do Momento#Leis Herméticas – Leis ou Princípios Existenciais ou Leis que regem o Universo#As linguas originais sagradas: Sensar e Vatan – e os mistérios que elas guardam#Matrikas (Mães Protetoras e Purificadoras) e as 64 Dakinis#As Cinco Mães, Irmãs ou Consortes de Sabedoria (Prajnas) – Mães e Consortes dos Dhyanis Budhas#Pleroma – A Plenitude#Aeon – Emanações Supremas do Pleroma#Os conceitos de Self, Individuação e Iluminação#Os estágios-níveis de desenvolvimento humano e os domínios transpessoais#Meditação e o despertar do Poder e da Sabedoria Interior#Qual a diferença, entre os gêneros, que interferem nos métodos de despertar? (resumo síntese)#Como se dá a exploração energética direta da mulher? (resumo síntese)#O que é o ‘processo evolucional’ ou despertar da consciência? (resumo síntese)#Porque esta urgência de despertar? (resumo síntese)#Protegido: Sonhos lúcidos – teoria e prática#O que são Elementos Vibracionais?#Porque um sistema iniciático (de despertar) específico para as mulheres? (resumo síntese)#Crianças / Humanos Índigo e Cristais#Anjos e Devas#Porque muitas mulheres se sentem insatisfeitas nos seus relacionamentos? (Parte 1)#Dualismo e não dualismo#O que é Magia, Teurgia e Teurgia Natural?#Sobre as mulheres – pensamentos e frases#Hildegard de Bingen#O que significa Shekinah (Shekhinah ou Shechiná)#Shakti – O poder interior humano, planetário e cósmico: O Grande Feminino#Fenícios no Brasil muito antes dos portugueses#Ilha Brasil – Hy Brazil a ilha mítica, a ilha afortunada#Roda do Ano – Os 8 Festivais Celtas – As 8 fases da Deusa#Sobre o feminino, o masculino e o sexo – Dion Fortune#Sobre o significados de Sacerdotisa#Mata Amritanandamayi Devi, Ammachi ou Amma – A Shakti Mãe que distribui o Poder do Amor pelo abraço#Ma Yoga Shakti – A Shakti com realizações materiais e espirituais para o bem comum#Anandi Ma: uma Shakti oferecendo Shaktipat no ocidente#Transformando a energia em Shakti – referente aos ensinamentos de Shree Maa#Shee Maa – Uma deusa mãe da Índia para o ocidente#Planetas e Arcanos – para refletir os aspectos arquetípicos#Yeshe Tsogyal: uma Dakini iluminada#Therese Neumann – uma santa cristã#Sri Ma Anandamayi – Uma grande Shakti manifestada na índia#Mahavidya – As dez grandes Shaktis associadas aos grandes poderes cósmicos para os tântricos#Sri Sarada Devi – A Santa Mãe, uma Shakti encarnada#Alguns mestres orientais e suas Dakinis ou Shaktis – Padmasambhava, Ramamkrishna, Aurobindo#o que significam: Libertação, Iluminação, Auto Realização, Arhat, Nirvana#Nangsa Obum – uma mulher tibetana considerada emanação de Tara#Vajrayogini – A Shakti orientadora e inspiradora no caminho de iluminação#Tara – uma manifestação do aspecto feminino iluminado#As 64 Dakinis ou Yoginis#o que significa Prakrit, Mahaprakrit e Purusha#O que significa Kundalini, Fohat e Prana#O que significa Sophia (Sofia)#o que significam Deusas Mães ou Grandes Deusas#O que significa Devi#O que significa Dakini#O que significa Yogini#O que significa diksha, deeksha ou deeksa – ou iniciação espiritual#O que siginifica Shaktismo#O que significa Shaktipat#o que significa SHAKTI#Shakti#As Sacerdotisas da história desta civilização: Pitonisas, Vestais, de Ísis, de Inana, Sibilas#o que é THEASOPHIA (Theasofia, Teasofia) e THEALOGIA (Tealogia)#Gurumayi Chidvilasananda – uma bela e bem aventurada Shakti transmitindo Shaktipat ao ocidente#o que é TEURGIA e TAUMATURGIA#Mirra Alfassa – Shakti ou Companheira espiritual de Sri Arobindo#Ayu Khadro – Uma Grande Dakini manifestada
Uncategorized

Sonhos lúcidos podem nos aproximar de experimentar a “realidade” não dualista do que acordar a meditação

Sonhos lúcidos podem nos aproximar de experimentar a “realidade” não dualista do que acordar a meditação“
Você deve saber que todos os fenômenos são como sonhos.” – Shakyamuni Buddha.
A menos que sejamos Yogis ou Yoginis, o mais próximo de uma apreciação incitante do Vazio e a verdadeira natureza do fenômeno podem ser nossos sonhos. O primeiro Karmapa alcançou a Iluminação com o Dream Yoga.
A mente conflituosa da “diurna” – tão envolvida em nossas preocupações, tensões e medos – é tão difícil de domesticar quanto um cavalo selvagem que vive há anos nas montanhas. A mente noturna, por outro lado, profundamente extasiada no estado de Theta (REM), pode ser quase tão flexível e livre quanto a mente de um iogue.“É mais fácil desenvolver suas práticas em um sonho do que durante o dia. Durante o dia, estamos limitados ao nosso corpo material, mas em um sonho nossa função da mente e nossa consciência dos sentidos são desimpedidas. Podemos ter mais clareza … Se uma pessoa aplica uma prática dentro de um sonho, é nove vezes mais eficaz do que quando aplicada na vida de vigília. ”- Namkai Norbu Rinpoche
Durante a atividade cerebral REM aumentaDurante o sono REM, nos eletroencefalogramas (EEGs) da atividade cerebral, o cérebro é realmente substancialmente mais ativo do que durante o período de vigília durante o dia. Em parte, isso ocorre porque a mente está literalmente livre de atividades habituais mundanas e repetitivas e focada inteiramente na mente – tanto quanto aspiramos a alcançar em algumas formas de meditação sentada (acordada). Todas as atividades ocorrem em mente. Os budistas tibetanos, durante séculos, reconheceram essa importante atividade mental como um momento para realmente capacitar a prática e desenvolveram o Milam Sleep Yoga para facilitar o sonho lúcido.

No REM (estágio de sonho do sono), sua mente está MAIS ativa do que durante o dia ativo e acordado. À direita está o REM. A implicação é, em parte, que a mente está liberada, mais disponível e mais focada do que durante as atividades diurnas ocupadas, quando predominam as atividades habituais.
Muitos sutras dão exemplos diferentes da afirmação de Buda, usando metáforas como nuvens e arco-íris para ilustrar a ilusão de fenômenos. O conceito é tão importante que é uma parte importante do Lojong Seven Point Mind Training. O slogan dois do texto de Lojong diz: “Considere todos os dharmas como sonhos; embora as experiências possam parecer sólidas, elas estão passando lembranças. ”“O primeiro passo para a prática dos sonhos é bastante simples: é preciso reconhecer o grande potencial que o sonho possui para a jornada espiritual. Normalmente, o sonho é considerado ‘irreal’, em oposição à vida real ‘desperta’. Mas não há nada mais real que o sonho. Essa afirmação só faz sentido quando se entende que a vida normal em vigília é tão irreal quanto o sonho, e é exatamente a mesma. ”- Tenzin Wangyal Rinpoche, as iogas tibetanas do sonho e do sono

Dream Yoga ilustrado. O Yoga dos Sonhos Tibetanos é uma prática altamente avançada que permite que os praticantes controlem seus sonhos, com benefícios significativos em termos de realizações em Shunyata e aperfeiçoamento da prática.
A mente desperta é uma mente ocupada e, mesmo com o Lojong Mind Training, a análise leva apenas nossa compreensão do fenômeno até agora. Mesmo uma hora inteira observando atentamente nossos pensamentos ocupados – e atingindo uma mente calma quase perfeita na meditação sentada – não pode chegar perto do estado de espírito aberto e “vazio” do sonhador. Alguns minutos de ioga dos sonhos lúcidos no estado alterado do sono nos aproxima o máximo que a maioria de nós, “mortais comuns”, vai chegar ao que os grandes iogues e iogues experimentaram depois de anos em suas cavernas solitárias nas montanhas.

Nos sonhos, tudo é possível, mesmo voando para o espaço e visualizando – de uma maneira intensamente realista – encontrando os Budas. Dizem que os grandes iogues receberam ensinamentos na terra pura deixando seus corpos e viajando para as Terras Puras. Não podemos atingir esse nível sem anos de prática, mas ainda podemos ter um gostinho de nossos sonhos lúcidos.
O sonho budista Yoga ou o sonho lúcido, para os fins da prática do Dharma, é particularmente eficaz para nos ajudar a entender a verdadeira natureza da realidade. Pode realmente liberar sua meditação, principalmente porque passamos mais tempo dormindo do que em qualquer outra “atividade”.“Forma é vacuidade; O vazio é a forma ”O Dream Yoga é um “estado mental puro”, onde tudo se torna possível. As formas de pensamento parecem reais. À medida que dominamos o sonho lúcido, começamos a entender o Sutra do Coração :

Os outros quatro aspectos da existência humana –
sentimento, pensamento, vontade e consciência –
são igualmente nada além de vazio,
e vazio nada mais que eles.

A atividade cerebral durante o sono REM, e ainda mais significativamente durante o sonho lúcido, é muito maior do que na mente “acordada” típica.
Classicamente, na prática budista tibetana, o Dream Yoga também é importante como preparação para a morte. Se entendermos que até a morte é ilusória, podemos sentir menos medo. Se pudermos entender que a vida é impermanente e dependente, nos sentimos fortemente motivados a praticar agora , enquanto temos essa preciosa consciência.“Se não podemos levar nossa prática para o sono”, escreveu Tenzin Wangyal Rinpoche, nas Yogas tibetanas do sonho e do sono, “se nos perdemos a cada noite, que chance temos de ter consciência quando a morte chegar? Olhe para a sua experiência em sonhos para saber como você se sairá na morte. Olhe para a sua experiência de sono para descobrir se você está realmente acordado.

Os estados de sonho lúcido e de sonho REM são períodos de atividade significativos para a mente.
Yoga do sono: usando a mente “Theta” para avançarUm indicador chave do sucesso da meditação é atingir a “mente teta” – as ondas cerebrais (4,7-5Hz) normalmente associadas ao estado meditativo profundo ou ao sono no estado de sonho. Muitos de nós, mortais comuns, em meditação acordada sentada – mesmo depois de uma hora de profunda prática de manter a calma – podem sair da onda cerebral “Alfa” (7,5-12Hz). A maioria de nós chegará perto do final do espectro de 7,5Hz com anos de prática – a frequência das ondas cerebrais associada à “intuição” -, mas qualquer valor menor do que isso escapa à mente desperta (a menos que você seja um iogue ou um iogue avançado).Hoje, não temos o luxo de deixar nossas famílias e empregos para trás por anos para um retiro nas montanhas. Muitos professores dizem que devemos fazer um retiro completo pelo menos uma vez em nossas vidas; a maioria de nós, se conseguirmos, aguardará nossa aposentadoria.Mas, quando dormimos, nossas mentes criam mundos inteiros em segundos, um século pode passar em um minuto relativo, podemos voar pelo céu e conhecer Budas e Dakinis belíssimos, vemos monstros dos mais profundos infernos fictícios de nossa mente – e Nada disso é real. No entanto, tudo isso é tão real quanto experimentamos em nossas vidas diárias.

A participação lúcida em seus sonhos pode rapidamente nos ajudar a desenvolver uma visão da dualidade, da verdadeira natureza dos fenômenos, da ilusão das aparências em nosso mundo dualista de “vigília”.Yoga do sono: meditação ideal para a vida modernaO sonho lúcido, como uma prática real no budismo, é chamado de “Yoga do Sono” ou svapnadarshana (Tib. Milam ) , “O Yoga do Estado Onírico ”. também se concentra fortemente nas meditações visualizadas. Vajrayana é considerado o “caminho relâmpago” para as realizações, em grande parte porque adiciona essa dimensão da prática visualizada – freqüentemente chamada Deity Yoga – que nos ajuda a entender a verdadeira natureza da realidade e a ilusão do fenômeno dualista. É também a maneira mais fácil de desenvolver algumas idéias sobre o importante conceito de Shunyata (Vazio) – especialmente no mundo moderno.

Tanto na psicologia quanto na prática budista, meditamos para converter sentimentos de raiva. Aqui, na meditação das divindades, uma divindade colérica é visualizada . Se essa prática é realizada enquanto lucidamente sonhamos, os fenômenos parecem reais e intensos – ajudando-nos, de maneira contrária, a entender a natureza ilusória de todos os fenômenos .
No entanto, em aparente contradição, as tensões extraordinárias da vida contemporânea tornam difícil estabelecer nossas mentes ocupadas o suficiente para ter visualizações realmente intensas. Nosso progresso pode diminuir ou parar por causa disso, embora anos de prática acabem trazendo algumas realizações.A prática do Yoga do Sono ( milam, rmi -lam, nyilam) ou sonho lúcido pode ser o “caminho relâmpago” dentro do “caminho relâmpago”. são mais fáceis de entender. Experimentar a “ilusão” é mais impactante do que analisá-la logicamente com a mente acordada.Um vídeo curto e informativo de Andrew Holecek, autor de Dream Yoga: Iluminando sua vida através de sonhos lúcidos e as iogas tibetanas do sono:

Dream Yoga: O que podemos alcançar?Em uma palavra – qualquer coisa. Podemos conseguir qualquer coisa no sonho lúcido – depois de dominarmos o método – porque controlamos o que sentimos, vemos, fazemos e todo o fenômeno do sonho. Se tivermos domínio, podemos estalar os dedos e criar uma parede de fogo. É um sonho de fantasia.

 

Mas por que fazer isso? Em primeiro lugar, como Andrew Holecek explica em seu livro Dream Yoga: Iluminando sua vida através do sonho lúcido , “Passamos mais tempo na cama do que em qualquer outro lugar, morto para o mundo exterior, mas potencialmente vivo para um mundo interior emocionante”.

Apenas para sonhar lucidamente, nada mais é do que outra forma de apego, outra atividade samsárica de diversão – o canal de TV dos sonhos. Para torná-lo prática do Dharma, depois que começamos a dominar o controle lúcido do sonho, nossas atividades do Dharma podem incluir:

  • Realizações sobre Shunyata (pelo menos melhore nossa compreensão): vendo por nós mesmos a natureza ilusória dos fenômenos e desenvolvendo uma profunda compreensão dos ensinamentos do Sutra do Coração
  • Praticando sadhanas (práticas de meditação): Quem não perde tempo para meditar diariamente? E, mesmo se tivermos tempo, podemos realmente entrar no estado mental receptivo, aberto e vazio, necessário para progredir? Uma vez que temos o controle do sonho lúcido, podemos realmente praticar sadhanas no estado de “Theta” – de repente, nossas visualizações não apenas parecem vivas, mas também se movem e conversam. (Obviamente, é importante primeiro ter um professor qualificado que o treine na visualização das divindades e na ioga dos sonhos.)
  • Preparando-se para a morte : como em muitas práticas budistas, meditamos na morte para entender a impermanência e motivar a prática. No Dream Yoga, vamos um passo além. Usamos o método para realmente nos preparar para a morte. O estado de sonho é o mais próximo possível de “Bardo” ou estado de morte imediata possível enquanto ainda vivo – com exceção das Experiências de Quase Morte (NDE).
  • Recebendo ensinamentos Para os mestres do método, diz-se que você pode receber iniciações, capacitações e transmissões de professores (não apenas seu próprio professor, mas também professores remotos que você nunca conheceu e até professores falecidos – pois o tempo é apenas outro fenômeno. )
  • Peregrinações : Imagine finalmente ter tempo para levar a Peregrinação a Lugares Sagrados. Essa atividade meritória não é apenas possível, é possível com a velocidade do pensamento. Você pode visitar qualquer lugar, ou mesmo tempo, instantaneamente. Viaje entre mundos, séculos ou cidades. Não importa que isso seja ilusório. Você desenvolve mérito da Peregrinação e ajuda a aumentar sua compreensão de Shunyata ao mesmo tempo.
  • Desenvolvendo Metta e Compaixão : Nos seus sonhos, você pode visitar muitos seres sencientes. Nos seus sonhos, seres conscientes não humanos podem se comunicar. Imagine a compaixão sem limites que você pode desenvolver ao conhecer tantos seres, mesmo que sejam seres oníricos.

Para não nos perdermos em toda a fantasia – ou nos preocuparmos que isso esteja arruinando nossa prática – provavelmente é importante enfatizar novamente: entender que os fenômenos são, em última análise, ilusórios é um dos pontos principais.

Marpa e Milarepa: Seis estágios do Yoga dos SonhosExistem diferentes linhagens e métodos ensinados ao longo dos séculos pelos professores budistas de Vajrayana, mas você poderia dizer que a prática se divide em seis etapas ou fases, com base nos ensinamentos dos grandes Marpa e Milarepa:

  1. Instruções no sonho lúcido: na prática formal, normalmente iniciações, instruções e meditações precedem a prática.
  2. O professor explica como o sonhador não deve temer nada em um sonho, que tudo é uma ilusão, que mesmo coisas que parecem prejudiciais podem ser domadas por nós, e como fazê-lo.
  3. Começando a entender que os fenômenos sonho e “acordar” os fenômenos são ambos dependentes mente e nada mais que ilusões. “Sem o observador, não há é percebida” Tanto a vigília eo sonho fenômeno é o surgimento dependente – portanto, eles são vazios de existência independente.
  4. Perceba que estamos no controle de nossos sonhos – objetos mudar a prática de uma coisa em outra.
  5. Entenda que nosso próprio corpo de sonho (como o vemos e o sentimos em nosso sonho) não é mais real do que nosso corpo de vida em vigília. Devemos perceber que não somos esse corpo ilusório, mas algo além disso.
  6. Então, entendendo o Vazio, visualizamos Budas, Bodhisattvas e Dakinis perfeitos enquanto estivermos no estado de sonho lúcido – que é muito mais vívido, vivo e detalhado do que parece em nossas visualizações durante a Deidade Yoga. Em seguida, descansar na clara luz do Vazio.

Dizem que os grandes praticantes do Dream Yoga podem se visitar, não apenas os Mestres vivos, mas seus professores no passado ou no futuro – e que tanto o sonhador quanto o destinatário se lembram da reunião e do ensino.

A pose adequada para tibetana Sonho Yoga é normalmente o “sono Buddha” pose, do seu lado direito, com a mão direita debaixo da sua cabeça.
Como Aprender o Yoga dos SonhosFormalmente, no método tibetano, você deve receber ensinamentos e possivelmente capacitação de um professor de linhagem qualificado – e isso normalmente seguirá apenas as práticas de Ngondro (ou Fundação) . Isso é importante para preparar a mente para essa prática importante e profunda.Mas, até esse momento, você pode praticar o sonho lúcido, obtendo-se pronto para o momento em que você começar a prática formal. Os passos básicos para o desenvolvimento do Lucid Dreaming são:
  • Primeira prática de recordação de sonhos: não se preocupe com o controle ou a lucidez do sonho, concentre-se em lembrar sempre dos seus sonhos. Vá para a cama com a intenção de lembrar, manter um diário de sonhos, e se você acordar de um sonho, feche os olhos imediatamente para ajudar a lembrar. (Vários estudos indicam que a estimulação “light” quando abrimos nossos olhos é a principal razão nos esquecemos sonhos.)
  • “O estresse e a tensão levados para a cama seguirão o dorminhoco até o sono. Portanto, trazer a mente em rigpa se possível “, antes de dormir – Tenzin Wangyal Rinpoche
  • Cante os mantras da sua prática pessoal quando começar a adormecer. Isso o relaxará, definirá sua intenção e o colocará em um estado de espírito espiritual.
  • Afirme conscientemente a si mesmo ao ir para a cama, lembrando-se e participando lucidamente dos seus sonhos. Por fim, você também deve afirmar que “controlará” seus sonhos (em vez de participar passivamente).
  • Aprenda a reconhecer os sinais que você está sonhando lucidamente. Um sinal, por exemplo, seria ver um parente morto, amigo ou professor. Olhe ao seu redor e encontre detalhes que são indicadores de que você está no estado de sonho.
  • Se você acordar de um sonho, permanecer no estado relaxado – manter os olhos fechados – afirmam que você estava sonhando, em seguida, tentar re-entrar no sonho, desta vez com lucidez, enquanto ainda perto o estado Theta (neste momento você faria estar em uma forma relaxada do estado Alfa, mas pode facilmente voltar ao Theta.)
  • Os grandes iogues e professores tibetanos sempre recomendam dormir do lado direito, a mesma postura que o Buda Shakyamuni manifestou quando faleceu em Paranirvana.
  • Você pode experimentar alguns dos “guiado” meditações de áudio projetado para induzir o sonho lúcido, ou você pode gravar sua própria, onde você repetir mais e mais “Eu vou ter um sonho lúcido, eu vou ter um sonho lúcido …”
  • Depois de desenvolver alguma lembrança dos sonhos, tente guiar seus sonhos adormecendo com uma imagem em mente. Como em qualquer meditação, concentre-se intensamente na visualização enquanto adormece.
  • Se você pratica uma divindade, com a iniciação para se auto-gerar, pode ser útil visualizar o eu como divindade pouco antes do sono e o seu quarto como uma Terra Pura. Ter essa imagem positiva pode levar a uma experiência positiva de sonho.
  • Se você tiver iniciação, tente praticar os Yogas do Sono e do Despertar de Vajrayogini ou outras meditações com essa prática – como instruído por seu professor, é claro.

A postura de meditação adequada para o Yoga Lúcido Tibetano dos Sonhos. É chamado de LEÃO POSE, a pose que Buda assumiu quando ele entrou em seu paranirvana.

Existem várias técnicas classicamente usadas para isso: diários de sonhos ao lado da cama para quando você acorda – anote as lembranças de seus sonhos antes que a mente desperta acabe com o ganho.Dicas para sonhadores difíceisIncorporando todos os elementos acima, existem alguns pontos-chave que são essenciais para um bom sonho lúcido. Primeiro é a motivação. Como em qualquer prática budista, você deve definir sua motivação e também afirmar seu objetivo: “Pretendo participar de sonhos lúcidos com o objetivo de expandir minha prática e com a intenção de beneficiar todos os seres sencientes.” Ou, qualquer que seja sua intenção. .

Dica importante: Lembre-se de que o objetivo não é apenas saber que você é lúcido, mas, em última análise, ser capaz de controlar ou transformar seu sonho. Você deve ter total poder em seus sonhos.

Em segundo lugar, se você tiver problemas para sonhar lucidamente, tente ajustar o relógio mental para duas horas antes de acordar normalmente. “Vou me dar conta de que estou sonhando lucidamente às 4 horas da manhã.” Da mesma forma que funciona para pessoas que querem se lembrar de acordar às 6 da manhã para uma reunião, esse tipo de intenção / lembrete parece realmente funcionar .

Pose do Buda adormecido, também conhecida como Pose do Leão. Esta é a postura correta para formais Yoga Milam sono. Existem outros sistemas de yoga para dormir. O objetivo é ser o bastante confortável para dormir, mas não tão confortável que você dorme muito profundamente.
Se você acordar, lembrando um sonho, pressione imediatamente os olhos fechados, reafirmar a sua intenção, e deriva de volta para dormir. Normalmente, as pessoas que acordam de um sonho e depois voltam a dormir são mais propensas a sonhar lúcidas ou lembram-se claramente do seu sonho. Há também uma zona “teta”, quando você ainda está cheio de sonhos / sonhos logo após acordar, que você pode explorar. Tente orientar sua própria visualização de sua prática enquanto estiver nesse estado, tomando cuidado para não “acordar” – mantenha sua mente em paz e com sono. Você pode achar que suas visualizações, mesmo estando um pouco acordadas, são mais vívidas do que na prática tradicional de “despertar”.

O Buda Shakyamuni meditou sob a Árvore Bodhi, alcançando a iluminação, e em um ponto ele enfrentou demônios, medos e tentações terríveis. As tentações que ele enfrentou em sua longa meditação são semelhantes às imagens que vemos em nossos sonhos. Classicamente, na visão de Buda, Mara (Evil) enviou nuvens de flechas para atacar Buda sob a árvore. Buda simplesmente transformou em flores.
Se você tem dificuldades significativas, você pode tentar várias outras táticas óculos sonho tão REM (que piscam enquanto você dorme tão sutilmente eles registram em seus sonhos, ajudando lembrá-lo que você está acordado nos sonhos), meditações sono guiadas em gravações de áudio, até mesmo gravações de percussão shaman antes de dormir (que cria uma freqüência que ajuda a induzir Theta.)

O método mais eficaz é combinar a ioga do sono com o Dream Yoga. Sono Yoga envolve, basicamente, visualizando-se como Yidam, em seguida, cair no sono com essa imagem. Como alternativa, na prática, não Vajrayana, você pode fazer a meditação mindfulness na cama como você ir dormir. Permita-se cair naturalmente no sono, e assistir o processo de espírito vai dormir como isso acontece.Dica técnica: auxílios Evite sono, que não os naturais. Pílulas para dormir impedem sonhar.

Yoga dos sonhos formaisComo ensinado em comentários por Gyatrul Rinpoche e outros, os passos formais da prática – que exigem a orientação do professor – são:

  • Apreensão : compreendendo e vendo sonhos
  • Transformação : controlar os sonhos e todas as formas, imagens, experiências
  • Absorção de unificações: (mas vamos deixar isso para um professor de descrever.)

Para o yoga formal dos sonhos, é melhor procurar um professor qualificado de linhagem. Existem vários livros sobre a prática, mas, finalmente, os ensinamentos mais elevados do Dream Yoga são melhor transmitidos através do seu professor.Mais InformaçõesEnquanto isso, o sonho lúcido é uma habilidade gratificante e útil. Existem recursos úteis para o auto-aprendizado dos sonhos lúcidos. Alguns livros úteis incluem:

  • Yoga dos sonhos: iluminando sua vida através dos sonhos lúcidos e das iogas tibetanas do sono, de Andrew Holecek
  • Meditação, Transformação e Yoga dos Sonhos , de  Gyatrul Rinpoche, B. Alan Wallace, Sangye Khandro
  • Os Yogas tibetanos do sonho e do sono ,  Tenzin Wangyal Rinpoche, Mark Dahlby

Similar Posts