Artigos do Portal:
#Artigo ou Artigos Indicados da Semana:#A Deusa Inuit Sedna#Changelings – Lendas das crianças trocadas#Gaulesas e Gauleses e as Divindades Celtas#Origem da Festa Junina#Festival Folclórico de Parintins#História e Origem das Festas Juninas na América#Anat, Deusa antiga Cananita#Óleo de Abramelin#Deusas Celtas#Mitos e Lendas Eslavas#Cartimandua e Boudica (Boadiceia)#Zorya, Deusa Eslava da Luz#Reavivando o Divino Feminino por meio de histórias e tradições celtas#Reino de Hel: A Deusa Nordica do Submundo – Indo e voltando para o inferno#Fiar e tecer, as artes mágicas femininas e maravilhosas associações#História Celta relacionada ao Mito do Rei Arthur#Cailleach: Mito Irlandês, Lenda e o Feminino Divino#Mitos e Estações no céu Tupi-Guarani#Deusas da Natureza#Druidas femininas, as sacerdotisas esquecidas dos celtas#Deusa Nemetona#A luta de Elizabeth Packard contra a tirania legal dos maridos#Baalbek – Templos de mais de 5000 anos – Deusas Venus / Atargatis#Al-Lāt, Allat, Allatu ou Alilat , a deusa árabe pré-islâmica#Tir na nOg e Tuatha De Danann#Oráculos no Druidismo / Oráculos Druidas#Um Ogham para os Montes Apalaches#Awen, a inspiração divina: princípio central na tradição druida#Atlantida, a civilização anterior a atual#Mulheres na sociedade Maia#O princípio feminino: uma ideia em evolução#Yoni e ‘Sheela Na Gig’#Deusas Nativas do Brasil e os mitos de mitos#Os Nativos do Novo Mexico (Norte America) Zuni e Puebloans Ancestrais#Maria Madalena / Maria Magdalena#Mehrgarh – sitio arqueológico neolítico (datado de 7000 aC a 2500/2000 aC – Paquistão)#A PODEROSA ORAÇÃO AO PLANETA DE MAIS DE 500 MULHERES NO VALE SAGRADO DO PERU#Monte Ararat#Alfabeto siríaco#Monte Nemrut / Nemrud#Maitreya (as três mães) se encarna#Compreendendo a filosofia de Shiva-Shakti através de ‘Ardhanarishvara’#Shakti e Kali#Sobre Magia#As Eras Glaciais – A História da Ciência sobre o tempo antes do auge da Civilização Ariana#Sonhos lúcidos podem nos aproximar de experimentar a “realidade” não dualista do que acordar a meditação#Honrando nosso sagrado ciclo feminino ‘tempo da lua’#Atlantida e os deuses antigos#Artemis#Doze mulheres famosas da idade média#Jezabel: princesa de Sidom, rainha de Israel#Hormônios e seu ambiente – Quando se trata de hormônios, há mais de um “normal”#Os ciclos femininos, ciclos de fertilidade e menstruação nas Culturas Nativas#Ereshkigal – Deusa Crone, Deusa do Submundo e da Morte#Deusas Crone – As Mães das Sombras, da Morte#Deusas Incas#Deusas da Água – Deusas do mar, dos rios e lagos#Deusas do Fogo#Recomendações da medicina tradicional chinesa para ajudar a aliviar as dores do período menstrual#Maré – a força do Sol, da Lua e outros astros sobre a Terra#Mais artigos para ginecologia natural: plantas, ervas#A civilização mais antiga do mundo é ainda mais antiga do que se pensava#Antropologia Feminista#Abraçando o feminino divino, a escuridão, a sombra e tudo#Deusas nativas americanas#Coatlicue, deusa mãe asteca#Ginocentrismo e Androcentrismo#O Feminino nas religiões#Amphitrite / Salacia: A Deusa contraparte de Netuno / Poseidon#CORRESPONDÊNCIA ENTRE PLANTAS E PLANETAS: UM GUIA DE ASTROBOTÂNICA PARA PREPARAR REMÉDIOS MÁGICOS#CORRESPONDÊNCIA ENTRE PLANTAS E PLANETAS: UM GUIA DE ASTROBOTÂNICA PARA PREPARAR REMÉDIOS MÁGICOS#O Sagrado Feminino pelo Budismo Vajrayana#Volvas – Mulheres ‘xamas’: as temidas e respeitadas Profetisas, Sábias, Sacerdotisas, Videntes nórdicas#A Adoração de Deus na forma feminina#Atma Shakti pela abordagem do Yoga#As Bruxas do Brasil Colônia#Os Planetas/ Astros na astrologia#Atargatis: uma deusa síria adorada nos primeiros séculos dC.#Ecofeminismo(s): Por Que Mulheres, Animais e Natureza Sob o Mesmo Olhar?#Disfunção Sexual Feminina#Anatomia Genital Feminina#Ginecologia natural: o poder das ervas a serviço da saúde da mulher#Ginecologia natural: um caminho para a humanização do cuidado#MENSTRUAÇÃO, CORPOS FÍSICO & SUTIL, GINECOLOGIA NATURAL & HOLÍSTICA#Diu de Cobre – Métodos contraceptivos não hormonais#O que você deve saber sobre os octagramas – estrelas de oito pontas#Sete raios#Empatia nos cuidados de saúde da mulher#Ginecologia Ayurveda#Passos positivos para se estabelecer para a gravidez pela Ginecologia Tradicional Chinesa#Ginecologia na Medicina Chinesa – Ginecologia Tradicional Chinesa – Oriental#Astrologia egípcia e signos do zodíaco egípcio#O Feminino Divino nos Contos de Fadas#Sirius – Estrela Nobre e Divina#Quiromancia#Shamans Göbekli Tepe e seus símbolos cósmicos e Shahmaran#Mulheres antigas xamãs da Irlanda: curandeiros, sacerdotisas e adivinhos#Shakti – seus significados#Imagens do Feminino Ancestral: Reconhecimento de Padrões, Através do Espaço e do Tempo#O keebèt e a cerimônia feminina no Chaco#Notre Dame de la Vie: Nossa Senhora da Vida#Templos da Deusa na Ásia Ocidental#Atete, Deusa do Povo Oromo no sul da Etiópia#Rainha de Saba / Sabah / Shaba – Makeda, Bilqis#Matriarcado, Matrilinearidade,#Mãe Menininha do Gantois#A rabina Léah Novick#A natureza divina das mulheres naturalmente – um desafio do século XXI#Citações do Feminino Divino#O poder da Irmandade / Fraternidade Feminina ou Sororidade#Influencias da Lua, dos planetas e outros astros sobre a terra#Sobre a Vagina, a Vulva e soluções naturais para alguns problemas#Runas – História, Mitos e Significados dos Símbolos#Madeiras para fazer varinhas mágicas#Dualidade Mútua: Yin Yang / Shiva Shakti#Plantas para reconexão feminina#O Feminino Divino está em Ascensão#Pindorama – O Brasil Nativo, O Brasil Ancestral – e Abya Yala#Astros de tônicas femininas para encontrá-los e entender o feminino no seu mapa astrológico#Florais para as mulheres#Ervas e plantas para a cura dos disturbios femininos – ervas e plantas para mulheres – Ginecologia Natural#Vênus e as Plêiades!#Código e Contemplação da ética das Sacerdotisas#Purificação, Consagração e Carregamento de objetos#Plantando um jardim mágico – Plantas Mágicas#Jóias egípcias antigas arrancadas do monte funerário da “princesa virgem” na Siberia, montanhas de Altai#Ervas, plantas e magia#Tuatha De Danann#Os Duidas#Moura Encantada#Poder dos Metais – Propriedades Magicas dos Metais#De Tonantzin Coatlicue à Virgem de Guadalupe: o que Elas têm em comum#Magia dos tecidos: A Cosmovisão Andina Através da Tecelagem#Deusas da Cura#As Hostes Angelicas – de Geoffrey Hodson#Os Anjos#Astrologia do Centro Galáctico – o centro galáctico no mapa astrológico#Tonalidade cósmica – o significado sagrado da tartaruga#Deusas hindus. Lakshmi, Sarasvati e Parvati (Sati, Durga e Kali)#A lenda hindu do dilúvio de Manu e o relato bíblico de Noé#A Deusa Ganga e O Ganges: o rio sagrado do hinduísmo#Qhaqoy – técnica massagem andian#simbolos para os principios#Ativando a Prosperidade#Sobre o que é Sombra#A Menstruação é realmente ‘normal’ ou ‘natural’? (do ponto de vista muito ancestral)#Ogham / Ogam – Alfabeto Celta – Druida#A Jornada de Inanna: A descida de Inanna ao submundo: uma obra-prima literária de 5.500 anos#Shakti – Invocando sua energia feminina#Deusa Mãe (Ninmah, Nintud / r, Belet-ili e Nin e Ninhursag)#Principais desastres ambientais no Brasil e no mundo#Salto de Sete Quedas – SALTOS DEL GUAIRÁ – O fim das maiores cachoeiras do mundo#Meses da árvore celta – 13/treze divisões lunares#Plantas harmonização hormonal#Magia, Magia Cerimonial e Teurgia#A Mãe Divina#Shakti – Na astrologia oriental e numerologia#Planetários e quadrados mágicos –#Artes divinatórias e práticas mânticas#Tarot: A Rota ou Roda das Experiências das civilizações antigas#Deusa Asherah – Representação Feminina do Sagrado, a Deusa de Israel#A Grande Deusa – Histórico#A Mais Antiga Oração Dirigida à Maria Datada Do Ano 250 d.C#Áreas reflexas femininas do corpo físico-etérico#Lilith#A Humanização do Parto e do Nascimento#Nomes Xamãs#Animais com fêmeas dominantes#Uma não definição de “xamã”#Enheduanna – A poeta e Alta Sacerdotisa acadiana#O Panteão da Mesopotâmia – Mitologia Mesopotâmia#Tiamat#Lista de ocultistas e escritores ocultistas#Plantas e seus benefícios#Reflexões de uma antropóloga e mãe: ‘O que aprendi com índios sobre educação infantil’#As “Montanhas Sagradas”, o Centro das Montanhas Mágicas da Mantiqueira – Aiuruoca#Serra do Roncador#Instrumentos Musicais Indígenas#O poder das raízes: As plantas falam umas com as outras pelas suas raízes#As mulheres e produção de óvulos: mulheres nascem com óvulos em seus ovários#Escritos e Evangelhos Apócrifos#Astarte, Astoreth, Ashtarot, a verdadeira origem de Venus e Afrodite#Deusas em Transformação:#Exercícios Kegel: Exercícios Musculares Pélvicos#Alquimia Feminina: Cultivo Feminino#Hypatia de Alexandria#Sírius, a estrela da realeza#Quem é Baphomet?#Maquiagem com produtos naturais (maquiagens veganas, naturais e caseiras)#Ēostre – A Deusa da Origem da Páscoa#Arqueólogos encontram vestígios de civilização desconhecida na Amazônia#Inanna – Ishtar – Astart (Ashtoreth)#Apsaras#Sobre a Frequência 432 e afins#A Era de Aquário#Evangelho de Maria#Quando Deus era mulher: A civilização das deusas gordas#Aradia#Porque precisamos de energia feminina no mundo#Mudanças no campo magnético da Terra#Associações de apoio às mulheres pelo mundo#Como a sabedoria das mulheres estava perdida#Ondas Cerebrais e Meditação#O Movimento do Sagrado Feminino ou Divino Feminino#A lenda de Mulan: a jornada da mulher e do feminino#Jornada de Cura – integrado as jornadas dos heróis e heroínas#Marija Gimbutas e a Deusa#Jornada da heroína: a narrativa mítica da mulher#Diferenças entre Signos e Constelações#Centro Galáctico#108 Siddhas Femininas, Dakinis, Yoginis e tântricas#Mulheres nas religiões#Casa da Virgem Maria na Turquia#As Mulheres na Cultura Védica#A Jornada da heroína e os ciclos de morte e vida#Elementos da meditação ativa:#Shakti Sadhana – Disciplina espiritual hindu (combinação de prática védica e tântrica)#Fases da Lua de 1900 a 2060#Informações básicas e interessantes da Astronomia#Locais importantes relacionados ao Caminho Evolutivo da civilização Ária#Samhain#Deusas da Mitologia no Brasil#A Centralidade da Feminina Divina – Shakti – no Sufismo#LILITH, O grande misterio do feminino selvagem#O que é Ginecosofia / Ginecosophia – Ginesofia / Ginesophia#Pleiades – pela Teosofia#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (ciganas)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (indianas)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (orientais, árabes)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (flamenco e salsa)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (brasileiras)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (hawaianas, polinesia, tailandesas, chinesas outras)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (árabes – dança do vente, orientais tribais, indianas fusion e afins)#Mandala#Grupo Mawaka#Outras Músicas#Sarasvati, Lakshmi, Parvati – As Três deusas, Shaktis supremas do induísmo#Yasodhara#Yasodhara#Céu Real – Céu Astronômico do momento (Efemérides Astronômicas)#Beltane#Mulher Shaman / Mulheres Xamãs#Maha Devi – Lalitha Sahasranamam – Os 1000 nomes de Lalitha / Lalita#Dança Duende – Danza Duende e ‘El Duende’#Mulheres Heroínas Indígenas#Apu (divindade) – Os Espíritos da Montanha do Peru#Mitos e lendas: Paititi, uma importante cidade perdida dos Incas#Caminho do Peabiru – Caminho utilizado pelos nativos ancestrais sul-americanos, ligando o litoral ao interior#SHAKTI-SHIVA e a Cosmogênese – Os mistérios da origem do humano e do universo#Qoya – A Rainha-Sacerdotisa Inca#Ginecologia Natural – Naturologia Feminina: Saúde da Mulher#NEFERTITI, a Bela e Poderosa Rainha do Egito – A Grande Rainha do Nilo#Recebemos as mitocôndrias de nossas mães: maioria dos seus genes são oriundos de sua mãe.#Mulheres Incas#Hello world!#Deusas indianas e o significado de suas imagens#História das mulheres#Musicas Danças#RECONEXÃO Caminho Sagrado Feminino: Práticas Essenciais#O que é o Feminicídio ou femicídio#Gênero Feminino#Políticas públicas de combate à violência contra a mulher#Movimentos pelos Direitos da Mulher#Atos Internacionais – convenções que se referem às mulheres (Diretos da Mulher 2)#Direitos da Mulher#Helena Blavatsky#Mulheres em luta: Mulheres revolucionárias#Sobre o Útero – O Cálice Sagrado (pela abordagem do xamanismo tolteca contemporaneo)#Sobre Alquimia Interior – Alquimia Feminina – Respiração Ovariana – (pela abordagem do Tao Universal)#Tambores Xamânicos Sagrados#Xamanismo Huna (Hawai) e o Ho'oponopono#Atlantida, uma civilização matriarcal esquecida#Elementais da Natureza#Pedras de Poder#Os cristais e o ventre#Equilíbrio hormonal da mulher 2 – A importância da Progesterona#Equilíbrio Hormonal da Mulher#Por que nem todas as fêmeas menstruam? ….#Shakti#O Sagrado Feminino e a Deusa Gaia Manifestada#Os Mistérios de Vila Velha (Ponta Grossa – PR – Brasil)#Mistérios Brasileiros Famosos#As Deusas Védicas#O Poder das Plantas#Pesquisa revela o poder das mulheres Incas#Profecias dos Incas Q’ero#Mulheres da Floresta#ZENEIDA, A PAJÉ DO MARAJÓ#Mulheres Pajes – As xamas nativas brasileiras#A Sabedoria dos Incas e Andina e os resquícios de uma sabedoria sagrada feminina#A CHAKANA – A Cruz Andina ou Cruz Quadrada – a ponte entre os mundos#Acllas, as Sacerdotisas do Sol – Mulheres Sagradas dos Andes (sacerdotisas incas)#Princípios dos Povos Andinos#Pachamama#Herbologia mística – o poder das ervas e plantas#O Poder dos Cristais#O Poder das Flores – O Povo Flor#A Lenda das 13 Matriarcas#O Poder das Árvores: O Povo em Pé#Purificação com ervas – por método xamânico#Plantas de Poder#Catal Hoyuk – Anatólia (atual Turquia) e a arte da deusa e do feminino#Símbolos minóicos do culto a Deusa#Animais de poder – As ‘Criaturas’ ou ‘Criaturas Animais’ – Totens (Xamanismo)#Animais de poder – As 'Criaturas' ou 'Criaturas Animais' – Totens (Xamanismo)#Mix de ervas emagrecedoras – também diminui a barriga (perde gordura abdominal)#Shakti Mantras: os mantras de poder e graça potencializando outros mantras#Oração (ou contemplações) às Marias Navegantes – das Sacerdotisas de Maria#Theotokos – Maria como a 'Mãe de Deus'#Theotokos – Maria como a ‘Mãe de Deus’#Coliridianismo#A TERRA OCA – Mistérios milenares da Terra#Sara La Kali ou Santa Sara Kali – O Sagrado Feminino e o Sincretismo religioso#Segredos do Sagrado Feminino Cristão – As Marias do Mar#O que é ser uma sacerdotisa – A Sacerdotisa e o Sagrado Feminino#Sagrado Feminino: Brasil, ÍSIS, N.Srª Aparecida, o poder da Deusa#Sobre o Sagrado Feminino, as Abelhas e o mel, A Deusa Abelha#Shaktis – As mulheres Yoginis, Dakinis e Sacerdotisas#Shakti – A importância de seu reconhecimento pela mulher#Shaktis dos Nakshatras#Shakti – Poder Cósmico e Universal#Shakti : A Mãe do Mundo 1#Shakti: O Despertar da Deusa Adormecida na Matéria#Shakti: O Poder, a Força Divina Cósmica, Planetária e Pessoal#Shakti, kundalini e Tantra#Cariatides – Sacerdotisas de Artemis#Piramides na Bosnia e China#A história das coisas, pelas pessoas e pela Terra#Os Mistérios da Serra do Roncador#Avatara ou Avatar e o Kalki Avatar ou Maitreya#Links Astrologia Sideral e Astrologia Védica#O que são formas pensamento, egregoras e tulpa?#Estátua de Maitreya: uma imagem que a mente pode fazer dela uma ponte!#Allamirah – Uma Encarnação da Divina Mãe, do Feminino Sagrado#Oricalco: o metal desaparecido usado na Atlântida#Especiarias#Sacerdotisas Sumérias#Ervas Medicinais, Especiarias e Temperos#Shakti#Srichakra – representação de Shiva-Shakti no macrocósmico e microcósmicos#Dharma e Sanatana Dharma – As Leis Universais e o Sistema de Sabedoria da Índia para estar em sintonia com essas leis#A Filosofia Yoga Shakti – por Sri Swami Sivananda#Samantabhadri, Prajnaparamita, Vajravarahi e Arya Tara (As Grandes Shaktis do dharmakaya, sambhogakaya e Nirmanakaya)#Kurukulla: Lalitavajra ou Vajratara (ou Tara Vermelha)#Vajravahari e Vajrayogini#As ‘Deidades’ do Bardo (estágio intermediário)#Aditi – Devamatri, expansão cósmica, espaço; mãe de todas as coisas#Adi Parashakti (Adi Shakti) – Param Prakriti, o Poder do Para Brahman#Lokapalas ou Maharajas#Shri Yantra – Um dos mais conhecidos e poderosos Yantras#Lalita Tripurasundari – A origem dos 3 mundos#Filmes Indicados#Bibliografia: Livros – Indicação para o estudo da Espiritualidade e Sabedoria Feminina#Glossário de Deusas#Glossário Indígena e Xamânico#Músicas de Marcus Viana e Sagrado Coração#Links para as constelações e estrelas fixas: Pleiades, Orion/Tres Marias, Sirius, Algol, Cruzeiro do Sul, Pleiades do Sul, Cão e Ursa Maior, Coroa Austral e Boreal, Spica, Sadalmelik#Conjunções de Vênus (de 1900 a 2050) – Trânsitos e Ciclos de Venus (1032 a 2255)#Estações do Ano de 1900 a 2099#O Céu do Momento#Leis Herméticas – Leis ou Princípios Existenciais ou Leis que regem o Universo#As linguas originais sagradas: Sensar e Vatan – e os mistérios que elas guardam#Matrikas (Mães Protetoras e Purificadoras) e as 64 Dakinis#As Cinco Mães, Irmãs ou Consortes de Sabedoria (Prajnas) – Mães e Consortes dos Dhyanis Budhas#Pleroma – A Plenitude#Aeon – Emanações Supremas do Pleroma#Os conceitos de Self, Individuação e Iluminação#Os estágios-níveis de desenvolvimento humano e os domínios transpessoais#Meditação e o despertar do Poder e da Sabedoria Interior#Qual a diferença, entre os gêneros, que interferem nos métodos de despertar? (resumo síntese)#Como se dá a exploração energética direta da mulher? (resumo síntese)#O que é o ‘processo evolucional’ ou despertar da consciência? (resumo síntese)#Porque esta urgência de despertar? (resumo síntese)#Protegido: Sonhos lúcidos – teoria e prática#O que são Elementos Vibracionais?#Porque um sistema iniciático (de despertar) específico para as mulheres? (resumo síntese)#Crianças / Humanos Índigo e Cristais#Anjos e Devas#Porque muitas mulheres se sentem insatisfeitas nos seus relacionamentos? (Parte 1)#Dualismo e não dualismo#O que é Magia, Teurgia e Teurgia Natural?#Sobre as mulheres – pensamentos e frases#Hildegard de Bingen#O que significa Shekinah (Shekhinah ou Shechiná)#Shakti – O poder interior humano, planetário e cósmico: O Grande Feminino#Fenícios no Brasil muito antes dos portugueses#Ilha Brasil – Hy Brazil a ilha mítica, a ilha afortunada#Roda do Ano – Os 8 Festivais Celtas – As 8 fases da Deusa#Sobre o feminino, o masculino e o sexo – Dion Fortune#Sobre o significados de Sacerdotisa#Mata Amritanandamayi Devi, Ammachi ou Amma – A Shakti Mãe que distribui o Poder do Amor pelo abraço#Ma Yoga Shakti – A Shakti com realizações materiais e espirituais para o bem comum#Anandi Ma: uma Shakti oferecendo Shaktipat no ocidente#Transformando a energia em Shakti – referente aos ensinamentos de Shree Maa#Shee Maa – Uma deusa mãe da Índia para o ocidente#Planetas e Arcanos – para refletir os aspectos arquetípicos#Yeshe Tsogyal: uma Dakini iluminada#Therese Neumann – uma santa cristã#Sri Ma Anandamayi – Uma grande Shakti manifestada na índia#Mahavidya – As dez grandes Shaktis associadas aos grandes poderes cósmicos para os tântricos#Sri Sarada Devi – A Santa Mãe, uma Shakti encarnada#Alguns mestres orientais e suas Dakinis ou Shaktis – Padmasambhava, Ramamkrishna, Aurobindo#o que significam: Libertação, Iluminação, Auto Realização, Arhat, Nirvana#Nangsa Obum – uma mulher tibetana considerada emanação de Tara#Vajrayogini – A Shakti orientadora e inspiradora no caminho de iluminação#Tara – uma manifestação do aspecto feminino iluminado#As 64 Dakinis ou Yoginis#o que significa Prakrit, Mahaprakrit e Purusha#O que significa Kundalini, Fohat e Prana#O que significa Sophia (Sofia)#o que significam Deusas Mães ou Grandes Deusas#O que significa Devi#O que significa Dakini#O que significa Yogini#O que significa diksha, deeksha ou deeksa – ou iniciação espiritual#O que siginifica Shaktismo#O que significa Shaktipat#o que significa SHAKTI#Shakti#As Sacerdotisas da história desta civilização: Pitonisas, Vestais, de Ísis, de Inana, Sibilas#o que é THEASOPHIA (Theasofia, Teasofia) e THEALOGIA (Tealogia)#Gurumayi Chidvilasananda – uma bela e bem aventurada Shakti transmitindo Shaktipat ao ocidente#o que é TEURGIA e TAUMATURGIA#Mirra Alfassa – Shakti ou Companheira espiritual de Sri Arobindo#Ayu Khadro – Uma Grande Dakini manifestada
Início » Honrando nosso sagrado ciclo feminino ‘tempo da lua’

Honrando nosso sagrado ciclo feminino ‘tempo da lua’

Honrando nosso sagrado ciclo feminino ‘moontime’

Honrando o sagrado moontime feminino

Passei as últimas semanas tomando banho sob a luz da lua enquanto dormia todas as noites. Não era o que eu pretendia fazer, mas simplesmente aconteceu, divinamente inspirado, talvez para me reconectar com os ritmos naturais do feminino divino. Isso me lembrou que, muitas luas atrás, o “ciclo da lua” da menstruação e ovulação feminina era comemorado como um presente de fertilidade e feminilidade, pois nosso ciclo se alinhava naturalmente com o aumento e diminuição da lua. O derramamento de ‘sangue’ menstrual foi considerado um momento especial para descanso, purificação e rejuvenescimento.

Para a maioria de nós, a importância dessa experiência sagrada se perdeu nas areias do tempo, mas a avó Moon nos lembra muito em breve quando começamos a sintonizar seus sussurros brilhantes durante a noite.

Várias culturas ao longo da história consideraram uma mulher menstruada incrivelmente sagrada e abençoada com um dom de curar, proteger ou se unir aos reinos mais elevados da consciência. Algumas culturas e indivíduos ainda respeitam isso, embora grande parte do conhecimento tenha sido suprimida, distorcida e perdida. Durante essa fase, uma mulher é dotada de um enorme poder do feminino divino, freqüentemente sintonizando as energias femininas coletivas em toda a Terra e através de nossos colegas ancestrais.

Passando sabedoria ou ‘silêncio, silêncio’ não dito?

Era uma vez, mães, tias, avós, transmitiam o conhecimento e a percepção desse ciclo sagrado. Eles compartilhariam o que isso significa, regozijando-se em como se desenrolar lindamente através dele e reconhecerem como abraçar nossas energias divinamente dadas. Eles nos mostravam que há um tempo para honrar a quietude, um tempo para recuar, um tempo para comemorar e um tempo para se levantar. Eles nos mostrariam que tudo é sagrado.

Infelizmente, o ciclo feminino se tornou um assunto tabu. Mesmo em nosso moderno mundo espiritual chamado ‘mente aberta’, vejo como é muitas vezes prestado ‘serviço de boca’ e depois empurrado de volta a portas fechadas. Muitas meninas são lançadas cegamente em seu ciclo, nunca conversando sobre isso com ninguém. Com demasiada frequência, a sociedade insiste que é algo a ser escondido e envergonhado e que o céu proíbe se você não o mantiver sob controle total.

No mundo de hoje, as mulheres não têm tempo e espaço para honrar o ciclo. Nossa energia coletiva ao longo das eras também nos condicionou a nem perceber o quanto PRECISAMOS desse ritmo. Em vez disso, sentimos o carma coletivo de “vergonha” ou “culpa” pelo que realmente significa ser uma honra sagrada a nós mesmos. Se tiramos uma folga do trabalho, somos considerados fracos; se tiramos um tempo para descansar, somos frequentemente vistos como preguiçosos. A angústia na mente, corpo e espírito, por não honrar o ciclo, gera uma infinidade de problemas emocionais físicos e hormonais que nem deveriam existir. Eu sei disso muito bem. Eu me considero ‘consciente’ e ‘desperto’ desde os 20 anos de idade, mas, como muitas mulheres, sofro imensamente sempre que não estou em um lugar para honrar os ritmos do meu ciclo.

Eu costumava sentir raiva de ser lançada no mundo das mulheres que não entendia. Não havia ninguém para perguntar, porque ninguém convidou essas conversas, e a internet não existia naquela época.

A dor do feminino divino

Quando perdi muco cervical pela primeira vez (isso acontece no meio do ciclo quando ovulamos, cerca de 14 dias antes de derramarmos ‘sangue’), pensei que havia algo errado comigo. Só quando eu tinha 20 e poucos anos e comprei um livro sobre o ciclo feminino, percebi que era normal!

Ao crescer, senti a profunda dor do feminino divino em todo o planeta. Quando sobrescrevemos o fluxo natural, as coisas começam a dar errado. Negligenciar o ciclo sagrado significa que as mulheres são atormentadas por distúrbios menstruais, dor, desequilíbrios hormonais e mudanças severas de humor que não precisam existir. Tudo porque ignoramos o fluxo divino do universo.

A ironia é que, quando todos nós respeitamos o fluxo natural, as ondulações são profundas e o mundo começa a se tornar um lugar infinitamente melhor para se estar, não apenas para nós mesmos, mas para todos. Como estamos todos conectados e quando um de nós se levanta, refletimos um para o outro e todos começamos a nos levantar.

Honrando o ciclo sagrado

Ainda existem algumas tradições que respeitam nossa hora sagrada como presente e, em vez de serem banidas, insistem em um espaço sagrado para as mulheres, para que elas possam descansar durante esse tempo. As mulheres se aliviam do trabalho e se dedicam amorosamente a passar um tempo sozinhas em paz e sossegadas (ou com outras mulheres) em um ambiente seguro e acolhedor, livre de energias projetadas ou negativas.

Este tempo é usado para refletir e convidar a energia vital sagrada universal para lavar o ser. Uma mulher permite que a luz da alma brilhe cada vez mais, pois age desinteressadamente como o centro amoroso de sua família e vida cotidiana. Nós, mulheres, somos receptivos por natureza e particularmente absorventes de energias externas em torno deste tempo sagrado. O feminino divino é um vaso receptivo, um santo graal que muitas vezes abnegadamente transmuta a energia das pessoas ao seu redor. O descanso é a coisa mais natural do mundo para uma mulher durante sua “hora do almoço”.

As energias divina masculina e feminina devem se complementar, trabalhando juntas harmoniosamente em uma dança sagrada da unidade divina. Abraçar ambos em sua autenticidade é essencial para a evolução espiritual; portanto, as culturas que honram isso são incrivelmente conectadas ao fluxo natural e são abençoadas.

Deixar ir – deixar fluir

O derramamento de menstruação é simbólico de derramamento de energia negativa acumulada durante as semanas anteriores. É uma oportunidade de deixar ir o que não nos serve mais. É um momento de refletir sobre o que estamos prontos para lançar, o que estamos prontos para receber e que lições aprendemos.

Ao honrar nossa lua, muitas vezes encontramos equilíbrio e uma re-centralização do nosso estado de ser. Se perdermos esse momento de centralização, poderemos passar o resto do mês fora de sincronia com o ritmo sagrado, nunca nos alcançando. Felizmente, nos é oferecida a oportunidade uma vez por mês (até entrarmos em uma nova fase de nossa feminilidade em nossos anos mais maduros) – no entanto, cabe a nós, mulheres, encontrar nossa força interior e nos amar o suficiente para honrar esse evento cíclico.

Amar a nós mesmos

Se normalmente não pensamos em nós mesmos em primeiro lugar (comum com a maioria das mulheres atenciosas que conheço), então na hora do intervalo é a única vez em que somos convidados acima de tudo a nos honrar. Se tivermos filhos, se possível, peça a alguém para assisti-los por um dia ou até dois (eu sei que geralmente é mais fácil falar do que fazer). Se eles vão à escola, aproveite ao máximo esse tempo. Se não conseguirmos encontrar alguém para assisti-los, aproveite ao máximo a noite ou os momentos que encontrar (faça apenas o que realmente precisa). Se não temos filhos (ou se nossos filhos voaram do ninho), observe nossos compromissos e comece a perceber como podemos tirar um tempo para nós mesmos.

Quando parece impossível encontrar tempo

Às vezes pode parecer impossível tirar um tempo devido à estrutura antinatural de nossa cultura – mas sempre há algo que podemos fazer. Entendo isso muito bem, porque às vezes estou trabalhando intensamente em um retiro como chef (ou até mesmo guiando um retiro por mim mesmo), onde há muita responsabilidade e pouco tempo para parar.

Ao servir, faço da criação de alimentos uma ‘meditação’ (que ajuda a trazer imediatamente o sagrado à minha consciência, algo que todos podemos aprender a abraçar, não importa o que estamos fazendo). Trabalhar arduamente está longe de ser o ideal durante o tempo em que devemos descansar, mas, às vezes, por causa do mundo em que estamos, não temos muita escolha no assunto. Podemos ter trabalho e, portanto, levar tempo (mesmo em momentos fugazes), para honrar nosso espaço e feminilidade no útero com breves meditações e pedir que estamos protegidos. Pessoalmente, durante esse período, se for chamado para o trabalho, honro momentos fugazes e ‘intervalos’ (embora, idealmente, eu estivesse tirando um tempo). Quando durmo, retiro-me para um espaço seguro de cura e rejuvenescimento e confio que o reabastecimento acontecerá nesse momento quando eu entrar no mundo dos sonhos.

O importante é que, não importa quais sejam as circunstâncias, começamos agora e aproveitamos ao máximo o que podemos. Comece com o que você pode fazer agora. Comprometer-se com o momento. AME a si mesmo. O resto se seguirá.

Faça o que faz seu coração cantar

Se você tem um parceiro de apoio ou amigos íntimos, conte-lhes como você se sente sobre esse momento sagrado da lua e discuta com eles como você pode trabalhar juntos para ajudar a honrar isso. Algumas pessoas terão mais simpatia do que outras, por isso seja exigente. Sei que muitos de nós não estão necessariamente cercados de entender as pessoas, mas às vezes é surpreendente quem está disposto a entender se tivermos tempo para explicar de coração.

Acima de tudo, não importa quem esteja ao seu redor, não deixe de se honrar. Faça o que fizer seu coração cantar: dance, toque música, medite, escreva poesia, cuide de suas plantas, leia, tome banho, massageie seus pés, coma chocolate, faça um passeio suave pelas florestas. Se você tem filhos, leve-os para a natureza também. Pode ser que você simplesmente queira descansar e não fazer nada … honre isso!

Seja Super Mulher de uma nova maneira, porque …
Ser ‘super-mulher’ envolve ser vulnerável e se amar também.
A verdadeira força vem da gentileza.

Coisas naturais para ajudá-lo a reequilibrar

Eu encontrei algumas coisas inestimáveis ​​que me ajudam a reequilibrar energias na fase pré-menstrual da manhã, especialmente porque nem sempre tive as energias mais favoráveis ​​à minha volta no passado. Somos todos únicos, então encontre o que funciona para você …

Agnus Castus (Caste Tree) erva
Agnus Castus me ajudou maciçamente às vezes no passado e eu juro por isso. Parece nirvana e, se você é receptivo, a tintura funciona rapidamente. Eu precisava disso durante uma fase mais desafiadora da minha vida, quando tinha menos do que energias de apoio ao meu redor.

Agnus Castus contém compostos que são capazes de ajustar a produção de hormônios femininos. Estudos demonstraram que extratos de Agnus castus podem estimular a liberação do hormônio leutenizante (LH) e inibir a liberação do hormônio folículo estimulante (FSH), o que, em termos simples, sugere que ele tem um efeito semelhante à progesterona. Seus benefícios decorrem parcialmente de suas ações na hipófise, especificamente na produção de LH. Isso pode aumentar a progesterona e ajuda a regular o ciclo da mulher.

Além disso, acredita-se que seja capaz de normalizar a secreção de muitos hormônios, por exemplo, reduzindo os níveis de prolactina e normalizando a relação estrogênio / progesterona.

Leia sobre Chaste Tree – Vitex agnus-castus –

Vitaminas B
Usamos muitas vitaminas B quando estamos estressados; portanto, se somos propensos a ansiedade e estresse durante a fase pré-menstrual, é realmente útil substituí-los tomando um suplemento de boa qualidade.

Mesmo que nossa vida seja mais pacífica, um complexo de vitamina B pode nos ajudar a nos ajustar ao estresse causado por nosso corpo através de alterações hormonais naturais. Tomo regularmente um complexo B de boa qualidade, mesmo quando tenho uma situação de vida mais pacífica e favorável.

B6 tem benefícios particularmente notáveis. Diz-se que aumenta a produção dos neurotransmissores serotonina e dopamina. Baixos níveis desses neurotransmissores podem ser bastante problemáticos e desequilibrados quando estamos na fase pré-menstrual. Aqui está o complexo B que costumo usar na Inglaterra (ele também contém ervas adaptogênicas como rodiola, ginseng siberiano e ashwagandha para ajudar a manter o equilíbrio quando se torna desafiador): Terranova B Complex

Maca
Maca é a raiz de uma planta da América do Sul e vem em forma de pó. Ele tem todos os tipos de propriedades de suporte a hormônios, embora o que mais se destaque para mim seja o ‘adaptógeno’, o que significa que ajuda o corpo a se adaptar e a encontrar equilíbrio em situações estressantes. Uma amiga minha também disse que funcionou para ela (e ela sabia disso, porque depois de adicioná-la diariamente aos seus smoothies, ‘era o primeiro mês em que não sentia vontade de matar alguém!’ … haha, então eu diria isso foi um sucesso lol!).

Escrevi um artigo mais aprofundado sobre os benefícios da maca para o equilíbrio hormonal aqui: Os benefícios da maca para o equilíbrio hormonal

Maca para a saúde hormonal feminina

Exercício O
exercício faz com que as endorfinas fluam e ajuda a liberar hormônios excessivos e energias desequilibradas. Isso pode ser suave ou intensivo.

Tente caminhar rapidamente, ioga, pilates, recuperação, artes marciais, natação – seja lá o que você se sentir atraído – apenas certifique-se de movimentar sua energia.

Se você está com depressão, o exercício é provavelmente a última coisa que você quer fazer. Portanto, é essencial entrar em um ritmo de exercício diário durante o tempo de atividade do resto do seu ciclo. Isso por si só ajudará a diminuir seus sintomas. Isso também significa que é mais provável que você se exercite antes que fique tão ruim. Se você estiver no fundo do desespero, tente fazer algo realmente gentil, como caminhar na grama ou movimentos e movimentos muito suaves (com música amorosa, se puder). O balanço também ajudará a gerar endorfinas e induzir a calma.

Meditação A
meditação pode mudar toda a sua visão da vida, mesmo que esteja apenas respirando de vez em quando.

A meditação não precisa ser mística ou complicada . Sentar-se em silêncio e concentrando-se em grandes e profundas expirações e inspirações pode parecer limpeza e nutrição. Se você tiver a inclinação, faça um relaxamento guiado completo e meditação descontraída na privacidade de sua própria casa. Você pode conferir uma das minhas meditações em áudio profundamente relaxantes para facilitar a paz e a calma aqui:
Relaxe e descontraia a meditação

Amar a nós mesmos – muitas vezes o mais difícil para as mulheres, pois fomos condicionados ao longo das eras a nos colocarmos por último. Dedicar um tempo para parar e fazer alguma coisa, como tomar um banho no banho com óleos essenciais, fazer um deleite deliciosamente saudável, etc. Amar a nós mesmos estimula os hormônios do bem-estar.

Erva Kava Kava
Esta é uma excelente erva anti-ansiedade. Isso nos ajuda a encontrar um espaço de calma e paz interior quando tudo mais falha. Eu tenho usado isso dentro e fora por cerca de 20 anos, quando a necessidade é necessária. Ele tem sido usado com sucesso nas Ilhas da Polinésia do Pacífico há séculos.

Eu gosto de mudar e mudar as ervas que eu uso. Vale a pena procurar opções diferentes que nos ajudem a reequilibrar naturalmente, embora eu diria que uma das coisas mais importantes é reservar um tempo para reabastecer e descansar. É difícil conseguir Kava em vários países europeus (incluindo o Reino Unido); no entanto, ele pode ser comprado no resto do mundo facilmente.

Eu escrevi um artigo aprofundado sobre Kava Kava aqui: Kava, uma erva curativa para encontrar a paz em meio a desafios

Kava Kava - uma erva curativa para a paz em tempos malucos

Massagem
Isso pode aumentar significativamente os níveis de serotonina, dopamina e endorfina, que são benéficos para combater os sintomas psicológicos dos desafios menstruais.

Denunciar este anúncio

Descobri que, se eu encontrar um massoterapeuta com quem eu me identifique, ele pode realmente me ajudar a reequilibrar durante momentos mais difíceis. Acredito que uma das razões se deva ao poderoso papel da serotonina na estabilização do humor. A massagem também estimula a dopamina, que estimula sentimentos de alegria e as endorfinas, que convidam a um fator de bem-estar.

Se você tem um ciclo regular, agende um tratamento de massagem com um terapeuta, alguns dias antes do horário mais vulnerável. Como alternativa, se você começar a sentir a profundidade do desespero, programe um tratamento de massagem improvisada o mais rápido possível. Mesmo se você tiver que esperar um dia ou dois para essa sessão, apenas saber que uma delas está a caminho pode ser como uma pedra na tempestade.

Leia sobre os “efeitos neurohormonais da massagem terapêutica” AQUI

Durma de boa qualidade
Isso pode parecer um pouco óbvio, mas vale um lembrete. O sono é essencial para um corpo saudável. Ajuda o corpo a se desintoxicar, tanto física quanto emocionalmente.

Chocolate vegano cru
Sou um grande fã de abraçar os benefícios de saúde do chocolate ‘saudável’. O cacau demonstrou ajudar a elevar o clima. Ele também contém serotonina, que é um antidepressivo natural.

Certamente posso confirmar e usar chocolate consciente para fins terapêuticos, especialmente na 2ª metade do meu ciclo.

Confira meu vídeo para fazer seu próprio chocolate super saudável e saudável aqui:
Homemade Healthy Chocolate Making Guide

Passe um tempo na natureza
O pulso magnético da natureza é realmente curador. Passar um tempo para se conectar com a energia da Mãe Terra, na floresta, na praia, perto de um rio, no mar. Isso tudo ajuda a realinhar nosso fluxo, voltando a como ele sempre foi projetado para ser.

Você é único! Encontre o que funciona para você. Existem muitas maneiras diferentes de ajudar a reequilibrar naturalmente, embora eu diria que uma das coisas mais importantes é reservar um tempo para reabastecer e descansar.

Denunciar este anúncio

Importância do que chamamos de “período”
Um último ponto digno de nota … Pode ser útil renomear nossa época do mês ou “período” para algo mais bonito (isso ajuda a deixar de lado as associações negativas com a menstruação).

Conheço muitas mulheres que escolhem a palavra “moontime” em homenagem à natureza cíclica do ciclo mensal e às energias introspectivas da lua.

Honre esse ciclo sagrado por si mesmo e deixe a energia inspirar as pessoas ao seu redor.

////

Períodos e menstruação, uma perspectiva espiritual


No nível físico, um período ou menstruação é o sangramento que ocorre vaginalmente nas mulheres como resultado de seu ciclo mensal de fertilidade.   O ciclo médio da mulher dura entre 23 e 35 dias.   Há muita variabilidade entre os períodos entre as mulheres, mas, para o entendimento básico, os períodos geralmente começam entre os 11 e os 14 anos e continuam até a menopausa, que tem cerca de 50 anos.   O período médio dura de 3 a 5 dias e a gravidade do sangramento durante esse período varia muito de mulher para mulher.   O ciclo mensal de fertilidade de uma mulher começa com um período.   Durante um período, o revestimento do útero (que inclui nutrientes e sangue) é eliminado como se estivesse sendo renovado.   Então os folículos nos ovários se desenvolvem e geralmente um ovo domina.  Enquanto isso, o corpo acumula o revestimento do útero novamente com sangue e nutrientes.   Prepara o corpo para fertilização e gravidez.   O óvulo maduro é então liberado, chamado ovulação.   Isso geralmente acontece em algum lugar no meio do ciclo de uma mulher.   Uma vez liberado pelos ovários, o óvulo viaja pelas trompas de falópio de uma mulher e é fertilizado pelos espermatozóides ou não.   Se for, ele se implantará no revestimento do útero da mulher e se transformará em um bebê.   Caso contrário, o óvulo morrerá dentro de 2 dias e sem os níveis hormonais desencadeados pelo implante, a diminuição dos hormônios faz com que o revestimento do útero se quebre e uma mulher começa a eliminar esse revestimento.  Este é outro período e é considerado o início de um novo ciclo. Como sempre, há muito mais coisas acontecendo do que aparenta.   Há muito mais a tomar consciência em relação a períodos do que a simples mecânica física de um período.   Mas para entrar nesta parte, tenho que entrar em uma pequena tangente.   Graças à tirania da religião patriarcal, que demonizou todas as coisas mulher e pintou as mulheres como pecadoras originais, de modo a usar a vergonha como uma ferramenta de controle, os períodos foram considerados pecaminosos e impuros.   Na sociedade dominante, temos a mesma atitude em relação a períodos que temos em relação a outras formas de desperdício corporal.   Se vamos realmente acessar a verdade sobre os períodos, teremos que transcender esse modo de pensar distorcido. 

Também vou ser sincero com você e dizer que, da perspectiva de uma mulher, quando um homem é sensível ou resistente ao sangue menstrual, é um desligamento sério e faz você sentir que ele não é homem o suficiente para segurar e valorizar a totalidade de você.   Pelo contrário, quando um homem não tem medo de nada e, mais ainda, quando o aprecia, é uma excitação.   Parece que ele é capaz de segurar e valorizar a totalidade de você.   E se você é resistente ao seu próprio sangue menstrual, significa que não pode manter a totalidade de si mesmo.   Isso significa que você está se aproximando de você e, principalmente, da sua própria feminilidade com uma atitude de vergonha.   Com esse conceito em mente, sugiro que você assista dois dos meus vídeos no YouTube que se relacionam muito com o tópico deste vídeo.  O primeiro é intitulado: Divino Feminino e o segundo é intitulado: Divino Masculino.

Alguns de vocês já devem ter ouvido falar dos quatro ciclos da vida de uma mulher.   O primeiro sendo donzela, mãe, maga e crone.   Curiosamente, cada um desses ciclos da vida de uma mulher se correlaciona diretamente com os ciclos das estações do ano na terra.   Primavera, verão, outono e inverno.   Você pode sentir a energia dessas estações.   O ciclo menstrual também é dividido em 4 fases.   Estas 4 fases correspondem às estações da terra.   Portanto, o ciclo mensal de uma mulher é um ciclo menor dentro de um ciclo maior.   Se uma mulher estivesse em sintonia com sua energia natural inata, ela seria compelida durante cada fase de seu ciclo (cada fase dura cerca de uma semana) a se comportar de maneira diferente, assim como as estações do ano.  Mulheres de todo o mundo discutem sobre qual fase do ciclo menstrual corresponde a qual estação.   Para ser sincero, sinto que seu próprio corpo lhe diz.   Por exemplo, em termos de ciclos de energia em meu próprio corpo, sinto que a primavera em meu corpo geralmente começa quando paro de sangrar.   Mesmo que um médico diga que o primeiro dia da minha menstruação é o início de um novo ciclo, isso não me parece assim.   A cessação do sangramento parece o início da primavera no meu corpo.   O tempo em torno da ovulação parece verão para mim.   O tempo entre a ovulação e a menstruação parece outono para mim e o inverno começa alguns dias antes de eu sangrar, quando começo a sentir os sintomas da diminuição dos hormônios no meu corpo. 

Se estou aderindo aos ciclos naturais do meu próprio corpo, durante a fase da primavera, percebo que tenho todo tipo de novas idéias, pensamentos e projetos.   Geralmente me sinto compelido a limpar a casa e organizar as coisas como se elas estivessem se renovando.   Durante a minha fase de verão, me sinto cheia de energia.   Me sinto madura, me sinto cheia de desejo e super sexual.   Sinto que o momento está sendo adicionado a todas as idéias e projetos que comecei na fase da primavera.   Eu me torno intensamente interessado em outras pessoas e me torno muito mais social. Durante minha fase de outono, sinto que as coisas se tornam mais completas e resolvidas.   Sinto-me inclinado a amarrar pontas soltas.   Também sinto vontade de colher os frutos das coisas que comecei e ganhei impulso durante minha fase de primavera e verão.  Durante minha fase de inverno, sinto que tudo está limpando.   Está sendo criado espaço para um novo começo.   Sinto-me intensamente introvertido e gosto de descansar.   Quero evitar a pressão e não quero tomar nenhuma decisão.   Eu quero reavaliar minha vida.   Sinto vontade de voltar à terra e sinto que preciso de mais nutrição e tranquilidade.   Sugiro que, em vez de deixar alguém fora de você lhe dizer o que você deve fazer durante cada fase do seu ciclo, você pode deixar sua própria intuição dizer com base em como você se sente, o que seu próprio ciclo está chamando você para fazer e quando.

Entre você e eu, se você não percebeu, as mulheres são um pouco ‘loucas’ hoje em dia.   E uma grande parte disso é porque as mulheres não seguem mais seus ciclos menstruais.   Eles precisam suprimir, negar e repudiar esses ritmos naturais em seu corpo, a fim de atuar consistentemente na sociedade.   De fato, muitos dos sintomas negativos do ciclo menstrual que as mulheres experimentam são o resultado de não seguir esse ritmo interno e essas mensagens internas que seu corpo está enviando a ela sobre sua própria condição, necessidades e verdades.   A atitude que precisamos adotar em relação aos nossos próprios sintomas é: “Se isso estivesse expressando uma necessidade interior que eu não estava ouvindo, tentando fazer com que eu fizesse algo, o que estaria me dizendo para fazer e atender a essa necessidade? ”   Por exemplo, eu estou tendo cãibras.  As cãibras estão me forçando a recuar do mundo e parar de me mover e apenas estar presente comigo mesma e me nutrir para realmente sentir, ouvir e lidar com o que está acontecendo comigo.   Talvez seja isso que eu realmente preciso, mas tenho me focado tão externamente em realizações ou em agradar outras pessoas que tenho ignorado essa necessidade.   Todos nós, homens ou mulheres, precisamos adotar a ideia de que nosso corpo está constantemente conversando conosco.   Como mulheres, nosso ciclo menstrual está constantemente conversando conosco sobre nós mesmos.                      

Eu tenho uma palavra para você quando se trata do ciclo mensal de uma mulher … Magia.   Os períodos são altamente esotéricos.   De fato, antes de perdermos o contato com os ciclos da natureza, criando uma vida que não girava em torno deles, como a eletricidade, para que nossas vidas não girassem em torno do ciclo do sol, os ciclos das mulheres estavam sincronizados com o ciclo da natureza. a lua.   As mulheres, saudáveis, ovularam quando a lua estava cheia e sangraram na lua nova.   As mulheres também foram sincronizadas umas com as outras.   Eles sangrariam ao mesmo tempo. Nas culturas antigas, esse tempo era sagrado e as mulheres recuavam para ficar juntas, nutrir-se e se respeitar, além de respeitar o processo da menstruação.  

Para dizer o mínimo, nossa sociedade moderna destruiu as mulheres em muitos níveis.   Também destruiu os homens.   Mas este episódio é sobre mulheres.   A sociedade se desenvolveu de tal maneira que as mulheres não têm idéia sobre seus ciclos mensais e sobre o que seu próprio ciclo está lhes dizendo sobre si mesmas.   Somos criados em uma sociedade que valoriza a capacidade de manter a estase.   Isso significa que é considerado bom se não estivermos à mercê de qualquer flutuação e, em vez disso, pudermos nos sentir da mesma maneira todos os dias e executar o mesmo todos os dias, especialmente se esse desempenho for produtivo.   A pior manifestação disso, de longe, é que agora temos pílulas anticoncepcionais que são muito mais do que apenas contraceptivas.  Eles são capazes de suprimir períodos por meses seguidos, se não inteiramente, para que as mulheres não tenham ciclos.   Não posso enfatizar com bastante veemência como isso é prejudicial para uma mulher.   O ciclo de uma mulher não está apenas afetando seu ventre.   Está afetando seu corpo inteiro, bem como sua mente e emoções.            

A lua ficando cheia é um momento em que a energia está se expandindo para fora.   É focado externamente e pronto para a criação.   A lua nova é uma época em que a energia está se retraindo para dentro.   É focado internamente e pronto para a introspecção.   Você pode pensar nisso também como uma expiração e uma inspiração.   Funciona da mesma maneira para os ciclos das mulheres.   Foi e ainda é fundamental que as mulheres adiram a esses ciclos de foco externo e interno.   É fundamental que o tempo do período seja dedicado à introspecção, reflexão e tempo de inatividade, tanto quanto possível.

Em um nível energético e até físico, o sangue menstrual é projetado para nutrir e dar vida própria.   Não é apenas sagrado e, portanto, poderoso quando usado em cerimônias; é tão vital que tem a capacidade de curar.   Sabe-se que as culturas antigas que entendiam isso usavam o sangue menstrual como bebida para pessoas doentes e como pomada e como uma maneira de reviver pessoas, animais e plantas que estavam em declínio.  O útero se renova a cada mês.   As propriedades energéticas deste sangue também são as de renovação e renascimento, criação e vida.   No futuro, a ciência provará que materiais como células-tronco contidas no sangue menstrual têm essas propriedades e esses materiais serão utilizados no tratamento médico padrão.

Para mim, é triste que tenhamos caído tão profundamente na doutrinação contra nossas próprias naturezas sagradas como mulheres que consideramos um dos aspectos mais mágicos de nossa personificação como indesejados, impuros e vergonhosos.   Na verdade, é um trágico desperdício que todos os meses deixamos essa vida sagrada derramar líquido em tampões e almofadas que jogamos no lixo como lixo.   O mundo moderno de hoje não suporta ciclos nem nossa necessidade de fluir com esses ciclos.   Então, eu sei que não será possível para todos, mas, se possível, o sangue menstrual precisa ser devolvido à terra.   Isso nos coloca de volta em contato com a terra como mulheres, honra o sangue da vida e também restaura a vida na terra.  Existem muitos produtos disponíveis (até hoje para a grande maioria) que permitem às mulheres coletar o sangue da menstruação e fazer com ele o que gostam …   Como despejar em plantas que não estão indo bem ou restaurar áreas que são drenadas de energia ou poluído.   Ou usá-lo em hortas.   Ou usá-lo para liberar simbolicamente as coisas nas cerimônias.   Ou oferecê-lo à terra com uma oração de algo que ela deseja manifestar.   

É importante que mudemos nossa atitude em relação ao sangue menstrual.   Isso afeta muito a saúde, a vitalidade e a qualidade do próprio sangue.   Precisamos ressuscitar o sangue menstrual de um estado de vergonha.   Eu sugeriria que, para voltar a entrar em contato com a força vital de sua feminilidade divina, você crie algo especificamente com seu próprio sangue menstrual.   Por exemplo, muitas mulheres que desejam abraçar seus períodos estão começando a fazer pinturas yoni.   Uma pintura yoni é uma pintura que é feita usando o meio de sangue menstrual em vez de ou em adição a outro meio, como tinta.  Talvez a melhor maneira de começar seja sentar na frente de um papel ou tela e permitir que a energia do seu ventre domine todo o seu corpo quase como se estivesse sendo possuído pela sua energia feminina divina única.   Você então deixa que a energia use a mão para desenhar o que parecer inspirado, mas com o sangue fresco que você coletou.             

Quando sangramos, conscientemente podemos aproveitar essa oportunidade para nos concentrarmos em liberar e abandonar qualquer coisa que desejemos deixar de lado.   Podemos desintoxicar e limpar em um nível emocional, físico e mental.   A energia dentro de nossos próprios corpos é favorável para deixar ir qualquer coisa que não nos serve mais, para que possamos começar de novo.   Se você pratica Tonglen ou outras práticas de compaixão, também pode usar esse tempo para realizar cerimônias de libertação e meditações para outras pessoas ou para a humanidade em geral.

Em um nível metafísico, o sangue menstrual é imbuído de todas as suas informações genéticas, que incluem memória, forças e conhecimento.   Ele também carrega toda a linhagem ancestral que criou você.   Utilizar esse sangue em cerimônias destinadas a obter conhecimento sobre si mesmo e se curar, bem como adquirir conhecimentos antigos ou curar feridas ancestrais cria resultados incríveis.   De fato, as culturas antigas costumavam colocar esse sangue no terceiro olho e até nos chakras, a fim de abrir uma pessoa para essas informações pessoais e ancestrais multidimensionais.

Como o tempo em que uma mulher sangra é um momento tão intenso de introspecção e reflexão e porque uma das principais manifestações do feminino divino é a sabedoria, use o tempo em que você está sangrando para recuar mais e entrar em contato com essa profunda sabedoria dentro de você ( um pouco como uma pessoa faria se fizesse um retiro meditativo) para que você possa compartilhar isso com outras pessoas e usar essa sabedoria para suas criações no próximo ciclo.

Tente durante a fase de sangramento do seu ciclo sempre que puder reduzir sua exposição a eletrônicos e use a luz de velas quando escurecer.   Se você puder se expor ao luar todas as noites por um certo período de tempo, faça isso. Isso pode ajudar bastante a regular seus hormônios e o ciclo.

Saiba que da mesma maneira que a lua reflete o sol, seu período é um reflexo direto de sua vida que o antecedeu. A maneira como seu período se manifesta é um reflexo direto de coisas como a comida que você comeu, os pensamentos que você pensou, as condições emocionais que experimentou, o quão bem você ouviu e prestou atenção em seus ritmos internos, sua sabedoria e necessidades.   Portanto, se você quiser alterar o período, faça uma alteração nesses elementos da sua vida.

Se você se sente chamado a fazê-lo, reserve um período durante a menstruação para fazer o que tantas mulheres no mundo antigo fizeram, que era reunir-se com outras mulheres.   Esse estado de conexão pode ser muito nutritivo e você pode compartilhar sabedoria uns com os outros.   Você também pode fazer uma cerimônia coletiva voltada para algo como a liberação ou a celebração da menstruação ou da feminilidade.

Uma das maneiras mais fáceis de honrar esse período do seu ciclo é comprar certas jóias ou pedras preciosas ou mesmo peças de roupa e usá-las, como se fosse cerimonial durante o período em que você sangra todo mês.   Você pode escolher coisas com a cor vermelha para seu simbolismo.   Na minha opinião, as pedras mais favoráveis ​​a esse propósito são: granada, pedra de sangue, rubi, jaspe vermelho, ágata vermelha, quartzo rosa, coral vermelho, malaquita, pedra da lua, cornalina, ametista e turquesa.   Deixe seu útero ou energia feminina divina única ser o aspecto de você para selecionar a pedra que mais ressoa ou é mais necessária para apoiar a fase sangrenta do seu ciclo. 

Quanto mais você abraça e se torna uma personificação de sua própria expressão única do feminino divino e mais adere aos ciclos naturais que ocorrem em seu corpo, juntamente com as mensagens que eles lhe falam de dentro, mais agradáveis ​​serão seus períodos.   É compreensível que as mulheres não gostem de menstruação e as considerem uma punição quando ter uma não é compatível com o que é esperado de nós pelo mundo.   Mas não podemos viver em resistência a uma parte de nós mesmos.   Nós, como mulheres, sangraremos em média 10 anos de nossa vida.   Isso significa que uma média de 3.500 dias de nossa vida será gasta em nossos períodos.   Pense na dor que nos causará se estivermos resistindo a ela em vez de celebrá-la.