Início » MENSTRUAÇÃO, CORPOS FÍSICO & SUTIL, GINECOLOGIA NATURAL & HOLÍSTICA

MENSTRUAÇÃO, CORPOS FÍSICO & SUTIL, GINECOLOGIA NATURAL & HOLÍSTICA

LILIANA POGLIANI: MENSTRUAÇÃO, CORPOS FÍSICO & SUTIL, GINECOLOGIA NATURAL & HOLÍSTICA

Fonte: https://mataviva.tumblr.com

Observar o sangue menstrual deveria ser um hábito para todas as mulheres que se encontram em idade fértil, já que o mesmo guarda dados valiosíssimos sobre como nos encontramos fisicamente.

A regularidade ou não, a quantidade, consistência, aspecto, cor e odor são observações importantes que enriquecem nosso histórico de saúde ginecológica.

Do meu ponto de vista e fazendo uso da minha experiência de mais de 20 anos de trabalhos com mulheres é de suma importância também porque nos conecta com o que somos, em definitivo, mulheres.

Compartilho com vocês uma pequena síntese do que considero importante observar:

Quantidade: um padrão comum para a grande maioria das mulheres para saber a quantidade de sangue é relacioná-lo com a quantidade de absorventes usados. Para o taoísmo, o ideal seria menstruar pouca quantidade (um marcador pelo meu entendimento, somente uns filetes menstruais por dia, molhar apenas um absorvente), mas esta realidade é muito distante para um grande número de mulheres e tem a ver com o estilo de vida moderno, no qual a alimentação desnaturalizada e as formas masculinizadas de viver fazem com que este padrão antigo não seja uma realidade atual, embora seja importante tê-lo em conta para ter uma ideia do que é saudável. As mulheres que têm necessidade de trocar continuamente o absorvente (ou o coletor menstrual), principalmente no segundo dia do ciclo, estão precisando trabalhar o autodomínio, a aprender autocontrole, há algo nelas que está transbordando a nível emocional e está se manifestando externamente através da menstruação.

Odor: a menstruação não deveria cheirar mal, senão simplesmente a sangue. Quando o odor é fétido, nauseabundo, é preciso observar cuidadosamente o que está acontecendo a nível ginecológico, investigar mais profundamente (infecções, alimentação inadequada, fígado sobrecarregado, etc). Lembremos que a menstruação limpa o corpo feminino, então também quando a mulher se encontra dentro de um programa de limpeza é provável que os primeiros ciclos cheirem mal.

Aspecto: o sangue menstrual é composto por sangue, células de refugo ou descamação de tecido (endométrio) e substâncias de refugo. Uma parte do mesmo provém do sistema capilar (sangue) e outro, de cor amarronzada, do endométrio desprendido. Quando o sangue menstrual está carregado e escuro e se apresenta como grão de cor café, isto nos fala de um fígado enfraquecido, de modo que se deveria trabalhar com limpezas hepáticas, colonicas e uterinas para limpar profundamente.

Quando o sangrado menstrual é muito líquido, rosado, deveria se analisar se a mulher não está um pouco anêmica e observar o plano emocional, ligado à alegria, à gana de viver, ao entusiasmo e, uma vez registrado isso, fazer as modificações necessárias para levantar o ânimo. Se pode trabalhar o ponto de vaso concepção 17 para abrir o coração. Os coágulos são normais quando aparecem alguns poucos durante os primeiros dias da menstruação e são devidos ao desprendimento da capa endometrial, que libera estes ditos coágulos, o que é totalmente esperado. Quando se observa uma quantidade muito grande de coágulos na menstruação, grandes, espessos e muito sólidos ou o aparecimento de bolhas, pode ser devido à entrada de algo frio no útero que faz com que o tecido não se dilua facilmente.

Além da cor vermelha do sangue e do marrom do tecido endometrial, também pode conter algo como o muco cervical (se observa como uma gelatina de cor esbranquiçada). O muco transparente que acompanha este tipo de menstruação é o fluido cervical e uterino que sempre está presente no nosso organismo, mas sai ao abrir-se o colo uterino, com as contrações uterinas que acompanham a menstruação e, portanto, é normal.

Quando a mulher continua manchando a roupa íntima além dos dias menstruais, o trabalho interno para ela estaria relacionado com “um útero que está chorando”. Lembremos que o útero é um órgão de prazer e poder, então há uma ferida interna que a mulher deve sanar para poder recuperar seu útero e preenche-lo de prazer-paixão-amor.

As menstruações muito dolorosas nos falam de pouca aceitação da mulher com seu lado mais sutil (o sentir profundo, o silêncio, o vazio) e corporeidade feminina.

Até aqui, uma pequena síntese de um autodiagnostico menstrual. Se observar que algo não está de todo bem com a sua menstruação seria bom avaliar a possibilidade de realizar uma consulta com alguém entendido na matéria (ginecologia natural) e ir aprofundando no tema, até conseguir entender você mesma o que está acontecendo no seu corpo físico e emocional e aprender a se autorregular