Artigos do Portal:
#Deusas Maias#Chá para o Parto – Chá Mexicano#Artigo ou Artigos Indicados da Semana:#A Deusa Inuit Sedna#Changelings – Lendas das crianças trocadas#Gaulesas e Gauleses e as Divindades Celtas#Origem da Festa Junina#Festival Folclórico de Parintins#História e Origem das Festas Juninas na América#Anat, Deusa antiga Cananita#Óleo de Abramelin#Deusas Celtas#Mitos e Lendas Eslavas#Cartimandua e Boudica (Boadiceia)#Zorya, Deusa Eslava da Luz#Reavivando o Divino Feminino por meio de histórias e tradições celtas#Reino de Hel: A Deusa Nordica do Submundo – Indo e voltando para o inferno#Fiar e tecer, as artes mágicas femininas e maravilhosas associações#História Celta relacionada ao Mito do Rei Arthur#Cailleach: Mito Irlandês, Lenda e o Feminino Divino#Mitos e Estações no céu Tupi-Guarani#Deusas da Natureza#Druidas femininas, as sacerdotisas esquecidas dos celtas#Deusa Nemetona#A luta de Elizabeth Packard contra a tirania legal dos maridos#Baalbek – Templos de mais de 5000 anos – Deusas Venus / Atargatis#Al-Lāt, Allat, Allatu ou Alilat , a deusa árabe pré-islâmica#Tir na nOg e Tuatha De Danann#Oráculos no Druidismo / Oráculos Druidas#Um Ogham para os Montes Apalaches#Awen, a inspiração divina: princípio central na tradição druida#Atlantida, a civilização anterior a atual#Mulheres na sociedade Maia#O princípio feminino: uma ideia em evolução#Yoni e ‘Sheela Na Gig’#Deusas Nativas do Brasil e os mitos de mitos#Os Nativos do Novo Mexico (Norte America) Zuni e Puebloans Ancestrais#Maria Madalena / Maria Magdalena#Mehrgarh – sitio arqueológico neolítico (datado de 7000 aC a 2500/2000 aC – Paquistão)#A PODEROSA ORAÇÃO AO PLANETA DE MAIS DE 500 MULHERES NO VALE SAGRADO DO PERU#Monte Ararat#Alfabeto siríaco#Monte Nemrut / Nemrud#Maitreya (as três mães) se encarna#Compreendendo a filosofia de Shiva-Shakti através de ‘Ardhanarishvara’#Shakti e Kali#Sobre Magia#As Eras Glaciais – A História da Ciência sobre o tempo antes do auge da Civilização Ariana#Sonhos lúcidos podem nos aproximar de experimentar a “realidade” não dualista do que acordar a meditação#Honrando nosso sagrado ciclo feminino ‘tempo da lua’#Atlantida e os deuses antigos#Artemis#Doze mulheres famosas da idade média#Jezabel: princesa de Sidom, rainha de Israel#Hormônios e seu ambiente – Quando se trata de hormônios, há mais de um “normal”#Os ciclos femininos, ciclos de fertilidade e menstruação nas Culturas Nativas#Ereshkigal – Deusa Crone, Deusa do Submundo e da Morte#Deusas Crone – As Mães das Sombras, da Morte#Deusas Incas#Deusas da Água – Deusas do mar, dos rios e lagos#Deusas do Fogo#Recomendações da medicina tradicional chinesa para ajudar a aliviar as dores do período menstrual#Maré – a força do Sol, da Lua e outros astros sobre a Terra#Mais artigos para ginecologia natural: plantas, ervas#A civilização mais antiga do mundo é ainda mais antiga do que se pensava#Antropologia Feminista#Abraçando o feminino divino, a escuridão, a sombra e tudo#Deusas nativas americanas#Coatlicue, deusa mãe asteca#Ginocentrismo e Androcentrismo#O Feminino nas religiões#Amphitrite / Salacia: A Deusa contraparte de Netuno / Poseidon#CORRESPONDÊNCIA ENTRE PLANTAS E PLANETAS: UM GUIA DE ASTROBOTÂNICA PARA PREPARAR REMÉDIOS MÁGICOS#CORRESPONDÊNCIA ENTRE PLANTAS E PLANETAS: UM GUIA DE ASTROBOTÂNICA PARA PREPARAR REMÉDIOS MÁGICOS#O Sagrado Feminino pelo Budismo Vajrayana#Volvas – Mulheres ‘xamas’: as temidas e respeitadas Profetisas, Sábias, Sacerdotisas, Videntes nórdicas#A Adoração de Deus na forma feminina#Atma Shakti pela abordagem do Yoga#As Bruxas do Brasil Colônia#Os Planetas/ Astros na astrologia#Atargatis: uma deusa síria adorada nos primeiros séculos dC.#Ecofeminismo(s): Por Que Mulheres, Animais e Natureza Sob o Mesmo Olhar?#Disfunção Sexual Feminina#Anatomia Genital Feminina#Ginecologia natural: o poder das ervas a serviço da saúde da mulher#Ginecologia natural: um caminho para a humanização do cuidado#MENSTRUAÇÃO, CORPOS FÍSICO & SUTIL, GINECOLOGIA NATURAL & HOLÍSTICA#Diu de Cobre – Métodos contraceptivos não hormonais#O que você deve saber sobre os octagramas – estrelas de oito pontas#Sete raios#Empatia nos cuidados de saúde da mulher#Ginecologia Ayurveda#Passos positivos para se estabelecer para a gravidez pela Ginecologia Tradicional Chinesa#Ginecologia na Medicina Chinesa – Ginecologia Tradicional Chinesa – Oriental#Astrologia egípcia e signos do zodíaco egípcio#O Feminino Divino nos Contos de Fadas#Sirius – Estrela Nobre e Divina#Quiromancia#Shamans Göbekli Tepe e seus símbolos cósmicos e Shahmaran#Mulheres antigas xamãs da Irlanda: curandeiros, sacerdotisas e adivinhos#Shakti – seus significados#Imagens do Feminino Ancestral: Reconhecimento de Padrões, Através do Espaço e do Tempo#O keebèt e a cerimônia feminina no Chaco#Notre Dame de la Vie: Nossa Senhora da Vida#Templos da Deusa na Ásia Ocidental#Atete, Deusa do Povo Oromo no sul da Etiópia#Rainha de Saba / Sabah / Shaba – Makeda, Bilqis#Matriarcado, Matrilinearidade,#Mãe Menininha do Gantois#A rabina Léah Novick#A natureza divina das mulheres naturalmente – um desafio do século XXI#Citações do Feminino Divino#O poder da Irmandade / Fraternidade Feminina ou Sororidade#Influencias da Lua, dos planetas e outros astros sobre a terra#Sobre a Vagina, a Vulva e soluções naturais para alguns problemas#Runas – História, Mitos e Significados dos Símbolos#Madeiras para fazer varinhas mágicas#Dualidade Mútua: Yin Yang / Shiva Shakti#Plantas para reconexão feminina#O Feminino Divino está em Ascensão#Pindorama – O Brasil Nativo, O Brasil Ancestral – e Abya Yala#Astros de tônicas femininas para encontrá-los e entender o feminino no seu mapa astrológico#Florais para as mulheres#Ervas e plantas para a cura dos disturbios femininos – ervas e plantas para mulheres – Ginecologia Natural#Vênus e as Plêiades!#Código e Contemplação da ética das Sacerdotisas#Purificação, Consagração e Carregamento de objetos#Plantando um jardim mágico – Plantas Mágicas#Jóias egípcias antigas arrancadas do monte funerário da “princesa virgem” na Siberia, montanhas de Altai#Ervas, plantas e magia#Tuatha De Danann#Os Duidas#Moura Encantada#Poder dos Metais – Propriedades Magicas dos Metais#De Tonantzin Coatlicue à Virgem de Guadalupe: o que Elas têm em comum#Magia dos tecidos: A Cosmovisão Andina Através da Tecelagem#Deusas da Cura#As Hostes Angelicas – de Geoffrey Hodson#Os Anjos#Astrologia do Centro Galáctico – o centro galáctico no mapa astrológico#Tonalidade cósmica – o significado sagrado da tartaruga#Deusas hindus. Lakshmi, Sarasvati e Parvati (Sati, Durga e Kali)#A lenda hindu do dilúvio de Manu e o relato bíblico de Noé#A Deusa Ganga e O Ganges: o rio sagrado do hinduísmo#Qhaqoy – técnica massagem andian#simbolos para os principios#Ativando a Prosperidade#Sobre o que é Sombra#A Menstruação é realmente ‘normal’ ou ‘natural’? (do ponto de vista muito ancestral)#Ogham / Ogam – Alfabeto Celta – Druida#A Jornada de Inanna: A descida de Inanna ao submundo: uma obra-prima literária de 5.500 anos#Shakti – Invocando sua energia feminina#Deusa Mãe (Ninmah, Nintud / r, Belet-ili e Nin e Ninhursag)#Principais desastres ambientais no Brasil e no mundo#Salto de Sete Quedas – SALTOS DEL GUAIRÁ – O fim das maiores cachoeiras do mundo#Meses da árvore celta – 13/treze divisões lunares#Plantas harmonização hormonal#Magia, Magia Cerimonial e Teurgia#A Mãe Divina#Shakti – Na astrologia oriental e numerologia#Planetários e quadrados mágicos –#Artes divinatórias e práticas mânticas#Tarot: A Rota ou Roda das Experiências das civilizações antigas#Deusa Asherah – Representação Feminina do Sagrado, a Deusa de Israel#A Grande Deusa – Histórico#A Mais Antiga Oração Dirigida à Maria Datada Do Ano 250 d.C#Áreas reflexas femininas do corpo físico-etérico#Lilith#A Humanização do Parto e do Nascimento#Nomes Xamãs#Animais com fêmeas dominantes#Uma não definição de “xamã”#Enheduanna – A poeta e Alta Sacerdotisa acadiana#O Panteão da Mesopotâmia – Mitologia Mesopotâmia#Tiamat#Lista de ocultistas e escritores ocultistas#Plantas e seus benefícios#Reflexões de uma antropóloga e mãe: ‘O que aprendi com índios sobre educação infantil’#As “Montanhas Sagradas”, o Centro das Montanhas Mágicas da Mantiqueira – Aiuruoca#Serra do Roncador#Instrumentos Musicais Indígenas#O poder das raízes: As plantas falam umas com as outras pelas suas raízes#As mulheres e produção de óvulos: mulheres nascem com óvulos em seus ovários#Escritos e Evangelhos Apócrifos#Astarte, Astoreth, Ashtarot, a verdadeira origem de Venus e Afrodite#Deusas em Transformação:#Exercícios Kegel: Exercícios Musculares Pélvicos#Alquimia Feminina: Cultivo Feminino#Hypatia de Alexandria#Sírius, a estrela da realeza#Quem é Baphomet?#Maquiagem com produtos naturais (maquiagens veganas, naturais e caseiras)#Ēostre – A Deusa da Origem da Páscoa#Arqueólogos encontram vestígios de civilização desconhecida na Amazônia#Inanna – Ishtar – Astart (Ashtoreth)#Apsaras#Sobre a Frequência 432 e afins#A Era de Aquário#Evangelho de Maria#Quando Deus era mulher: A civilização das deusas gordas#Aradia#Porque precisamos de energia feminina no mundo#Mudanças no campo magnético da Terra#Associações de apoio às mulheres pelo mundo#Como a sabedoria das mulheres estava perdida#Ondas Cerebrais e Meditação#O Movimento do Sagrado Feminino ou Divino Feminino#A lenda de Mulan: a jornada da mulher e do feminino#Jornada de Cura – integrado as jornadas dos heróis e heroínas#Marija Gimbutas e a Deusa#Jornada da heroína: a narrativa mítica da mulher#Diferenças entre Signos e Constelações#Centro Galáctico#108 Siddhas Femininas, Dakinis, Yoginis e tântricas#Mulheres nas religiões#Casa da Virgem Maria na Turquia#As Mulheres na Cultura Védica#A Jornada da heroína e os ciclos de morte e vida#Elementos da meditação ativa:#Shakti Sadhana – Disciplina espiritual hindu (combinação de prática védica e tântrica)#Fases da Lua de 1900 a 2060#Informações básicas e interessantes da Astronomia#Locais importantes relacionados ao Caminho Evolutivo da civilização Ária#Samhain#Deusas da Mitologia no Brasil#A Centralidade da Feminina Divina – Shakti – no Sufismo#LILITH, O grande misterio do feminino selvagem#O que é Ginecosofia / Ginecosophia – Ginesofia / Ginesophia#Pleiades – pela Teosofia#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (ciganas)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (indianas)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (orientais, árabes)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (flamenco e salsa)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (brasileiras)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (hawaianas, polinesia, tailandesas, chinesas outras)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (árabes – dança do vente, orientais tribais, indianas fusion e afins)#Mandala#Grupo Mawaka#Outras Músicas#Sarasvati, Lakshmi, Parvati – As Três deusas, Shaktis supremas do induísmo#Yasodhara#Yasodhara#Céu Real – Céu Astronômico do momento (Efemérides Astronômicas)#Beltane#Mulher Shaman / Mulheres Xamãs#Maha Devi – Lalitha Sahasranamam – Os 1000 nomes de Lalitha / Lalita#Dança Duende – Danza Duende e ‘El Duende’#Mulheres Heroínas Indígenas#Apu (divindade) – Os Espíritos da Montanha do Peru#Mitos e lendas: Paititi, uma importante cidade perdida dos Incas#Caminho do Peabiru – Caminho utilizado pelos nativos ancestrais sul-americanos, ligando o litoral ao interior#SHAKTI-SHIVA e a Cosmogênese – Os mistérios da origem do humano e do universo#Qoya – A Rainha-Sacerdotisa Inca#Ginecologia Natural – Naturologia Feminina: Saúde da Mulher#NEFERTITI, a Bela e Poderosa Rainha do Egito – A Grande Rainha do Nilo#Recebemos as mitocôndrias de nossas mães: maioria dos seus genes são oriundos de sua mãe.#Mulheres Incas#Hello world!#Deusas indianas e o significado de suas imagens#História das mulheres#Musicas Danças#RECONEXÃO Caminho Sagrado Feminino: Práticas Essenciais#O que é o Feminicídio ou femicídio#Gênero Feminino#Políticas públicas de combate à violência contra a mulher#Movimentos pelos Direitos da Mulher#Atos Internacionais – convenções que se referem às mulheres (Diretos da Mulher 2)#Direitos da Mulher#Helena Blavatsky#Mulheres em luta: Mulheres revolucionárias#Sobre o Útero – O Cálice Sagrado (pela abordagem do xamanismo tolteca contemporaneo)#Sobre Alquimia Interior – Alquimia Feminina – Respiração Ovariana – (pela abordagem do Tao Universal)#Tambores Xamânicos Sagrados#Xamanismo Huna (Hawai) e o Ho'oponopono#Atlantida, uma civilização matriarcal esquecida#Elementais da Natureza#Pedras de Poder#Os cristais e o ventre#Equilíbrio hormonal da mulher 2 – A importância da Progesterona#Equilíbrio Hormonal da Mulher#Por que nem todas as fêmeas menstruam? ….#Shakti#O Sagrado Feminino e a Deusa Gaia Manifestada#Os Mistérios de Vila Velha (Ponta Grossa – PR – Brasil)#Mistérios Brasileiros Famosos#As Deusas Védicas#O Poder das Plantas#Pesquisa revela o poder das mulheres Incas#Profecias dos Incas Q’ero#Mulheres da Floresta#ZENEIDA, A PAJÉ DO MARAJÓ#Mulheres Pajes – As xamas nativas brasileiras#A Sabedoria dos Incas e Andina e os resquícios de uma sabedoria sagrada feminina#A CHAKANA – A Cruz Andina ou Cruz Quadrada – a ponte entre os mundos#Acllas, as Sacerdotisas do Sol – Mulheres Sagradas dos Andes (sacerdotisas incas)#Princípios dos Povos Andinos#Pachamama#Herbologia mística – o poder das ervas e plantas#O Poder dos Cristais#O Poder das Flores – O Povo Flor#A Lenda das 13 Matriarcas#O Poder das Árvores: O Povo em Pé#Purificação com ervas – por método xamânico#Plantas de Poder#Catal Hoyuk – Anatólia (atual Turquia) e a arte da deusa e do feminino#Símbolos minóicos do culto a Deusa#Animais de poder – As ‘Criaturas’ ou ‘Criaturas Animais’ – Totens (Xamanismo)#Animais de poder – As 'Criaturas' ou 'Criaturas Animais' – Totens (Xamanismo)#Mix de ervas emagrecedoras – também diminui a barriga (perde gordura abdominal)#Shakti Mantras: os mantras de poder e graça potencializando outros mantras#Oração (ou contemplações) às Marias Navegantes – das Sacerdotisas de Maria#Theotokos – Maria como a 'Mãe de Deus'#Theotokos – Maria como a ‘Mãe de Deus’#Coliridianismo#A TERRA OCA – Mistérios milenares da Terra#Sara La Kali ou Santa Sara Kali – O Sagrado Feminino e o Sincretismo religioso#Segredos do Sagrado Feminino Cristão – As Marias do Mar#O que é ser uma sacerdotisa – A Sacerdotisa e o Sagrado Feminino#Sagrado Feminino: Brasil, ÍSIS, N.Srª Aparecida, o poder da Deusa#Sobre o Sagrado Feminino, as Abelhas e o mel, A Deusa Abelha#Shaktis – As mulheres Yoginis, Dakinis e Sacerdotisas#Shakti – A importância de seu reconhecimento pela mulher#Shaktis dos Nakshatras#Shakti – Poder Cósmico e Universal#Shakti : A Mãe do Mundo 1#Shakti: O Despertar da Deusa Adormecida na Matéria#Shakti: O Poder, a Força Divina Cósmica, Planetária e Pessoal#Shakti, kundalini e Tantra#Cariatides – Sacerdotisas de Artemis#Piramides na Bosnia e China#A história das coisas, pelas pessoas e pela Terra#Os Mistérios da Serra do Roncador#Avatara ou Avatar e o Kalki Avatar ou Maitreya#Links Astrologia Sideral e Astrologia Védica#O que são formas pensamento, egregoras e tulpa?#Estátua de Maitreya: uma imagem que a mente pode fazer dela uma ponte!#Allamirah – Uma Encarnação da Divina Mãe, do Feminino Sagrado#Oricalco: o metal desaparecido usado na Atlântida#Especiarias#Sacerdotisas Sumérias#Ervas Medicinais, Especiarias e Temperos#Shakti#Srichakra – representação de Shiva-Shakti no macrocósmico e microcósmicos#Dharma e Sanatana Dharma – As Leis Universais e o Sistema de Sabedoria da Índia para estar em sintonia com essas leis#A Filosofia Yoga Shakti – por Sri Swami Sivananda#Samantabhadri, Prajnaparamita, Vajravarahi e Arya Tara (As Grandes Shaktis do dharmakaya, sambhogakaya e Nirmanakaya)#Kurukulla: Lalitavajra ou Vajratara (ou Tara Vermelha)#Vajravahari e Vajrayogini#As ‘Deidades’ do Bardo (estágio intermediário)#Aditi – Devamatri, expansão cósmica, espaço; mãe de todas as coisas#Adi Parashakti (Adi Shakti) – Param Prakriti, o Poder do Para Brahman#Lokapalas ou Maharajas#Shri Yantra – Um dos mais conhecidos e poderosos Yantras#Lalita Tripurasundari – A origem dos 3 mundos#Filmes Indicados#Bibliografia: Livros – Indicação para o estudo da Espiritualidade e Sabedoria Feminina#Glossário de Deusas#Glossário Indígena e Xamânico#Músicas de Marcus Viana e Sagrado Coração#Links para as constelações e estrelas fixas: Pleiades, Orion/Tres Marias, Sirius, Algol, Cruzeiro do Sul, Pleiades do Sul, Cão e Ursa Maior, Coroa Austral e Boreal, Spica, Sadalmelik#Conjunções de Vênus (de 1900 a 2050) – Trânsitos e Ciclos de Venus (1032 a 2255)#Estações do Ano de 1900 a 2099#O Céu do Momento#Leis Herméticas – Leis ou Princípios Existenciais ou Leis que regem o Universo#As linguas originais sagradas: Sensar e Vatan – e os mistérios que elas guardam#Matrikas (Mães Protetoras e Purificadoras) e as 64 Dakinis#As Cinco Mães, Irmãs ou Consortes de Sabedoria (Prajnas) – Mães e Consortes dos Dhyanis Budhas#Pleroma – A Plenitude#Aeon – Emanações Supremas do Pleroma#Os conceitos de Self, Individuação e Iluminação#Os estágios-níveis de desenvolvimento humano e os domínios transpessoais#Meditação e o despertar do Poder e da Sabedoria Interior#Qual a diferença, entre os gêneros, que interferem nos métodos de despertar? (resumo síntese)#Como se dá a exploração energética direta da mulher? (resumo síntese)#O que é o ‘processo evolucional’ ou despertar da consciência? (resumo síntese)#Porque esta urgência de despertar? (resumo síntese)#Protegido: Sonhos lúcidos – teoria e prática#O que são Elementos Vibracionais?#Porque um sistema iniciático (de despertar) específico para as mulheres? (resumo síntese)#Crianças / Humanos Índigo e Cristais#Anjos e Devas#Porque muitas mulheres se sentem insatisfeitas nos seus relacionamentos? (Parte 1)#Dualismo e não dualismo#O que é Magia, Teurgia e Teurgia Natural?#Sobre as mulheres – pensamentos e frases#Hildegard de Bingen#O que significa Shekinah (Shekhinah ou Shechiná)#Shakti – O poder interior humano, planetário e cósmico: O Grande Feminino#Fenícios no Brasil muito antes dos portugueses#Ilha Brasil – Hy Brazil a ilha mítica, a ilha afortunada#Roda do Ano – Os 8 Festivais Celtas – As 8 fases da Deusa#Sobre o feminino, o masculino e o sexo – Dion Fortune#Sobre o significados de Sacerdotisa#Mata Amritanandamayi Devi, Ammachi ou Amma – A Shakti Mãe que distribui o Poder do Amor pelo abraço#Ma Yoga Shakti – A Shakti com realizações materiais e espirituais para o bem comum#Anandi Ma: uma Shakti oferecendo Shaktipat no ocidente#Transformando a energia em Shakti – referente aos ensinamentos de Shree Maa#Shee Maa – Uma deusa mãe da Índia para o ocidente#Planetas e Arcanos – para refletir os aspectos arquetípicos#Yeshe Tsogyal: uma Dakini iluminada#Therese Neumann – uma santa cristã#Sri Ma Anandamayi – Uma grande Shakti manifestada na índia#Mahavidya – As dez grandes Shaktis associadas aos grandes poderes cósmicos para os tântricos#Sri Sarada Devi – A Santa Mãe, uma Shakti encarnada#Alguns mestres orientais e suas Dakinis ou Shaktis – Padmasambhava, Ramamkrishna, Aurobindo#o que significam: Libertação, Iluminação, Auto Realização, Arhat, Nirvana#Nangsa Obum – uma mulher tibetana considerada emanação de Tara#Vajrayogini – A Shakti orientadora e inspiradora no caminho de iluminação#Tara – uma manifestação do aspecto feminino iluminado#As 64 Dakinis ou Yoginis#o que significa Prakrit, Mahaprakrit e Purusha#O que significa Kundalini, Fohat e Prana#O que significa Sophia (Sofia)#o que significam Deusas Mães ou Grandes Deusas#O que significa Devi#O que significa Dakini#O que significa Yogini#O que significa diksha, deeksha ou deeksa – ou iniciação espiritual#O que siginifica Shaktismo#O que significa Shaktipat#o que significa SHAKTI#Shakti#As Sacerdotisas da história desta civilização: Pitonisas, Vestais, de Ísis, de Inana, Sibilas#o que é THEASOPHIA (Theasofia, Teasofia) e THEALOGIA (Tealogia)#Gurumayi Chidvilasananda – uma bela e bem aventurada Shakti transmitindo Shaktipat ao ocidente#o que é TEURGIA e TAUMATURGIA#Mirra Alfassa – Shakti ou Companheira espiritual de Sri Arobindo#Ayu Khadro – Uma Grande Dakini manifestada
Início » Atargatis: uma deusa síria adorada nos primeiros séculos dC.

Atargatis: uma deusa síria adorada nos primeiros séculos dC.

Atargatis: uma deusa síria adorada nos primeiros séculos dC.

Atargatis é uma deusa síria que foi adorada nos primeiros séculos dC. [240] Seu principal centro de culto era o templo na cidade de Hierapolis , [240] que um rabino judeu mais tarde listou como um dos cinco templos pagãos mais importantes do Oriente Próximo. [241] Seu culto foi aparentemente altamente influente durante o período romano , [242] mas a única fonte que descreve os rituais associados a ela em detalhes é o ensaio satírico Sobre a Deusa Síria , escrito no segundo século dC pelo Luciano Sírio helenizado [242]O tratado de Lucian é principalmente uma obra de sátira que zomba das distinções culturais arbitrárias entre “gregos” e “assírios”, enfatizando a maneira pela qual os sírios adotaram os costumes gregos e, assim, efetivamente se tornam “gregos”. [243] Portanto, os estudiosos contestam se o tratado é uma descrição precisa das práticas culturais da Síria [240] e muito pouco se sabe sobre Hierapolis além do que é registrado na própria Deusa Síria . [240]

 

Atargatis / Ataratheh ( / aramaico : ‘Atar’atheh ou Tar’atheh ) era a deusa principal do norte da Síria na antiguidade clássica . [1] [2] Ctesias também usou o nome Derketo ( grego antigo : Δερκετὼ ) para ela, [3] e os romanos a chamaram Dea Síria , ou em uma palavra Deasura . [4] Principalmente, ela era uma deusa da fertilidade, mas, como baalat (“amante”) de sua cidade e povo, ela também era responsável por sua proteção e bem-estar. Seu santuário principal ficava em Hierapolis, na moderna Manbij , a nordeste de Aleppo, na Síria. Ela às vezes é descrita como uma deusa- sereia , devido à identificação dela com uma deusa do corpo de peixes em Ascalon . No entanto, não há evidências de que Atargatis tenha sido adorado em Ascalon, e todas as evidências iconográficas a mostram como antropomórfica. [6]

Crescente Fértil
série de mitos
Palm tree symbol.svg
Mesopotâmia
levantino
árabe
Religiões do Oriente Próximo
O Levante
  • El
  • Elyon
  • Hadad
  • Adon
  • Anat
  • Arsu
  • Asherah
  • Astarte
  • Atargatis
  • Azizos
  • Baal
  • Ba`alat Gebal
  • Berith
  • Dagon
  • Elohim
  • Eshmun
  • Kubaba
  • Liluri
  • Manuzi
  • Mot
  • Shaddai
  • Salem
  • Yahweh
  • inhame
  • Yarikh

Michael Rostovtzeff a chamou de “a grande amante das terras do norte da Síria”. [2] Seu consorte é geralmente Hadad . Como Ataratheh, pombas e peixes eram considerados sagrados para ela: pombas como um emblema da Deusa do Amor e peixes como um símbolo da fertilidade e vida das águas. [7]

De acordo com uma fonte siríaco do século III, “Na Síria e no Urhâi [Edessa] os homens utilizado para castrar-se em honra de Taratha. Mas, quando o rei Abgar se tornou um crente, ele ordenou que quem castrou a si mesmo deve ter uma mão cortada E desde aquele dia até o presente, ninguém em Urhâi se emascula mais. “ [8]

Origem 

Atargatis é visto como uma continuação das deusas da Idade do Bronze . Em Ugarit , as tabuletas cuneiformes atestam as três grandes deusas cananeias :

  • ʾAṭirat , descrito como uma fecunda “Senhora Deusa do Mar” ( rabbatu ʾat̪iratu yammi ); ela é identificada com Asherah
  • ‘Anat , a deusa virgem guerreira
  • ȚAțtart , a deusa do amor, homônimo da deusa fenícia ʿAštart, chamada Astarte em grego

Eles compartilharam muitos traços entre si e podem ter sido adorados em conjunto ou separadamente durante 1500 anos de história cultural. [9] [10]

O nome Atargatis deriva da forma aramaica ʿAtarʿatheh , que vem em várias variantes. Em Hierapolis Bambyce (hoje em dia Manbij), em moedas do século IV aC, a lenda ʿtrʿth aparece para ʿAtarʿate e ʿtrʿth mnbgyb em uma inscrição nabateu ; em Kafr Yassif, perto de Akko, um altar está inscrito “para Adado e Atargatis, os deuses que ouvem a oração”; [11] e o nome completo ʿtrʿth aparece em uma inscrição bilíngue encontrada em Palmyra .

O nome ʿAtarʿatheh é amplamente derivado de um composto da forma aramaica ʿAttar , que é um cognato de ʿAțtart menos seu sufixo feminino -t , mais ʿAttah ou ʿAtā , um cognato de atAnat . [12] [13] Como alternativa, a segunda metade pode ser um nome divino de palmireno ʿAthe (isto é, tempus oportunum ), que ocorre como parte de muitos compostos. [14] Foi também proposto que o elemento -gatis possa estar relacionado aos gados gregos “peixes”. [15] (Por exemplo, o nome grego para “monstro marinho” ou “baleia” é o termo cognato cetos ). Então Atar-Gatis pode simplesmente significar “a deusa-peixe Atar”.

Centros e imagens de culto

O verso de uma moeda de Demétrio III mostra Atargatis com corpo de peixe, velado, segurando o ovo, [16] ladeado por talos de cevada .

O reverso de uma moeda da Cirrhestica mostra Atargatis montando um leão , vestindo uma coroa mural e segurando um cetro .

Como conseqüência da primeira metade do nome, Atargatis foi freqüentemente, embora incorretamente, identificado como ‘Ashtart. [17] As duas divindades eram provavelmente de origem comum e têm muitas características em comum, mas seus cultos são historicamente distintos. Há referência em 2 Macabeus 12.26 [18] e 1 Macabeus 5:43 [19] a um Atargateion ou Atergateion, um templo de Atargatis, em Carnion, em Gileade , mas o lar da deusa não era inquestionavelmente Israel ou Canaã , mas a Síria em si; em Hierápolis Bambyce ela tinha um templo em seu nome. [14] Em Palmyra, ela aparece nas moedas com um leão, ou sua presença é sinalizada com um leão e a lua crescente; uma inscrição a menciona. Nos templos de Atargatis, em Palmyra e em Dura-Europos [20], ela apareceu várias vezes com seu consorte, Hadad , e na cultura religiosa ricamente sincrética de Dura-Europos, era adorada como Artemis Azzanathkona . [21] Dois templos bem preservados em Niha , Líbano , são dedicados a ela e a Hadad . Nos anos 30, numerosos bustos de baixo-relevo de Nabatean de Atargatis foram identificados por Nelson Glueck em Khirbet et-Tannûr, Jordânia, nas ruínas dos templos do início do primeiro século EC; [22] lá os lábios e os olhos da deusa levemente velada foram pintados de vermelho e um par de peixes se confrontou acima de sua cabeça. Seus cabelos ondulados, sugerindo água para Glueck, estavam separados no meio. Em Petra, a deusa do norte era sincretizada com uma deusa do norte da Arábia do sul, al-Uzzah , adorada no único templo. Na Dura-Europus, entre os atributos de Atargatis estão o fuso e o cetro ou lança de peixe. [23]

O viveiro de peixes sagrado para Atargatis sobrevive em Şanlıurfa , a antiga Edessa , sua mitologia transferida para Ibrahim .

Em seus templos em Ascalon , Hierapolis Bambyce e Edessa , havia tanques de peixes contendo peixes que apenas seus sacerdotes podiam tocar. [24] Glueck observou em 1936 que “até hoje existe um lago sagrado de peixes repleto de peixes intocáveis ​​em Qubbet el-Baeddwī, um mosteiro dervixe a três quilômetros a leste de Tripolis, no Líbano “. [25]

Da Síria, seu culto se estendeu à Grécia e ao extremo oeste. Lucian [26] e Apuleius dão descrições dos mendigos-sacerdotes que percorreram as grandes cidades com uma imagem da deusa em um jumento e coletaram dinheiro. A ampla extensão do culto é atribuível em grande parte aos comerciantes sírios; assim, encontramos vestígios dele nas grandes cidades portuárias; Em Delos , foram encontradas numerosas inscrições que atestam sua importância. Mais uma vez encontramos o culto na Sicília , introduziu, sem dúvida, por escravos e tropas mercenárias, que carregavam-lo até mesmo para os mais distantes limites do norte do Império Romano. [14] O líder dos escravos rebeldes na Primeira Guerra Servil , um sírio chamado Eunus , alegou receber visões de Atargatis, que ele identificou com o Deméter de Enna .

Sincretismo

Em muitos casos, Atargatis, Ashtart e outras deusas que já tiveram cultos e mitologias independentes se fundiram de tal maneira que eram indistinguíveis . Essa fusão é exemplificada pelo templo Carnion, que provavelmente é idêntico ao famoso templo de ‘Ashtart em Ashtaroth-Karnaim. Atargatis geralmente aparece como a esposa de Hadad . Eles são as divindades protetoras da comunidade. Atargatis, usando uma coroa mural , é o ancestral da casa real, o fundador da vida social e religiosa, a deusa da geração e da fertilidade (daí a prevalência de emblemas fálicos ) e o inventor de aparelhos úteis. Não é natural que ela seja identificada com o Afrodite Grego. Pela conjunção dessas muitas funções, apesar de se originar como uma divindade do mar análoga a Anfitrita , ela se torna, finalmente, uma grande deusa da natureza, análoga a Cibele e Rhea : em um aspecto, ela tipifica a proteção da água na produção de vida; em outro, o universal da outra terra; [27] em um terço (influenciado, sem dúvida, pela astrologia caldeu ), o poder do destino. [14] Ela também foi identificada com Hera por Lucian em seu De Dea Syria . [28]

Mitologia

As lendas são numerosas e de caráter astrológico. Uma justificativa para a adoração de pombas na Síria e a abstinência de peixes é vista na história de Atenaeus 8.37, onde Atargatis é ingenuamente explicado como “sem Gatis”, o nome de uma rainha que, segundo se diz, proibiu o consumo de peixe. Assim, Diodoro Siculus (2.4.2), citando Ctesias , conta como Derceto se apaixonou por um jovem e se tornou por ele a mãe de uma criança e como vergonha Derceto se jogou em um lago perto de Ascalon e seu corpo foi alterado para a forma de um peixe, embora sua cabeça permanecesse humana. [29] O filho de Derceto cresceu e se tornou Semiramis , a rainha assíria . Em outra história, contada por Hyginus , um ovo caiu do céu no Eufrates , foi rolado na terra por peixes, pombas pousaram sobre ele e chocaram, e Vênus , conhecida como deusa síria, apareceu. [29]

Derceto, de Oedipus Aegyptiacus , de Athanasius Kircher , 1652.

O autor de Catasterismi explicou a constelação de Piscis Austrinus como o pai dos dois peixes que compõem a constelação de Peixes; de acordo com essa conta, ele foi colocado nos céus na memória da queda de Derceto no lago em Hierápolis Bambyce perto do Eufrates na Síria, de onde ela foi salva por um grande peixe – que mais uma vez se destina a explicar a abstinência sírio de peixe.

Ovídio em suas metamorfoses (5.331) relata que Vênus tomou a forma de um peixe para se esconder de Typhon . Em seu Fasti (2.459 -.474), Ovídio relata como Dione , por quem Ovídio pretende Vênus / Afrodite, fugindo de Tifão com seu filho Cupido / Eros, chegou ao rio Eufrates na Síria. Ao ouvir o vento subir repentinamente e temendo que fosse Typhon, a deusa implorou ajuda das ninfas do rio e pulou no rio com o filho. Dois peixes os sustentaram e foram recompensados ​​por serem transformados na constelação de Peixes – e, por esse motivo, os sírios não comerão peixe.

Uma análise recente do culto a Atargatis é um ensaio de Per Bilde, [30] no qual Atargatis aparece no contexto de outras grandes deusas helenizadas do Oriente.

Sacerdócio

Busto de um padre de Atargatis, século III dC, Museus Capitolinos

Durante a era romana, os sacerdotes eunucos adoravam Atargatis. Semelhante aos sacerdotes Galli de Cybele. No santuário de Hierópolis, fundado por Semiramis , os padres eunucos serviam à imagem de uma mulher de rabo de peixe. Os rituais da deusa eram acompanhados de flauta e trepidação. Em um ritual, os jovens do sexo masculino castraram-se para se tornarem padres que se vestiam no templo e, posteriormente, realizaram tarefas geralmente realizadas por mulheres. O lago ou lago obrigatório ficava próximo, cheio de peixes sagrados que ninguém podia comer; nem alguém poderia comer as pombas sagradas de Atargatis. [31] Os sacerdotes foram descritos por Apuleio como mendigos que viajavam com uma imagem da deusa vestida com uma túnica de seda nas costas de um burro. Quando chegavam às praças da vila ou a uma propriedade receptiva, realizavam um ritual extático , projetado para atrair uma multidão e obter suas contribuições. Os padres eram descritos como efeminados, usando maquiagem pesada, turbantes na cabeça e vestidos com roupas cor de açafrão de seda e linho; alguns em túnicas brancas pintadas com listras roxas. Eles gritaram e dançaram loucamente ao som de flautas, girando com os pescoços dobrados para que seus longos cabelos voassem; e em um frenesi extático, mordiam a própria carne e cortavam os braços com facas até sangrar. [32]

De acordo com uma história recontada por Lucian, a rainha assíria Stratonice viu em uma visão que ela deveria construir um templo em Hierópolis para a deusa e, portanto, o rei a enviou para lá com um jovem chamado Combabus para executar a tarefa. Conhecendo a reputação da rainha, Combabus castrou-se e deixou seus órgãos genitais, selados em uma caixa. Quando a rainha se apaixonou por Combabus e tentou seduzi-lo, ele revelou sua mutilação, mas isso não a dissuadiu de desejar sua companhia constante. Quando Stratonice e Combabus voltaram para casa, ela o acusou de tentar seduzi-la, e Combabus foi preso, julgado e condenado à morte. Combabus pediu a caixa selada para provar sua inocência, onde o rei cedeu e recompensou Combabus por sua lealdade. O templo foi concluído e uma estátua de Combabus foi colocada nele. Diz-se que essa é a origem da prática de castração pelos sacerdotes no templo.

Outra história atribuída a Combabus menciona que uma certa mulher estrangeira que havia se juntado a uma assembléia sagrada, contemplando uma forma humana de extrema beleza e vestida com roupas masculinas, ficou violentamente apaixonada por ele: depois de descobrir que ele era um eunuco, ela se suicidou. Combabus, em desespero, diante de sua incapacidade de amar, vestia o traje de uma mulher, para que nenhuma mulher no futuro pudesse ser enganada da mesma maneira. [33]

Notas

  1. ^ “Atargatis (deidade síria) – Encyclopædia Britannica” . Britannica.com. 13/08/2013 . Página visitada em 2014-08-11 .
  2. a b M. Rostovtseff, “Hadad e Atargatis em Palmyra”, American Journal of Archaeology 37 (janeiro de 1933), pp 58-63, examinando Palmyrene carimbado tesserae .
  3. ^ Strabo, Geografia, livro 16, 4,27 ; Piny , História Natural 5.81.
  4. ^ Lucian , de Dea Síria , que é o título latino convencional de seu grego antigo : Περὶ τῆς Συρίης Θεοῦ ; cf Chisholm, 1911.
  5. ^ “Hierapolis, em” . Britannica.com. 2013-10-06 . Página visitada em 2014-08-11 .
  6. ^ Drijvers Dea Syria LIMC. O repertório moderno de alusões literárias a ela é Paul Louis van Berg, Corpus Cultus Deae Syriae (CCDS): les sources littéraires , Parte I: Repertório de fontes gregas e latinas ; Parte II: Estudos críticos das fontes mitológicas gregas e latinas (Leiden: Brill) 1973.
  7. ^ “Atargatis, a grande deusa fenícia Síria Derketo Derceto deusa da sereia deusa dos peixes deusa da água deusa da água deusa canaanita deusa síria” . Thaliatook.com . Página visitada em 2014-08-11 .
  8. ^ Walter Bauer; Robert A. Kraft; Gerhard Krodel (1996). Ortodoxia e heresia no cristianismo primitivo . Sigler Press. p.5. ISBN 978-0-9623642-7-3 . Consultado em 17 de junho de 2012 .
  9. ^ John Day (1 de dezembro de 2002). Javé e os deuses e deusas de Canaã . Continuum. 143-. ISBN 978-0-8264-6830-7 .
  10. ^ Robert A. Oden, Jr, “A Persistência da Religião Canaanita” O Arqueólogo Bíblico 39 .1 (março de 1976, pp. 31-36) p.34; “o nome da deusa helenística e romana Atargatis era um composto de Astarte e Anat”, afirma JAB simplesmente em Piotr Bienkowski, Alan Ralph Millard, orgs. Dicionário do antigo Oriente Próximo , (2000: sv “Anat”).
  11. ^ Esses exemplos são observados em Karel van der Toorn, Bob Becking, Pieter Willem van der Horst , Dicionário de Deidades e Demônios na Bíblia (1995: sv “Hadad”); o nome também aparece no Talmud (“Ab. Zarah” 11b, linha 28) como ʿtrʿth .
  12. ^ William Foxwell Albright (1968). Javé e os deuses de Canaã: uma análise histórica de duas religiões contrastantes .Eisenbrauns. 133-. ISBN 978-0-931464-01-0 .
  13. ^ Philo (de Biblos); Harold W. Attridge; Robert A. Oden (1981). A história fenícia . Associação Bíblica Católica da América. p. 94. ISBN 978-0-915170-08-1 .
  14. a b c d  Uma ou mais das frases anteriores incorpora o texto de uma publicação agora de domínio público : Chisholm, Hugh, ed. (1911). ” Atargatis “. Encyclopædia Britannica . 2 (11ª ed.). Cambridge University Press. p. 823
  15. ^ Henry George Liddell, Robert Scott, um léxico grego-inglês , sv “Atargatis” ( texto em linha de Perseus.org )
  16. ^ Hyginus , Fabula 197: “No rio Eufrates, diz-se que caiu um ovo de tamanho maravilhoso, que os peixes rolaram para a margem. As pombas sentaram-se nele e, quando aquecido, chocaram Vênus, que mais tarde foi chamado a deusa síria. Como ela superou o resto em justiça e retidão, por um favor concedido por Jove, os peixes foram colocados entre o número de estrelas, e por isso os sírios não comem peixe ou pombas, considerando-os como deuses ” .
  17. ^ A hipótese de Dirven de que, em Palmyra Atargatis, era idêntica a Astarte, que funcionava como o Gad de Palmyra, foi criticada por Ted Kaizer ( The Religious Life of Palmyra 2002: 153f), que sugere que “nos atermos aos nomes divinos realmente dados por os adoradores “e seguem as inscrições do Palmyrene, que distinguem entre eles.
  18. ^ “texto on-line” . Livius.org. 2006-12-08 . Página visitada em 2014-08-11 .
  19.  Simplesmente referindo-se ao “templo que estava em Carnaim” ( texto on-line ).
  20.  Ela se destina a Dura-Europos, disfarçada de Tyche of Palmyra, acompanhada de leão, em um afresco do santuário dos deuses de Palmyrene, removida para a Galeria de Arte de Yale.
  21. ^ Rostovtseff 1933: 58-63; Dura-Europos III.
  22. ^ Nelson Glueck, “Um templo Nabataean recentemente descoberto de Atargatis e Hadad em Khirbet Et-Tannur, Transjordania” American Journal of Archaeology 41 .3 (julho de 1937), pp. 361-376.
  23. ^ Baur, Dura-Europos III, p. 115. Para Pindar ( Sexta Ode Olímpica ), a deusa grega Anfitrita é a “deusa do fuso de ouro”.
  24. ^ Lucian , De Dea Síria ; Diodoro Siculus II.4.2.
  25. ^ Glueck 1936: p. 374, nota 4
  26. ^ Lucian, De Dea Síria .
  27. ^ Macrobius . Saturnalia , 1,23.
  28.  Harland, Philip (2009). Dinâmica da identidade no mundo dos primeiros cristãos . Livros Continuum . Consultado em 24 de janeiro de 2019 .
  29. a b Chisholm 1911 .
  30. ^ Por Bilde: Religião e prática religiosa no reino selêucida (na série “estudos na civilização helenística”) Aarhus University Press (1990).
  31. ^ Attridge e Oden 1976: 23, 37, 39, 55
  32. ^ Apuleio, o burro de ouro 8.26–28
  33. ^ Lucian, De Dea Syria 19–29

Referências

  • Moshe Weinfeld , “Semiramis: seu nome e sua origem”. Em: Mordechai Cogan / Israel Eph’al (ed.), Ah, Assíria …: Estudos da história da Assíria e da historiografia antiga do Oriente Próximo apresentados a Hayim Tadmor (série Scripta Hierosolymitana 33), (Jerusalém 1991), 99-103.

Links 

  • Atargatis por Abufares
  • Enciclopédia Judaica: Derceto
  • Enciclopédia online da Britannica: “Atargatis”
  • Atargatis, a “deusa síria” de Johanna Stuckey
  • Lucian de Samosata, referente à deusa síria (tradução e comentários em inglês)

Fonte: wiki english

 

Ver mais em: https://www.periodicos.ufes.br/romanitas/article/download/14535/10229