Artigos do Portal:
#A história dos romanis (ciganos)#“Sou uma mulher sensível”: sobrecarga sensorial do TDAH em adultos#Rainha Maria da Romênia#Rainhas dos Romanis#Gaianismo#Um breve guia para as constelações babilônicas e sua astrologia#Deusa Hitita do Sol, a deusa do Sol de Arinna de origem Hattiana#Empoderamento das mulheres#A verdadeira constelação do zodíaco em que o sol estava no dia que você nasceu#Artigo da Semana#Divindades Femininas na América do Sul#Deusas Maias#Chá para o Parto – Chá Mexicano#Domesticidade e Feminilidade#A Deusa Inuit Sedna#Changelings – Lendas das crianças trocadas#Gaulesas e Gauleses e as Divindades Celtas#Origem da Festa Junina#Festival Folclórico de Parintins#História e Origem das Festas Juninas na América#Anat, Deusa antiga Cananita#Óleo de Abramelin#Deusas Celtas#Mitos e Lendas Eslavas#Cartimandua e Boudica (Boadiceia)#Zorya, Deusa Eslava da Luz#Reavivando o Divino Feminino por meio de histórias e tradições celtas#Reino de Hel: A Deusa Nordica do Submundo – Indo e voltando para o inferno#Fiar e tecer, as artes mágicas femininas e maravilhosas associações#História Celta relacionada ao Mito do Rei Arthur#Cailleach: Mito Irlandês, Lenda e o Feminino Divino#Mitos e Estações no céu Tupi-Guarani#Deusas da Natureza#Druidas femininas, as sacerdotisas esquecidas dos celtas#Deusa Nemetona#A luta de Elizabeth Packard contra a tirania legal dos maridos#Baalbek – Templos de mais de 5000 anos – Deusas Venus / Atargatis#Al-Lāt, Allat, Allatu ou Alilat , a deusa árabe pré-islâmica#Tir na nOg e Tuatha De Danann#Oráculos no Druidismo / Oráculos Druidas#Um Ogham para os Montes Apalaches#Awen, a inspiração divina: princípio central na tradição druida#Atlantida, a civilização anterior a atual#Mulheres na sociedade Maia#O princípio feminino: uma ideia em evolução#Yoni e ‘Sheela Na Gig’#Deusas Nativas do Brasil e os mitos de mitos#Os Nativos do Novo Mexico (Norte America) Zuni e Puebloans Ancestrais#Maria Madalena / Maria Magdalena#Mehrgarh – sitio arqueológico neolítico (datado de 7000 aC a 2500/2000 aC – Paquistão)#A PODEROSA ORAÇÃO AO PLANETA DE MAIS DE 500 MULHERES NO VALE SAGRADO DO PERU#Monte Ararat#Alfabeto siríaco#Monte Nemrut / Nemrud#Maitreya (as três mães) se encarna#Compreendendo a filosofia de Shiva-Shakti através de ‘Ardhanarishvara’#Shakti e Kali#Sobre Magia#As Eras Glaciais – A História da Ciência sobre o tempo antes do auge da Civilização Ariana#Sonhos lúcidos podem nos aproximar de experimentar a “realidade” não dualista do que acordar a meditação#Honrando nosso sagrado ciclo feminino ‘tempo da lua’#Atlantida e os deuses antigos#Artemis#Doze mulheres famosas da idade média#Jezabel: princesa de Sidom, rainha de Israel#Hormônios e seu ambiente – Quando se trata de hormônios, há mais de um “normal”#Os ciclos femininos, ciclos de fertilidade e menstruação nas Culturas Nativas#Ereshkigal – Deusa Crone, Deusa do Submundo e da Morte#Deusas Crone – As Mães das Sombras, da Morte#Deusas Incas#Deusas da Água – Deusas do mar, dos rios e lagos#Deusas do Fogo#Recomendações da medicina tradicional chinesa para ajudar a aliviar as dores do período menstrual#Maré – a força do Sol, da Lua e outros astros sobre a Terra#Mais artigos para ginecologia natural: plantas, ervas#A civilização mais antiga do mundo é ainda mais antiga do que se pensava#Antropologia Feminista#Abraçando o feminino divino, a escuridão, a sombra e tudo#Deusas nativas americanas#Coatlicue, deusa mãe asteca#Ginocentrismo e Androcentrismo#O Feminino nas religiões#Amphitrite / Salacia: A Deusa contraparte de Netuno / Poseidon#CORRESPONDÊNCIA ENTRE PLANTAS E PLANETAS: UM GUIA DE ASTROBOTÂNICA PARA PREPARAR REMÉDIOS MÁGICOS#CORRESPONDÊNCIA ENTRE PLANTAS E PLANETAS: UM GUIA DE ASTROBOTÂNICA PARA PREPARAR REMÉDIOS MÁGICOS#O Sagrado Feminino pelo Budismo Vajrayana#Volvas – Mulheres ‘xamas’: as temidas e respeitadas Profetisas, Sábias, Sacerdotisas, Videntes nórdicas#A Adoração de Deus na forma feminina#Atma Shakti pela abordagem do Yoga#As Bruxas do Brasil Colônia#Os Planetas/ Astros na astrologia#Atargatis: uma deusa síria adorada nos primeiros séculos dC.#Ecofeminismo(s): Por Que Mulheres, Animais e Natureza Sob o Mesmo Olhar?#Disfunção Sexual Feminina#Anatomia Genital Feminina#Ginecologia natural: o poder das ervas a serviço da saúde da mulher#Ginecologia natural: um caminho para a humanização do cuidado#MENSTRUAÇÃO, CORPOS FÍSICO & SUTIL, GINECOLOGIA NATURAL & HOLÍSTICA#Diu de Cobre – Métodos contraceptivos não hormonais#O que você deve saber sobre os octagramas – estrelas de oito pontas#Sete raios#Empatia nos cuidados de saúde da mulher#Ginecologia Ayurveda#Passos positivos para se estabelecer para a gravidez pela Ginecologia Tradicional Chinesa#Ginecologia na Medicina Chinesa – Ginecologia Tradicional Chinesa – Oriental#Astrologia egípcia e signos do zodíaco egípcio#O Feminino Divino nos Contos de Fadas#Sirius – Estrela Nobre e Divina#Quiromancia#Shamans Göbekli Tepe e seus símbolos cósmicos e Shahmaran#Mulheres antigas xamãs da Irlanda: curandeiros, sacerdotisas e adivinhos#Shakti – seus significados#Imagens do Feminino Ancestral: Reconhecimento de Padrões, Através do Espaço e do Tempo#O keebèt e a cerimônia feminina no Chaco#Notre Dame de la Vie: Nossa Senhora da Vida#Templos da Deusa na Ásia Ocidental#Atete, Deusa do Povo Oromo no sul da Etiópia#Rainha de Saba / Sabah / Shaba – Makeda, Bilqis#Matriarcado, Matrilinearidade,#Mãe Menininha do Gantois#A rabina Léah Novick#A natureza divina das mulheres naturalmente – um desafio do século XXI#Citações do Feminino Divino#O poder da Irmandade / Fraternidade Feminina ou Sororidade#Influencias da Lua, dos planetas e outros astros sobre a terra#Sobre a Vagina, a Vulva e soluções naturais para alguns problemas#Runas – História, Mitos e Significados dos Símbolos#Madeiras para fazer varinhas mágicas#Dualidade Mútua: Yin Yang / Shiva Shakti#Plantas para reconexão feminina#O Feminino Divino está em Ascensão#Pindorama – O Brasil Nativo, O Brasil Ancestral – e Abya Yala#Astros de tônicas femininas para encontrá-los e entender o feminino no seu mapa astrológico#Florais para as mulheres#Ervas e plantas para a cura dos disturbios femininos – ervas e plantas para mulheres – Ginecologia Natural#Vênus e as Plêiades!#Código e Contemplação da ética das Sacerdotisas#Purificação, Consagração e Carregamento de objetos#Plantando um jardim mágico – Plantas Mágicas#Jóias egípcias antigas arrancadas do monte funerário da “princesa virgem” na Siberia, montanhas de Altai#Ervas, plantas e magia#Tuatha De Danann#Os Duidas#Moura Encantada#Poder dos Metais – Propriedades Magicas dos Metais#De Tonantzin Coatlicue à Virgem de Guadalupe: o que Elas têm em comum#Magia dos tecidos: A Cosmovisão Andina Através da Tecelagem#Deusas da Cura#As Hostes Angelicas – de Geoffrey Hodson#Os Anjos#Astrologia do Centro Galáctico – o centro galáctico no mapa astrológico#Tonalidade cósmica – o significado sagrado da tartaruga#Deusas hindus. Lakshmi, Sarasvati e Parvati (Sati, Durga e Kali)#A lenda hindu do dilúvio de Manu e o relato bíblico de Noé#A Deusa Ganga e O Ganges: o rio sagrado do hinduísmo#Qhaqoy – técnica massagem andian#simbolos para os principios#Ativando a Prosperidade#Sobre o que é Sombra#A Menstruação é realmente ‘normal’ ou ‘natural’? (do ponto de vista muito ancestral)#Ogham / Ogam – Alfabeto Celta – Druida#A Jornada de Inanna: A descida de Inanna ao submundo: uma obra-prima literária de 5.500 anos#Shakti – Invocando sua energia feminina#Deusa Mãe (Ninmah, Nintud / r, Belet-ili e Nin e Ninhursag)#Principais desastres ambientais no Brasil e no mundo#Salto de Sete Quedas – SALTOS DEL GUAIRÁ – O fim das maiores cachoeiras do mundo#Meses da árvore celta – 13/treze divisões lunares#Plantas harmonização hormonal#Magia, Magia Cerimonial e Teurgia#A Mãe Divina#Shakti – Na astrologia oriental e numerologia#Planetários e quadrados mágicos –#Artes divinatórias e práticas mânticas#Tarot: A Rota ou Roda das Experiências das civilizações antigas#Deusa Asherah – Representação Feminina do Sagrado, a Deusa de Israel#A Grande Deusa – Histórico#A Mais Antiga Oração Dirigida à Maria Datada Do Ano 250 d.C#Áreas reflexas femininas do corpo físico-etérico#Lilith#A Humanização do Parto e do Nascimento#Nomes Xamãs#Animais com fêmeas dominantes#Uma não definição de “xamã”#Enheduanna – A poeta e Alta Sacerdotisa acadiana#O Panteão da Mesopotâmia – Mitologia Mesopotâmia#Tiamat#Lista de ocultistas e escritores ocultistas#Plantas e seus benefícios#Reflexões de uma antropóloga e mãe: ‘O que aprendi com índios sobre educação infantil’#As “Montanhas Sagradas”, o Centro das Montanhas Mágicas da Mantiqueira – Aiuruoca#Serra do Roncador#Instrumentos Musicais Indígenas#O poder das raízes: As plantas falam umas com as outras pelas suas raízes#As mulheres e produção de óvulos: mulheres nascem com óvulos em seus ovários#Escritos e Evangelhos Apócrifos#Astarte, Astoreth, Ashtarot, a verdadeira origem de Venus e Afrodite#Deusas em Transformação:#Exercícios Kegel: Exercícios Musculares Pélvicos#Alquimia Feminina: Cultivo Feminino#Hypatia de Alexandria#Sírius, a estrela da realeza#Quem é Baphomet?#Maquiagem com produtos naturais (maquiagens veganas, naturais e caseiras)#Ēostre – A Deusa da Origem da Páscoa#Arqueólogos encontram vestígios de civilização desconhecida na Amazônia#Inanna – Ishtar – Astart (Ashtoreth)#Apsaras#Sobre a Frequência 432 e afins#A Era de Aquário#Evangelho de Maria#Quando Deus era mulher: A civilização das deusas gordas#Aradia#Porque precisamos de energia feminina no mundo#Mudanças no campo magnético da Terra#Associações de apoio às mulheres pelo mundo#Como a sabedoria das mulheres estava perdida#Ondas Cerebrais e Meditação#O Movimento do Sagrado Feminino ou Divino Feminino#A lenda de Mulan: a jornada da mulher e do feminino#Jornada de Cura – integrado as jornadas dos heróis e heroínas#Marija Gimbutas e a Deusa#Jornada da heroína: a narrativa mítica da mulher#Diferenças entre Signos e Constelações#Centro Galáctico#108 Siddhas Femininas, Dakinis, Yoginis e tântricas#Mulheres nas religiões#Casa da Virgem Maria na Turquia#As Mulheres na Cultura Védica#A Jornada da heroína e os ciclos de morte e vida#Elementos da meditação ativa:#Shakti Sadhana – Disciplina espiritual hindu (combinação de prática védica e tântrica)#Fases da Lua de 1900 a 2060#Informações básicas e interessantes da Astronomia#Locais importantes relacionados ao Caminho Evolutivo da civilização Ária#Samhain#Deusas da Mitologia no Brasil#A Centralidade da Feminina Divina – Shakti – no Sufismo#LILITH, O grande misterio do feminino selvagem#O que é Ginecosofia / Ginecosophia – Ginesofia / Ginesophia#Pleiades – pela Teosofia#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (ciganas)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (indianas)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (orientais, árabes)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (flamenco e salsa)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (brasileiras)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (hawaianas, polinesia, tailandesas, chinesas outras)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (árabes – dança do vente, orientais tribais, indianas fusion e afins)#Mandala#Grupo Mawaka#Outras Músicas#Sarasvati, Lakshmi, Parvati – As Três deusas, Shaktis supremas do induísmo#Yasodhara#Yasodhara#Céu Real – Céu Astronômico do momento (Efemérides Astronômicas)#Beltane#Mulher Shaman / Mulheres Xamãs#Maha Devi – Lalitha Sahasranamam – Os 1000 nomes de Lalitha / Lalita#Dança Duende – Danza Duende e ‘El Duende’#Mulheres Heroínas Indígenas#Apu (divindade) – Os Espíritos da Montanha do Peru#Mitos e lendas: Paititi, uma importante cidade perdida dos Incas#Caminho do Peabiru – Caminho utilizado pelos nativos ancestrais sul-americanos, ligando o litoral ao interior#SHAKTI-SHIVA e a Cosmogênese – Os mistérios da origem do humano e do universo#Qoya – A Rainha-Sacerdotisa Inca#Ginecologia Natural – Naturologia Feminina: Saúde da Mulher#NEFERTITI, a Bela e Poderosa Rainha do Egito – A Grande Rainha do Nilo#Recebemos as mitocôndrias de nossas mães: maioria dos seus genes são oriundos de sua mãe.#Mulheres Incas#Hello world!#Deusas indianas e o significado de suas imagens#História das mulheres#Musicas Danças#RECONEXÃO Caminho Sagrado Feminino: Práticas Essenciais#O que é o Feminicídio ou femicídio#Gênero Feminino#Políticas públicas de combate à violência contra a mulher#Movimentos pelos Direitos da Mulher#Atos Internacionais – convenções que se referem às mulheres (Diretos da Mulher 2)#Direitos da Mulher#Helena Blavatsky#Mulheres em luta: Mulheres revolucionárias#Sobre o Útero – O Cálice Sagrado (pela abordagem do xamanismo tolteca contemporaneo)#Sobre Alquimia Interior – Alquimia Feminina – Respiração Ovariana – (pela abordagem do Tao Universal)#Tambores Xamânicos Sagrados#Xamanismo Huna (Hawai) e o Ho'oponopono#Atlantida, uma civilização matriarcal esquecida#Elementais da Natureza#Pedras de Poder#Os cristais e o ventre#Equilíbrio hormonal da mulher 2 – A importância da Progesterona#Equilíbrio Hormonal da Mulher#Por que nem todas as fêmeas menstruam? ….#Shakti#O Sagrado Feminino e a Deusa Gaia Manifestada#Os Mistérios de Vila Velha (Ponta Grossa – PR – Brasil)#Mistérios Brasileiros Famosos#As Deusas Védicas#O Poder das Plantas#Pesquisa revela o poder das mulheres Incas#Profecias dos Incas Q’ero#Mulheres da Floresta#ZENEIDA, A PAJÉ DO MARAJÓ#Mulheres Pajes – As xamas nativas brasileiras#A Sabedoria dos Incas e Andina e os resquícios de uma sabedoria sagrada feminina#A CHAKANA – A Cruz Andina ou Cruz Quadrada – a ponte entre os mundos#Acllas, as Sacerdotisas do Sol – Mulheres Sagradas dos Andes (sacerdotisas incas)#Princípios dos Povos Andinos#Pachamama#Herbologia mística – o poder das ervas e plantas#O Poder dos Cristais#O Poder das Flores – O Povo Flor#A Lenda das 13 Matriarcas#O Poder das Árvores: O Povo em Pé#Purificação com ervas – por método xamânico#Plantas de Poder#Catal Hoyuk – Anatólia (atual Turquia) e a arte da deusa e do feminino#Símbolos minóicos do culto a Deusa#Animais de poder – As ‘Criaturas’ ou ‘Criaturas Animais’ – Totens (Xamanismo)#Animais de poder – As 'Criaturas' ou 'Criaturas Animais' – Totens (Xamanismo)#Mix de ervas emagrecedoras – também diminui a barriga (perde gordura abdominal)#Shakti Mantras: os mantras de poder e graça potencializando outros mantras#Oração (ou contemplações) às Marias Navegantes – das Sacerdotisas de Maria#Theotokos – Maria como a 'Mãe de Deus'#Theotokos – Maria como a ‘Mãe de Deus’#Coliridianismo#A TERRA OCA – Mistérios milenares da Terra#Sara La Kali ou Santa Sara Kali – O Sagrado Feminino e o Sincretismo religioso#Segredos do Sagrado Feminino Cristão – As Marias do Mar#O que é ser uma sacerdotisa – A Sacerdotisa e o Sagrado Feminino#Sagrado Feminino: Brasil, ÍSIS, N.Srª Aparecida, o poder da Deusa#Sobre o Sagrado Feminino, as Abelhas e o mel, A Deusa Abelha#Shaktis – As mulheres Yoginis, Dakinis e Sacerdotisas#Shakti – A importância de seu reconhecimento pela mulher#Shaktis dos Nakshatras#Shakti – Poder Cósmico e Universal#Shakti : A Mãe do Mundo 1#Shakti: O Despertar da Deusa Adormecida na Matéria#Shakti: O Poder, a Força Divina Cósmica, Planetária e Pessoal#Shakti, kundalini e Tantra#Cariatides – Sacerdotisas de Artemis#Piramides na Bosnia e China#A história das coisas, pelas pessoas e pela Terra#Os Mistérios da Serra do Roncador#Avatara ou Avatar e o Kalki Avatar ou Maitreya#Links Astrologia Sideral e Astrologia Védica#O que são formas pensamento, egregoras e tulpa?#Estátua de Maitreya: uma imagem que a mente pode fazer dela uma ponte!#Allamirah – Uma Encarnação da Divina Mãe, do Feminino Sagrado#Oricalco: o metal desaparecido usado na Atlântida#Especiarias#Sacerdotisas Sumérias#Ervas Medicinais, Especiarias e Temperos#Shakti#Srichakra – representação de Shiva-Shakti no macrocósmico e microcósmicos#Dharma e Sanatana Dharma – As Leis Universais e o Sistema de Sabedoria da Índia para estar em sintonia com essas leis#A Filosofia Yoga Shakti – por Sri Swami Sivananda#Samantabhadri, Prajnaparamita, Vajravarahi e Arya Tara (As Grandes Shaktis do dharmakaya, sambhogakaya e Nirmanakaya)#Kurukulla: Lalitavajra ou Vajratara (ou Tara Vermelha)#Vajravahari e Vajrayogini#As ‘Deidades’ do Bardo (estágio intermediário)#Aditi – Devamatri, expansão cósmica, espaço; mãe de todas as coisas#Adi Parashakti (Adi Shakti) – Param Prakriti, o Poder do Para Brahman#Lokapalas ou Maharajas#Shri Yantra – Um dos mais conhecidos e poderosos Yantras#Lalita Tripurasundari – A origem dos 3 mundos#Filmes Indicados#Bibliografia: Livros – Indicação para o estudo da Espiritualidade e Sabedoria Feminina#Glossário de Deusas#Glossário Indígena e Xamânico#Músicas de Marcus Viana e Sagrado Coração#Links para as constelações e estrelas fixas: Pleiades, Orion/Tres Marias, Sirius, Algol, Cruzeiro do Sul, Pleiades do Sul, Cão e Ursa Maior, Coroa Austral e Boreal, Spica, Sadalmelik#Conjunções de Vênus (de 1900 a 2050) – Trânsitos e Ciclos de Venus (1032 a 2255)#Estações do Ano de 1900 a 2099#O Céu do Momento#Leis Herméticas – Leis ou Princípios Existenciais ou Leis que regem o Universo#As linguas originais sagradas: Sensar e Vatan – e os mistérios que elas guardam#Matrikas (Mães Protetoras e Purificadoras) e as 64 Dakinis#As Cinco Mães, Irmãs ou Consortes de Sabedoria (Prajnas) – Mães e Consortes dos Dhyanis Budhas#Pleroma – A Plenitude#Aeon – Emanações Supremas do Pleroma#Os conceitos de Self, Individuação e Iluminação#Os estágios-níveis de desenvolvimento humano e os domínios transpessoais#Meditação e o despertar do Poder e da Sabedoria Interior#Qual a diferença, entre os gêneros, que interferem nos métodos de despertar? (resumo síntese)#Como se dá a exploração energética direta da mulher? (resumo síntese)#O que é o ‘processo evolucional’ ou despertar da consciência? (resumo síntese)#Porque esta urgência de despertar? (resumo síntese)#Protegido: Sonhos lúcidos – teoria e prática#O que são Elementos Vibracionais?#Porque um sistema iniciático (de despertar) específico para as mulheres? (resumo síntese)#Crianças / Humanos Índigo e Cristais#Anjos e Devas#Porque muitas mulheres se sentem insatisfeitas nos seus relacionamentos? (Parte 1)#Dualismo e não dualismo#O que é Magia, Teurgia e Teurgia Natural?#Sobre as mulheres – pensamentos e frases#Hildegard de Bingen#O que significa Shekinah (Shekhinah ou Shechiná)#Shakti – O poder interior humano, planetário e cósmico: O Grande Feminino#Fenícios no Brasil muito antes dos portugueses#Ilha Brasil – Hy Brazil a ilha mítica, a ilha afortunada#Roda do Ano – Os 8 Festivais Celtas – As 8 fases da Deusa#Sobre o feminino, o masculino e o sexo – Dion Fortune#Sobre o significados de Sacerdotisa#Mata Amritanandamayi Devi, Ammachi ou Amma – A Shakti Mãe que distribui o Poder do Amor pelo abraço#Ma Yoga Shakti – A Shakti com realizações materiais e espirituais para o bem comum#Anandi Ma: uma Shakti oferecendo Shaktipat no ocidente#Transformando a energia em Shakti – referente aos ensinamentos de Shree Maa#Shee Maa – Uma deusa mãe da Índia para o ocidente#Planetas e Arcanos – para refletir os aspectos arquetípicos#Yeshe Tsogyal: uma Dakini iluminada#Therese Neumann – uma santa cristã#Sri Ma Anandamayi – Uma grande Shakti manifestada na índia#Mahavidya – As dez grandes Shaktis associadas aos grandes poderes cósmicos para os tântricos#Sri Sarada Devi – A Santa Mãe, uma Shakti encarnada#Alguns mestres orientais e suas Dakinis ou Shaktis – Padmasambhava, Ramamkrishna, Aurobindo#o que significam: Libertação, Iluminação, Auto Realização, Arhat, Nirvana#Nangsa Obum – uma mulher tibetana considerada emanação de Tara#Vajrayogini – A Shakti orientadora e inspiradora no caminho de iluminação#Tara – uma manifestação do aspecto feminino iluminado#As 64 Dakinis ou Yoginis#o que significa Prakrit, Mahaprakrit e Purusha#O que significa Kundalini, Fohat e Prana#O que significa Sophia (Sofia)#o que significam Deusas Mães ou Grandes Deusas#O que significa Devi#O que significa Dakini#O que significa Yogini#O que significa diksha, deeksha ou deeksa – ou iniciação espiritual#O que siginifica Shaktismo#O que significa Shaktipat#o que significa SHAKTI#Shakti#As Sacerdotisas da história desta civilização: Pitonisas, Vestais, de Ísis, de Inana, Sibilas#o que é THEASOPHIA (Theasofia, Teasofia) e THEALOGIA (Tealogia)#Gurumayi Chidvilasananda – uma bela e bem aventurada Shakti transmitindo Shaktipat ao ocidente#o que é TEURGIA e TAUMATURGIA#Mirra Alfassa – Shakti ou Companheira espiritual de Sri Arobindo#Ayu Khadro – Uma Grande Dakini manifestada
Uncategorized

Empoderamento das mulheres

O que é o empoderamento feminino?

O empoderamento das mulheres pode ser definido para promover o senso de autoestima das mulheres, sua capacidade de determinar suas próprias escolhas e seu direito de influenciar a mudança social para si e para os outros.

Está intimamente alinhado com o empoderamento feminino – um direito humano fundamental que também é fundamental para alcançar um mundo mais pacífico e próspero.

Nos países ocidentais, o empoderamento feminino é frequentemente associado a fases específicas do movimento pelos direitos das mulheres na história. Este movimento tende a ser dividido em três ondas, a primeira iniciada no século XIX e início do século XX , onde o sufrágio foi uma característica fundamental. A segunda onda da década de 1960 incluiu a revolução sexual e o papel da mulher na sociedade O feminismo da terceira onda é frequentemente visto como tendo início na década de 1990.

O empoderamento das mulheres e a promoção dos direitos das mulheres surgiram como parte de um grande movimento global e continua a abrir novos caminhos nos últimos anos. Dias como o Dia Internacional do Empoderamento da Mulher também estão ganhando força.

Mas, apesar do grande progresso, mulheres e meninas continuam a enfrentar discriminação e violência em todas as partes do mundo.

Temas sobre empoderamento feminino:

  1. Os Princípios de Empoderamento das Mulheres
  2. Frases sobre o empoderamento feminino
  3. O cenário global do empoderamento das mulheres
  4. Por que o empoderamento de meninas e mulheres é tão importante?
  5. Histórias reais de empoderamento feminino
    • Marie: Uma última chance
    • Tabitha: Assar para retribuir
  6. Como posso empoderar mulheres e meninas?
  7. Como a Visão Mundial está ajudando a empoderar as mulheres

1. Os Princípios de Empoderamento das Mulheres

Criados em uma colaboração entre o Pacto Global da ONU e a ONU Mulheres, os  Princípios de Empoderamento das Mulheres são usados ​​para empoderar as mulheres no mercado, no local de trabalho e na comunidade.

Os sete Princípios são:

  • Princípio 1: Criar liderança corporativa de alto nível para a igualdade de gênero
  • Princípio 2: Tratar todas as pessoas com justiça no trabalho, respeitando e apoiando a não discriminação e os direitos humanos
  • Princípio 3: Garantir a saúde, o bem-estar e a segurança de todos os trabalhadores, sejam homens ou mulheres
  • Princípio 4: Promover educação, treinamento e desenvolvimento profissional para mulheres
  • Princípio 5: Implementar a cadeia de suprimentos, práticas de marketing e desenvolvimento empresarial que empoderem as mulheres
  • Princípio 6: Defenda a igualdade por meio de iniciativas comunitárias e advocacia
  • Princípio 7: Medir e relatar publicamente o progresso para criar igualdade de gênero

2. Citações sobre o empoderamento das mulheres

Ao defender a igualdade, as mulheres ajudaram outras mulheres a se manifestarem e as empoderaram. Aqui estão alguns exemplos de mulheres proeminentes que falaram sobre a igualdade das mulheres.


Grupo de poupança para mulheres

 

3. O cenário global do empoderamento das mulheres

A igualdade de gênero é um direito humano básico e também é fundamental para se ter um mundo pacífico e próspero.

Mas meninas e mulheres continuam a enfrentar desafios significativos em todo o mundo. As mulheres são tipicamente sub-representadas nos papéis de poder e de tomada de decisão. Eles recebem remuneração desigual por trabalho igual e muitas vezes enfrentam barreiras legais e outras que afetam suas oportunidades de trabalho.

No mundo em desenvolvimento, meninas e mulheres são frequentemente vistas como menos valiosas do que os meninos. Em vez de serem enviadas para a escola, muitas vezes são obrigadas a fazer trabalhos domésticos em casa ou são casadas por um dote antes de serem adultas. Cerca de 12 milhões de meninas menores de idade se casam todos os anos.

Embora algum progresso esteja sendo feito em várias partes do mundo, ainda há muito a ser feito para corrigir os problemas da desigualdade de gênero.

4. Por que o empoderamento de meninas e mulheres é tão importante?

O empoderamento das mulheres é essencial para a saúde e o desenvolvimento social das famílias, comunidades e países.

Quando as mulheres estão vivendo vidas seguras, realizadas e produtivas, elas podem atingir seu pleno potencial. contribuindo com suas habilidades para a força de trabalho e podem criar filhos mais felizes e saudáveis. Eles também são capazes de ajudar a alimentar economias sustentáveis ​​e beneficiar as sociedades e a humanidade em geral.


Barbara e Lulu, ambas de quatro anos, caminham juntas da escola para casa ao pôr do sol.

 


Uma parte fundamental desse empoderamento é por meio da educação. As meninas que são educadas podem buscar um trabalho significativo e contribuir para a economia de seu país mais tarde na vida. Eles também são quatro vezes menos propensos a se casar jovens quando têm oito anos de educação, o que significa que eles e suas famílias são mais saudáveis.

Empoderar as meninas é a chave para o crescimento econômico, estabilidade política e transformação social.

5. Histórias reais de empoderamento feminino

Marie: Uma última chance

Quando Marie, de 14 anos, começou a escola, havia um número igual de meninos e meninas. Mas em sua sala de aula do 8º ano, ela é a única menina, cercada por 19 meninos.

“Eu quero terminar o ensino médio também. Eu quero provar que as meninas podem fazer isso”, diz Marie, com um olhar de determinação.

Se Marie se formar na escola primária, ela será a primeira menina de sua família com um certificado.

No Sudão do Sul, as meninas que completam toda a sua educação são excepcionais. Devido ao conflito e à pobreza, apenas 30% das crianças em idade escolar estão estudando atualmente. A desigualdade de gênero também é um fator, e apenas uma em cada sete meninas (18%) termina a escola primária no Sudão do Sul.

Mas a Visão Mundial está atuando para apoiar a educação na comunidade de Marie. Construímos a escola primária que Marie frequenta e fornecemos aos professores incentivos financeiros e materiais para trabalhar lá. As 700 crianças atualmente matriculadas na escola recebem material escolar – livros, uniformes, canetas e lápis.


“Estamos abordando a desigualdade de gênero na educação por meio de sessões de conscientização da comunidade com os pais, mas mudar o comportamento e os costumes que duram gerações requer persistência e determinação”, diz Godfrey, gerente de projeto da Visão Mundial que trabalha na comunidade de Marie.

Marie espera que um dia ela possa mudar sua comunidade e que através de seu exemplo mais meninas possam continuar estudando. Até lá, ela seguirá fazendo anotações e redigindo provas, rumo ao seu objetivo de terminar seus estudos.

Tabitha: Assar para retribuir

Cheiro de pão fresco – vozes de senhoras conversando – um brilho fraco passa pelas janelas. O cozimento do dia começou aqui na Padaria Thusanang Mokhali no Lesoto.

Tabitha é um dos dois membros do grupo sênior da padaria. Como pastora local, ela viu os desafios enfrentados pelas pessoas em sua comunidade e estava particularmente preocupada com as oportunidades limitadas para os jovens.


Ela começou a se perguntar como poderia ajudar sua comunidade – e, eventualmente, a padaria nasceu. Ao lado de outra avó chamada Mahlakametsa, Tabitha começou a assar pão para criar oportunidades de emprego.

Com a ajuda da World Vision, a dupla recebeu um forno e outros equipamentos críticos. Isso significava que eles eram capazes de passar do processo ineficiente de assar na fogueira escavada na terra e, em vez disso, assar dentro de casa.

Isso também significou que eles foram capazes de expandir e atrair novos membros da equipe.

Para mulheres como Tabitha, ter um meio de vida assim é um caminho para a esperança. Em muitas partes do mundo, as mulheres não estão equipadas com as habilidades, conhecimentos e acesso a financiamento que lhes permita começar a trabalhar e assumir o controle de seu futuro.

Tabitha agora pode usar as habilidades que já possui e, junto com o apoio da World Vision, pode ganhar a vida que dá pão e empregos para sua comunidade.

“Lembrei que sabia amassar e fazer pão porque trabalhava numa padaria. Agora entendi que com as pessoas aqui podemos fazer isso”, diz ela.

6. Como posso empoderar mulheres e meninas?

Estar ao lado e investir nas mulheres é um começo importante. Dos locais de trabalho e escolas aos lares e comunidades, as mulheres

A igualdade de gênero sustenta todo o trabalho da World Vision – e há muitas atividades excelentes nas quais você pode se envolver para apoiar os direitos das mulheres nos países em desenvolvimento.

  1. Patrocine uma menina : Quando você patrocina uma menina, você pode dar a ela as ferramentas para obter educação e recuperar os direitos que ela merece. Esta é uma maneira fundamental que as meninas podem ser capacitadas para crescer e influenciar sua geração – e a próxima.
  2. Eduque-se descobrindo sobre questões que afetam as meninas – por exemplo, casamento infantil . 
  3. Saiba mais sobre o que a Visão Mundial está fazendo para fazer mudanças. Leia mais sobre  nossa abordagem para ajudar meninas a escapar da desigualdade de gênero .
  4. Compre presentes de empoderamento feminino. A Visão Mundial oferece uma variedade de presentes que contribuem para investir e construir mulheres e meninas.

Compre presentes de empoderamento feminino

Empoderamento das mulheres

Fonte: Wikipédia, english

O empoderamento das mulheres (ou empoderamento feminino ) pode ser definido de várias maneiras, incluindo aceitar os pontos de vista das mulheres ou fazer um esforço para buscá-los, elevando o status das mulheres por meio da educação , conscientização , alfabetização e treinamento. [1] [2] [3] O empoderamento das mulheres equipa e permite que as mulheres tomem decisões determinantes da vida através dos diferentes problemas da sociedade. [3] Eles podem ter a oportunidade de redefinir os papéis de gênero ou outros papéis, o que, por sua vez, pode lhes dar mais liberdade para perseguir os objetivos desejados. [1]

O empoderamento das mulheres tornou-se um importante tópico de discussão em desenvolvimento e economia. O empoderamento econômico permite que as mulheres controlem e se beneficiem de recursos, bens e renda. Também ajuda na capacidade de gerenciar riscos e melhorar o bem-estar das mulheres. [4] Pode resultar em abordagens para apoiar gêneros banalizados em um determinado contexto político ou social. [5] Embora muitas vezes usado de forma intercambiável, o conceito mais abrangente de empoderamento de gênero diz respeito a pessoas de qualquer gênero, enfatizando a distinção entre biológico e gênero como um papel. O empoderamento das mulheres ajuda a aumentar o status das mulheres por meio da alfabetização, educação, treinamento e conscientização. [6] Além disso, o empoderamento das mulheres refere-se à capacidade das mulheres de fazer escolhas estratégicas de vida que antes lhes eram negadas. [7]

Nações, empresas, comunidades e grupos podem se beneficiar da implementação de programas e políticas que adotem a noção de empoderamento feminino. [8] O empoderamento das mulheres aumenta a qualidade e a quantidade de recursos humanos disponíveis para o desenvolvimento. [9] O empoderamento é uma das principais preocupações processuais ao abordar os direitos humanos e o desenvolvimento .

Definições e métodos 

Existem vários princípios que definem o empoderamento das mulheres, tais como, para que uma seja empoderada, elas devem vir de uma posição de desempoderamento. Eles devem adquirir empoderamento eles mesmos, em vez de tê-lo dado a eles por uma parte externa. Outros estudos descobriram que as definições de empoderamento implicam que as pessoas tenham a capacidade de tomar decisões importantes em suas vidas, ao mesmo tempo em que são capazes de agir sobre elas. Empoderamento e desempoderamento são relativos um ao outro em um momento anterior; como tal, o empoderamento é um processo e não um produto. [2]

Os estudiosos identificaram duas formas de empoderamento, empoderamento econômico e empoderamento político. [10] [11]

Empoderamento econômico 

Desde a década de 1980, a pressão pelo neoliberalismo prioriza a competitividade e a autoconfiança como medida de sucesso econômico. [12] Os indivíduos e suas comunidades de identificação que não atendem aos padrões neoliberais favorecidos pela sociedade são menosprezados e propensos a diminuir sua própria auto-estima. [12] Alguns grupos que não se encaixam na imagem neoliberal preferível são a classe trabalhadora baixa e os desempregados. [12]

Especificamente, o neoliberalismo impactou negativamente a autoestima das mulheres por meio de suas políticas de reforma do bem-estar. Mary Corcoran et ai. teorizam que os reformadores conservadores do bem-estar acreditam na dependência do bem-estar como a causa da pobreza. [13] Isso leva os reformadores do bem-estar a ampliar os critérios para que um indivíduo se qualifique como beneficiário do bem-estar, limitando o número de pessoas dependentes do bem-estar. [13] Esses critérios incluem: requisitos de trabalho e limites de tempo, empurrando rapidamente as mulheres para o mercado de trabalho. [13] [14] A pressão ativa para que as mulheres entrem no mercado de trabalho reforça a noção de que mães solteiras e cuidadoras não remuneradas são improdutivas para a economia americana. [14]Em consequência, as mulheres são forçadas a se contentar com empregos precários e instáveis, ao mesmo tempo em que têm que administrar suas responsabilidades maternas e domésticas. [13] Os estudiosos acreditam que o propósito subjacente da reforma do bem-estar é desempoderar as mulheres suprimindo a agência e a independência econômica das mulheres. [15] [16] [14] Ao criar oportunidades para o empoderamento das mulheres, como treinamento profissional, as mulheres podem neutralizar as implicações sociais do neoliberalismo e, especificamente, da reforma do bem-estar. [15] [14] [13]

Além disso, sugere-se que os formuladores de políticas apoiem o treinamento profissional para ajudar na entrada nos mercados formais. [10] Uma recomendação é fornecer mais oportunidades de educação formal para as mulheres que permitiriam maior poder de barganha em casa. Teriam mais acesso a salários mais altos fora de casa; e, com isso, facilitar a inserção das mulheres no mercado de trabalho. [17]

O empoderamento das mulheres e o alcance da igualdade de gênero ajudam a sociedade a garantir o desenvolvimento sustentável de um país. Muitos líderes mundiais e acadêmicos argumentam que o desenvolvimento sustentável é impossível sem igualdade de gênero e empoderamento das mulheres. [13] O desenvolvimento sustentável aceita a proteção ambiental, o desenvolvimento social e econômico, incluindo o empoderamento das mulheres. No contexto das mulheres e do desenvolvimento, o empoderamento deve incluir mais escolhas para as mulheres fazerem sozinhas. [18]

O fortalecimento do acesso das mulheres à herança de propriedade e direitos à terra é outro método usado para empoderar economicamente as mulheres. Isso lhes permitiria melhores meios de acumulação de ativos, capital e poder de barganha necessários para lidar com as desigualdades de gênero . Muitas vezes, as mulheres em países em desenvolvimento e subdesenvolvidos são legalmente impedidas de entrar em suas terras com base apenas no gênero. [17] Ter direito à sua terra dá às mulheres uma espécie de poder de barganha que elas normalmente não teriam; eles ganham mais oportunidades de independência econômica e instituições financeiras formais.

A raça tem um impacto integral no empoderamento das mulheres em áreas como o emprego. O emprego pode ajudar a criar empoderamento para as mulheres. Muitos estudiosos sugerem que quando discutimos o empoderamento das mulheres, discutir as diferentes barreiras que as mulheres desprivilegiadas enfrentam, o que torna mais difícil para elas obterem empoderamento na sociedade, é importante ao examinar o impacto da raça no emprego. Examinar significativamente como as oportunidades são estruturadas por gênero, raça e classe pode transpirar mudanças sociais. As oportunidades de trabalho e o ambiente de trabalho podem criar empoderamento para as mulheres. O empoderamento no local de trabalho pode afetar positivamente a satisfação e o desempenho no trabalho, ter igualdade no local de trabalho pode aumentar muito a sensação de empoderamento. [19]

No caso de as mulheres terem a oportunidade de se contentar com empregos estáveis, as mulheres de corencontrar uma falta de igualdade de acessibilidade e privilégios em ambientes de trabalho. Eles são confrontados com mais desvantagens no local de trabalho. Patricia Parker argumenta que o empoderamento das mulheres afro-americanas é sua resistência ao controle, defendendo-se e não se conformando às normas e expectativas da sociedade. Em conexão com o poder, as perspectivas feministas veem o empoderamento como uma forma de resistência dentro de sistemas de relações de poder desiguais. Dentro do cenário social de raça, gênero e política de classe, o empoderamento das mulheres afro-americanas no ambiente de trabalho “pode ​​ser visto como resistência às tentativas de fixar significados de identidade e comportamento apropriados, onde tais significados são interpretados como controladores, exploradores e outros”. – sábio opressivo para as mulheres afro-americanas.” [20]Ao falar sobre o empoderamento das mulheres, muitos estudiosos sugerem examinar as injustiças sociais sobre as mulheres na vida organizacional cotidiana que são influenciadas por raça, classe e gênero.

Outra metodologia para o empoderamento econômico das mulheres também inclui o microcrédito . [21] As instituições de microfinanças visam capacitar as mulheres em sua comunidade, dando-lhes acesso a empréstimos com baixas taxas de juros sem a exigência de garantias. [22] Mais especificamente, eles (instituições de microfinanças) visam dar microcrédito a mulheres que querem ser empreendedoras. [22] O sucesso e a eficiência do microcrédito e dos microcréditos são controversos e constantemente debatidos. [23]Algumas críticas afirmam que o microcrédito por si só não garante que as mulheres tenham controle sobre a forma como o empréstimo é usado. As instituições de microfinanças não abordam as barreiras culturais que permitem que os homens ainda controlem as finanças domésticas; como resultado, o microcrédito pode simplesmente ser transferido para o marido. O microcrédito não desobriga as mulheres das obrigações domésticas e, mesmo que as mulheres tenham crédito, elas não têm tempo de ser tão ativas no mercado quanto os homens. [22] [24]

Empoderamento político 

O empoderamento político apóia a criação de políticas que melhor apoiariam a igualdade de gênero e a agência para as mulheres nas esferas pública e privada. Os métodos sugeridos são a criação de políticas de ação afirmativa que tenham uma cota para o número de mulheres em cargos políticos e parlamentares. [17] A partir de 2017, a média global de mulheres que ocupam cargos mais baixos e únicos no parlamento é de 23,6%. [11] Outras recomendações foram para aumentar os direitos das mulheres de votar , expressar opiniões e a capacidade de concorrer a cargos com uma chance justa de serem eleitas. [8]Como as mulheres geralmente estão associadas aos cuidados com os filhos e às responsabilidades domésticas em casa, elas têm menos tempo dedicado a entrar no mercado de trabalho e administrar seus negócios. As políticas que aumentam seu poder de barganha no lar incluem políticas que levem em conta os casos de divórcio, políticas para melhor bem-estar para as mulheres e políticas que dêem às mulheres controle sobre os recursos (como direitos de propriedade). [17] No entanto, a participação não se limita ao âmbito da política. Pode incluir a participação no lar, nas escolas e a capacidade de fazer escolhas por si mesmo. Alguns teóricos acreditam que o poder de barganha e a agência no lar devem ser alcançados antes que se possa avançar para uma participação política mais ampla. [25]

Habilidades digitais aumentam o empoderamento político 

As habilidades digitais podem facilitar o envolvimento das mulheres com o governo local e aumentar seu poder de tomada de decisão em suas comunidades. O projeto Women-gov no Brasil e na Índia, por exemplo, ajudou as mulheres a melhorar sua compreensão e comunicação com o governo local por meio de TICs . [26] No Brasil, o projeto treinou líderes comunitários femininos para acessar e utilizar dados online sobre serviços de saúde do governo para melhor responder à saúde públicapreocupações em suas comunidades. Na Índia, o projeto trabalhou com coletivos de mulheres para estabelecer centros de informação comunitários administrados por mulheres e conectados à Internet para facilitar solicitações de assistência governamental (incluindo assistência social e direitos), o que, por sua vez, melhorou as ligações entre os coletivos, autoridades locais e instituições públicas. [27]

Mulheres com habilidades digitais são mais capazes de fazer ouvir suas vozes sobre questões locais e influenciar o resultado de decisões que afetam a si mesmas e suas comunidades. As habilidades digitais também podem capacitar as mulheres a participar de movimentos políticos. [26] Por exemplo, o anonimato das TICs pode permitir que algumas mulheres evitem limitações à liberdade de expressão em sociedades repressivas, enquanto a mobilização coletiva por meio de redes online pode permitir que as mulheres façam campanha sobre questões de gênero. [27] Estudos mostram que um grupo de mulheres iraquianas usou uma campanha multimídia, incluindo um componente online, para pressionar com sucesso o governo regional curdo para proibir a prática da mutilação genital feminina .[28] Imagens tiradas em telefones celulares e distribuídas nas mídias sociais chamaram a atenção para a violência doméstica na China e influenciaram o tratamento da mídia em casos judiciais sobre aborto forçado. [29]

De acordo com a Food and Agriculture Organization , existem sete fatores de sucesso para o empoderamento das mulheres rurais por meio das TICs: [30]

1. Adapte o conteúdo para que seja significativo para eles.

2. Crie um ambiente seguro para eles compartilharem e aprenderem.

3. Seja sensível ao gênero

4. Forneça acesso e ferramentas para compartilhamento

5. Construir parcerias

6. Forneça a combinação certa de tecnologias.

7. Garantir a sustentabilidade

O papel regulatório dos governos (nos níveis local, nacional, regional e internacional) é crucial para lidar com as barreiras de infraestrutura, harmonizar e tornar o ambiente regulatório inclusivo e sensível ao gênero e proteger todas as partes interessadas contra fraude e crime. [30]

Empoderamento cultural 

Como uma sociedade progressista, defendendo os direitos e o empoderamento das mulheres, devemos parar de ver a cultura apenas como uma barreira e um obstáculo aos direitos das mulheres. [31] A cultura é uma parte integrante e enorme da diversidade e um meio que procura garantir a igualdade de oportunidades das mulheres. [32]Reconhece sua liberdade de se orgulhar de seus valores, sejam eles ortodoxos ou modernos por natureza. Isso não quer dizer que séculos de abuso vestidos com o espírito da cultura devam continuar, muito menos ser celebrados. Sem dúvida, as tradições envoltas na ideia de empoderamento devem ser contestadas à luz do feminismo. Por exemplo, algumas pesquisas indicam que as mulheres só têm a mesma chance de ter seu trabalho escrito publicado em periódicos revisados ​​por pares se o sexo do autor for absolutamente desconhecido para os revisores. [32] Isso é resultado da cultura habitual histórica que levou à falta de representação da mulher na literatura e, portanto, demonstrou fortemente por que todos os legados culturais não podem e não devem ser celebrados ou incentivados.

Há uma necessidade de que direitos culturais iguais para as mulheres sejam reconhecidos e implementados, o que, por sua vez, ajudaria a reconstruir o gênero de maneira que se elevasse acima da inferioridade e subordinação das mulheres. Além disso, isso melhoraria significativamente as condições para o gozo pleno e igualitário de seus direitos humanos em geral, conforme argumenta a especialista da ONU na área de direitos culturais, Farida Shaheed.

Shaheed continua a acrescentar que a perspectiva e as contribuições das mulheres devem transcender das margens da vida cultural para o centro do processo que cria e molda as culturas ao redor do mundo hoje. [31] “As mulheres devem ser reconhecidas e apoiadas como porta-vozes iguais, investidas da autoridade para determinar quais das tradições da comunidade devem ser respeitadas, protegidas e transmitidas às gerações futuras”. [31]

Abordagens feministas ao empoderamento das mulheres 

O feminismo é definido pelo objetivo do movimento de criar o empoderamento das mulheres. [33] Dois métodos que as feministas usam para facilitar um senso de empoderamento das mulheres são a conscientização e a construção de relacionamentos com as mulheres participantes e seus opressores externos. [16] [34]

Conscientização 

Para criar o empoderamento das mulheres, as feministas costumam usar a conscientização. [16] Ao se conscientizar, as mulheres não apenas se tornam conhecedoras de suas lutas pessoais, mas como elas se relacionam com questões políticas e econômicas. [35] [16] Aumentar a consciência permite que indivíduos marginalizados vejam onde estão colocados na estrutura social mais ampla e identifiquem a raiz de sua opressão. [35] [16] A consciência de seus problemas iniciará a automobilização que cria precisamente o empoderamento. [16]

No entanto, os estudiosos Shane Brady e Mary O’Connor apontaram que o termo “conscientização” pode ser mal compreendido e ofensivo aos participantes. [36] Usar o termo “conscientização” inflige a noção de que a comunidade marginalizada não está ciente de sua opressão e de como lidar com ela. [36]

Construindo relacionamentos 

Além disso, as feministas, especificamente as organizadoras feministas, focam na construção de relacionamentos como um meio para criar o empoderamento das mulheres. [36] [37] [34] Os estudiosos afirmam que a construção de relacionamentos resulta em empoderamento porque a crescente presença de lacunas de poder na sociedade se deve à falta de relacionamentos necessários para colmatá-los. [38] Quando se trata de formar e manter relacionamentos, é preciso haver um equilíbrio entre colaboração e conflito entre as duas partes. [35] [38] O conflito geralmente surge em situações em que os membros da comunidade tentam construir relacionamentos com figuras externas de poder, como representantes do governo. [38] [37]Fomentar um espaço de colaboração e de deliberação de ideias conflitantes é importante porque resolver desacordos [38] permite a formação de confiança entre as partes. [36] Além disso, o conflito individualmente beneficia as mulheres participantes porque promove habilidades de resolução de problemas [38] e as abre para um novo conjunto de conhecimentos e perspectivas sobre a sociedade. [38] Os estudiosos observam que a construção de relacionamentos tem uma tendência despolitizante, pois a atividade não desafia diretamente as estruturas opressivas que afetam as mulheres. [38]Uma observação específica dessa tendência despolitizadora é a contação de histórias. Ao construir relacionamentos, as feministas encorajam as mulheres participantes a compartilhar suas experiências pessoais envolvendo a opressão de gênero, em vez de deliberar sobre estratégias para abordar o sistema opressor.

Medições e avaliação 

O empoderamento das mulheres pode ser medido através da Medida de Empoderamento de Gênero (GEM), que calcula a participação das mulheres em uma determinada nação, tanto política quanto economicamente. O GEM é calculado rastreando “a parcela de assentos no parlamento ocupado por mulheres; de legisladoras, altos funcionários e gerentes; e de profissões e trabalhadores técnicos femininos; e a disparidade de gênero na renda auferida, refletindo a independência econômica”. [8] Classifica os países com base nesta informação.

Algumas críticas ao GEM é que ele não se preocupa com fatores relacionados à sociedade, como gênero, religião, contexto cultural, contexto legal e violações dos direitos das mulheres. [39] A medida de empoderamento de gênero tenta fazer uma abordagem padronizada consistente para medir o empoderamento das mulheres; ao fazê-lo, foi criticado que o GEM não leva em conta a variação em fatores históricos, autonomia feminina, segregação de gênero e direito de voto das mulheres. [40]

Outras medidas que calculam a participação das mulheres e a igualdade relativa incluem o Índice de Paridade de Gênero (GPI) ou o Índice de Desenvolvimento Relacionado ao Gênero (GDI). [8] O GDI é uma forma pela qual o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) mede a desigualdade entre os gêneros dentro de um país. Algumas críticas a essa medida é que, como os cálculos do GDI dependem exclusivamente da distribuição de desempenho entre homens e mulheres de uma população, o GDI não mede a desigualdade de gênero; em vez disso, mede níveis absolutos de renda, educação e saúde. [39]

Uma forma mais qualitativa de avaliar o empoderamento das mulheres é identificar restrições à ação. Isso permite identificar as relações de poder entre os gêneros. Por ser um processo participativo, facilita a conversa sobre discriminação de gênero. [2] Comparar as restrições sobre as mulheres posteriormente também permite que quaisquer mudanças ou expansões sejam melhor identificadas. A avaliação do desenvolvimento da agência das mulheres permite avaliar as ações realizadas. Essas avaliações também devem ser baseadas na ação das mulheres, e não em grupos externos. Grupos externos podem ajudar a facilitar o empoderamento das mulheres, mas não podem concedê-las. [2]

Barreiras

Muitas das barreiras ao empoderamento e equidade das mulheres são o resultado de normas culturais . Enquanto muitas mulheres estão cientes das questões colocadas pela desigualdade de gênero, outras se acostumaram a isso. [41] Muitos homens no poder hesitam em romper com as normas sociais que são injustas com as mulheres. [42]

Pesquisas mostram que o aumento do acesso à Internet também pode resultar em uma maior exploração das mulheres. [43] A divulgação de informações pessoais em sites colocou em risco a segurança pessoal de algumas mulheres. Em 2010, Working to Halt Online Abuse afirmou que 73% das mulheres foram vitimadas por esses sites. Os tipos de vitimização incluem perseguição cibernética , assédio, pornografia online , flaming , [44] e especialmente assédio sexual no local de trabalho . Ocorre com mais frequência em negócios, comércio, bancos e finanças, vendas e marketing, hospitalidade, serviço público e educação, palestras e ensino. [45]Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o assédio sexual é uma forma clara de discriminação de gênero com base no sexo, uma manifestação de relações de poder desiguais entre homens e mulheres. A Convenção das Nações Unidas sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Contra as Mulheres (CEDAW) está pedindo medidas crescentes de proteção para as mulheres contra o assédio sexual e a violência no local de trabalho. 54% (272) sofreram algum tipo de assédio sexual no local de trabalho. 79% das vítimas são mulheres; 21% eram homens. [45]

Estudos mostram que as mulheres enfrentam mais barreiras no local de trabalho do que os homens. As barreiras relacionadas ao gênero envolvem assédio sexual, práticas de contratação injustas, progressão na carreira e remuneração desigual, onde as mulheres recebem menos do que os homens por desempenhar o mesmo trabalho. [46] Ao considerar os ganhos médios de homens e mulheres que trabalhavam em período integral, durante todo o ano, dados do governo de 2014 mostraram que as mulheres ganhavam US$ 0,79 para cada dólar que um homem ganhava. O salário médio das mães trabalhadoras foi ainda menor – US$ 0,71 para cada dólar que um pai ganhava, de acordo com um estudo de 2014 realizado pela Parceria Nacional para Mulheres e Crianças. Embora grande parte da discussão pública sobre a diferença salarial concentrou-se em mulheres recebendo salários iguais pelo mesmo trabalho que seus colegas homens, muitas mulheres lutam com o que é chamado de “penalidade da gravidez”. Essa ocorrência é difícil de mensurar, mas a possibilidade de ter um bebê pode ser suficiente para os empregadores atrapalharem a remuneração das mulheres. [47] As mulheres são colocadas em uma posição em que precisam tomar a decisão de se manter na força de trabalho ou ter filhos, o que levou ao debate sobre a licença maternidade nos Estados Unidos e em muitos outros países do mundo.

Em março de 2016, o site de carreira em tecnologia Dice divulgou um estudo com mais de 16.000 profissionais de tecnologia que descobriu que, quando educação, experiência e posição equivalentes são comparadas, não há diferença salarial e não houve nos últimos seis anos. [47]

Papel da educação 

As pessoas se envolvem em debates públicos e fazem exigências ao governo por saúde, previdência social e outros direitos. [48] ​​Em particular, a educação capacita as mulheres a fazer escolhas que melhoram a saúde de seus filhos, seu bem-estar e as chances de adquirir habilidades de sobrevivência. [49] [12] A educação informa outras pessoas sobre como prevenir e conter uma doença. Essa educação capacita as mulheres a fazer escolhas que podem melhorar seu bem-estar, incluindo casar-se além da infância e ter menos filhos. A educação pode aumentar a conscientização das mulheres sobre seus direitos, aumentar sua auto-estima e proporcionar a elas a oportunidade de fazer valer seus direitos. [50]

A educação não está universalmente disponível e as desigualdades de gênero persistem. Uma grande preocupação em muitos países não é apenas o número limitado de meninas que frequentam a escola, mas também o número de percursos educacionais para aquelas que entram na sala de aula. Existem esforços para abordar a menor participação e desempenho de aprendizagem das meninas na educação em ciências, tecnologia, engenharia e matemática (STEM) . [51]

Em algumas partes do mundo, meninas e mulheres são atacadas por frequentar a escola, [52] e os esforços da sociedade para impedir isso podem estar faltando. [53]

Uso da Internet 

A Internet é muitas vezes uma fonte de empoderamento para as mulheres por meio de sua criação, dispersão e utilização de hashtags nas mídias sociais. O crescente acesso à Internet no final do século 20 forneceu às mulheres várias ferramentas para se empoderar. As mulheres começaram a usar sites de redes sociais como Facebook e Twitter para ativismo online . [43] Por meio do ativismo online, eles podem se empoderar organizando campanhas e expressando suas opiniões por direitos de igualdade. [54]

Os blogs surgiram como uma ferramenta para o empoderamento feminino educacional. De acordo com um estudo feito pela Universidade da Califórnia, em Los Angeles, os pacientes médicos que leem e escrevem sobre sua doença geralmente estão muito mais felizes e com mais conhecimento do que aqueles que não o fazem. [55] Ao ler as experiências de outras pessoas, os pacientes podem se educar melhor e aplicar estratégias que seus colegas blogueiros sugerem. [55]

Com a fácil acessibilidade e acessibilidade do e-learning (aprendizado eletrônico), as mulheres podem estudar no conforto de suas casas. [56] Eles aprendem habilidades que os ajudam a avançar em suas carreiras.

Exemplos de ativismo online com impacto incluem uma campanha online de 2013 que levou o Facebook a derrubar várias páginas que espalhavam ódio contra as mulheres. A campanha foi iniciada por 100 mulheres defensoras. [57] Em 2017, quando a hashtag #AintNoCinderella surgiu, ela se tornou viral depois que Varnika Kundu (uma mulher de 29 anos na Índia) estava dirigindo para casa depois da meia-noite de 4 de agosto, quando foi seguida e assediada por dois homens em um SUV. . [58] Kundu foi responsabilizado por sair tarde da noite, especialmente pelo vice-presidente do governo do BJP, Ramveer Bhatti. Isso levou mulheres da Índia e de outras partes do mundo a compartilhar fotos de si mesmas tarde da noite com a hashtag “#AintNoCinderella” para mostrar que as mulheres não têm um toque de recolher específico que devem seguir.[59]

Projetos em andamento 

A ONU lançou um conjunto de objetivos chamados Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) para ajudar a tornar o mundo um lugar melhor. [60] Do dia 17, o quarto objetivo trabalha para permitir o acesso à educação para todas as pessoas. Um grande esforço tem sido feito para incluir as mulheres nas escolas para melhorar sua educação. [61] O quinto objetivo concentra-se em capacitar mulheres e meninas para alcançar a igualdade de gênero por meio da igualdade de acesso a vários tipos de oportunidades (cuidados de saúde, educação, trabalho etc.). [62]

Envolvimento dos EUA

Internamente, os EUA empoderaram as mulheres através da aprovação de leis como permitir que as mulheres votem em 1920, banindo a discriminação baseada em gênero em 1964, banindo a discriminação contra mulheres grávidas em 1978, etc. A inclusão das mulheres na política permitiu mais igualdade de gênero. A primeira mulher presidente da Câmara, a primeira-dama a concorrer à presidência e as primeiras mulheres a servir na Suprema Corte foram eventos monumentais que forneceram informações sobre o desenvolvimento da aceitação social das mulheres no poder. [63]

Os EUA fornecem ajuda externa a países do terceiro mundo de várias formas, uma das quais é fornecendo programas de educação. Há projetos de lei no Congresso que trabalham para garantir a educação das meninas. Uma delas é a Lei de Proteção ao Acesso das Meninas à Educação. Esses projetos de lei são promulgados com a crença de que a educação adequada tirará as meninas da pobreza e reduzirá a exploração delas. [64]

Outra ação empreendida pelos EUA é o programa PEPFAR , iniciado pelo governo Bush em 2003. Os EUA gastaram mais de US$ 1,4 bilhão no financiamento da África Subsaariana durante a vigência do programa. Esse programa entrou em vigor em resposta à crise global do HIV/AIDS e promoveu a abstinência entre meninas e mulheres. [65] Houve uma parceria com a DREAMS, e seu principal objetivo com o PEPFAR era permitir que meninas e mulheres se desenvolvessem em mulheres determinadas, resilientes, capacitadas, livres de AIDS, mentoradas e seguras. [66]Há críticas de que este programa não fez muito para reduzir o comportamento de risco de HIV, e críticos como John Dietrich expressaram preocupação de que o contexto da ajuda forçou as crenças ocidentais de escolher a abstinência antes do casamento. [67] [68]

Similar Posts