Artigos do Portal:
#Deusas Maias#Chá para o Parto – Chá Mexicano#Artigo ou Artigos Indicados da Semana:#A Deusa Inuit Sedna#Changelings – Lendas das crianças trocadas#Gaulesas e Gauleses e as Divindades Celtas#Origem da Festa Junina#Festival Folclórico de Parintins#História e Origem das Festas Juninas na América#Anat, Deusa antiga Cananita#Óleo de Abramelin#Deusas Celtas#Mitos e Lendas Eslavas#Cartimandua e Boudica (Boadiceia)#Zorya, Deusa Eslava da Luz#Reavivando o Divino Feminino por meio de histórias e tradições celtas#Reino de Hel: A Deusa Nordica do Submundo – Indo e voltando para o inferno#Fiar e tecer, as artes mágicas femininas e maravilhosas associações#História Celta relacionada ao Mito do Rei Arthur#Cailleach: Mito Irlandês, Lenda e o Feminino Divino#Mitos e Estações no céu Tupi-Guarani#Deusas da Natureza#Druidas femininas, as sacerdotisas esquecidas dos celtas#Deusa Nemetona#A luta de Elizabeth Packard contra a tirania legal dos maridos#Baalbek – Templos de mais de 5000 anos – Deusas Venus / Atargatis#Al-Lāt, Allat, Allatu ou Alilat , a deusa árabe pré-islâmica#Tir na nOg e Tuatha De Danann#Oráculos no Druidismo / Oráculos Druidas#Um Ogham para os Montes Apalaches#Awen, a inspiração divina: princípio central na tradição druida#Atlantida, a civilização anterior a atual#Mulheres na sociedade Maia#O princípio feminino: uma ideia em evolução#Yoni e ‘Sheela Na Gig’#Deusas Nativas do Brasil e os mitos de mitos#Os Nativos do Novo Mexico (Norte America) Zuni e Puebloans Ancestrais#Maria Madalena / Maria Magdalena#Mehrgarh – sitio arqueológico neolítico (datado de 7000 aC a 2500/2000 aC – Paquistão)#A PODEROSA ORAÇÃO AO PLANETA DE MAIS DE 500 MULHERES NO VALE SAGRADO DO PERU#Monte Ararat#Alfabeto siríaco#Monte Nemrut / Nemrud#Maitreya (as três mães) se encarna#Compreendendo a filosofia de Shiva-Shakti através de ‘Ardhanarishvara’#Shakti e Kali#Sobre Magia#As Eras Glaciais – A História da Ciência sobre o tempo antes do auge da Civilização Ariana#Sonhos lúcidos podem nos aproximar de experimentar a “realidade” não dualista do que acordar a meditação#Honrando nosso sagrado ciclo feminino ‘tempo da lua’#Atlantida e os deuses antigos#Artemis#Doze mulheres famosas da idade média#Jezabel: princesa de Sidom, rainha de Israel#Hormônios e seu ambiente – Quando se trata de hormônios, há mais de um “normal”#Os ciclos femininos, ciclos de fertilidade e menstruação nas Culturas Nativas#Ereshkigal – Deusa Crone, Deusa do Submundo e da Morte#Deusas Crone – As Mães das Sombras, da Morte#Deusas Incas#Deusas da Água – Deusas do mar, dos rios e lagos#Deusas do Fogo#Recomendações da medicina tradicional chinesa para ajudar a aliviar as dores do período menstrual#Maré – a força do Sol, da Lua e outros astros sobre a Terra#Mais artigos para ginecologia natural: plantas, ervas#A civilização mais antiga do mundo é ainda mais antiga do que se pensava#Antropologia Feminista#Abraçando o feminino divino, a escuridão, a sombra e tudo#Deusas nativas americanas#Coatlicue, deusa mãe asteca#Ginocentrismo e Androcentrismo#O Feminino nas religiões#Amphitrite / Salacia: A Deusa contraparte de Netuno / Poseidon#CORRESPONDÊNCIA ENTRE PLANTAS E PLANETAS: UM GUIA DE ASTROBOTÂNICA PARA PREPARAR REMÉDIOS MÁGICOS#CORRESPONDÊNCIA ENTRE PLANTAS E PLANETAS: UM GUIA DE ASTROBOTÂNICA PARA PREPARAR REMÉDIOS MÁGICOS#O Sagrado Feminino pelo Budismo Vajrayana#Volvas – Mulheres ‘xamas’: as temidas e respeitadas Profetisas, Sábias, Sacerdotisas, Videntes nórdicas#A Adoração de Deus na forma feminina#Atma Shakti pela abordagem do Yoga#As Bruxas do Brasil Colônia#Os Planetas/ Astros na astrologia#Atargatis: uma deusa síria adorada nos primeiros séculos dC.#Ecofeminismo(s): Por Que Mulheres, Animais e Natureza Sob o Mesmo Olhar?#Disfunção Sexual Feminina#Anatomia Genital Feminina#Ginecologia natural: o poder das ervas a serviço da saúde da mulher#Ginecologia natural: um caminho para a humanização do cuidado#MENSTRUAÇÃO, CORPOS FÍSICO & SUTIL, GINECOLOGIA NATURAL & HOLÍSTICA#Diu de Cobre – Métodos contraceptivos não hormonais#O que você deve saber sobre os octagramas – estrelas de oito pontas#Sete raios#Empatia nos cuidados de saúde da mulher#Ginecologia Ayurveda#Passos positivos para se estabelecer para a gravidez pela Ginecologia Tradicional Chinesa#Ginecologia na Medicina Chinesa – Ginecologia Tradicional Chinesa – Oriental#Astrologia egípcia e signos do zodíaco egípcio#O Feminino Divino nos Contos de Fadas#Sirius – Estrela Nobre e Divina#Quiromancia#Shamans Göbekli Tepe e seus símbolos cósmicos e Shahmaran#Mulheres antigas xamãs da Irlanda: curandeiros, sacerdotisas e adivinhos#Shakti – seus significados#Imagens do Feminino Ancestral: Reconhecimento de Padrões, Através do Espaço e do Tempo#O keebèt e a cerimônia feminina no Chaco#Notre Dame de la Vie: Nossa Senhora da Vida#Templos da Deusa na Ásia Ocidental#Atete, Deusa do Povo Oromo no sul da Etiópia#Rainha de Saba / Sabah / Shaba – Makeda, Bilqis#Matriarcado, Matrilinearidade,#Mãe Menininha do Gantois#A rabina Léah Novick#A natureza divina das mulheres naturalmente – um desafio do século XXI#Citações do Feminino Divino#O poder da Irmandade / Fraternidade Feminina ou Sororidade#Influencias da Lua, dos planetas e outros astros sobre a terra#Sobre a Vagina, a Vulva e soluções naturais para alguns problemas#Runas – História, Mitos e Significados dos Símbolos#Madeiras para fazer varinhas mágicas#Dualidade Mútua: Yin Yang / Shiva Shakti#Plantas para reconexão feminina#O Feminino Divino está em Ascensão#Pindorama – O Brasil Nativo, O Brasil Ancestral – e Abya Yala#Astros de tônicas femininas para encontrá-los e entender o feminino no seu mapa astrológico#Florais para as mulheres#Ervas e plantas para a cura dos disturbios femininos – ervas e plantas para mulheres – Ginecologia Natural#Vênus e as Plêiades!#Código e Contemplação da ética das Sacerdotisas#Purificação, Consagração e Carregamento de objetos#Plantando um jardim mágico – Plantas Mágicas#Jóias egípcias antigas arrancadas do monte funerário da “princesa virgem” na Siberia, montanhas de Altai#Ervas, plantas e magia#Tuatha De Danann#Os Duidas#Moura Encantada#Poder dos Metais – Propriedades Magicas dos Metais#De Tonantzin Coatlicue à Virgem de Guadalupe: o que Elas têm em comum#Magia dos tecidos: A Cosmovisão Andina Através da Tecelagem#Deusas da Cura#As Hostes Angelicas – de Geoffrey Hodson#Os Anjos#Astrologia do Centro Galáctico – o centro galáctico no mapa astrológico#Tonalidade cósmica – o significado sagrado da tartaruga#Deusas hindus. Lakshmi, Sarasvati e Parvati (Sati, Durga e Kali)#A lenda hindu do dilúvio de Manu e o relato bíblico de Noé#A Deusa Ganga e O Ganges: o rio sagrado do hinduísmo#Qhaqoy – técnica massagem andian#simbolos para os principios#Ativando a Prosperidade#Sobre o que é Sombra#A Menstruação é realmente ‘normal’ ou ‘natural’? (do ponto de vista muito ancestral)#Ogham / Ogam – Alfabeto Celta – Druida#A Jornada de Inanna: A descida de Inanna ao submundo: uma obra-prima literária de 5.500 anos#Shakti – Invocando sua energia feminina#Deusa Mãe (Ninmah, Nintud / r, Belet-ili e Nin e Ninhursag)#Principais desastres ambientais no Brasil e no mundo#Salto de Sete Quedas – SALTOS DEL GUAIRÁ – O fim das maiores cachoeiras do mundo#Meses da árvore celta – 13/treze divisões lunares#Plantas harmonização hormonal#Magia, Magia Cerimonial e Teurgia#A Mãe Divina#Shakti – Na astrologia oriental e numerologia#Planetários e quadrados mágicos –#Artes divinatórias e práticas mânticas#Tarot: A Rota ou Roda das Experiências das civilizações antigas#Deusa Asherah – Representação Feminina do Sagrado, a Deusa de Israel#A Grande Deusa – Histórico#A Mais Antiga Oração Dirigida à Maria Datada Do Ano 250 d.C#Áreas reflexas femininas do corpo físico-etérico#Lilith#A Humanização do Parto e do Nascimento#Nomes Xamãs#Animais com fêmeas dominantes#Uma não definição de “xamã”#Enheduanna – A poeta e Alta Sacerdotisa acadiana#O Panteão da Mesopotâmia – Mitologia Mesopotâmia#Tiamat#Lista de ocultistas e escritores ocultistas#Plantas e seus benefícios#Reflexões de uma antropóloga e mãe: ‘O que aprendi com índios sobre educação infantil’#As “Montanhas Sagradas”, o Centro das Montanhas Mágicas da Mantiqueira – Aiuruoca#Serra do Roncador#Instrumentos Musicais Indígenas#O poder das raízes: As plantas falam umas com as outras pelas suas raízes#As mulheres e produção de óvulos: mulheres nascem com óvulos em seus ovários#Escritos e Evangelhos Apócrifos#Astarte, Astoreth, Ashtarot, a verdadeira origem de Venus e Afrodite#Deusas em Transformação:#Exercícios Kegel: Exercícios Musculares Pélvicos#Alquimia Feminina: Cultivo Feminino#Hypatia de Alexandria#Sírius, a estrela da realeza#Quem é Baphomet?#Maquiagem com produtos naturais (maquiagens veganas, naturais e caseiras)#Ēostre – A Deusa da Origem da Páscoa#Arqueólogos encontram vestígios de civilização desconhecida na Amazônia#Inanna – Ishtar – Astart (Ashtoreth)#Apsaras#Sobre a Frequência 432 e afins#A Era de Aquário#Evangelho de Maria#Quando Deus era mulher: A civilização das deusas gordas#Aradia#Porque precisamos de energia feminina no mundo#Mudanças no campo magnético da Terra#Associações de apoio às mulheres pelo mundo#Como a sabedoria das mulheres estava perdida#Ondas Cerebrais e Meditação#O Movimento do Sagrado Feminino ou Divino Feminino#A lenda de Mulan: a jornada da mulher e do feminino#Jornada de Cura – integrado as jornadas dos heróis e heroínas#Marija Gimbutas e a Deusa#Jornada da heroína: a narrativa mítica da mulher#Diferenças entre Signos e Constelações#Centro Galáctico#108 Siddhas Femininas, Dakinis, Yoginis e tântricas#Mulheres nas religiões#Casa da Virgem Maria na Turquia#As Mulheres na Cultura Védica#A Jornada da heroína e os ciclos de morte e vida#Elementos da meditação ativa:#Shakti Sadhana – Disciplina espiritual hindu (combinação de prática védica e tântrica)#Fases da Lua de 1900 a 2060#Informações básicas e interessantes da Astronomia#Locais importantes relacionados ao Caminho Evolutivo da civilização Ária#Samhain#Deusas da Mitologia no Brasil#A Centralidade da Feminina Divina – Shakti – no Sufismo#LILITH, O grande misterio do feminino selvagem#O que é Ginecosofia / Ginecosophia – Ginesofia / Ginesophia#Pleiades – pela Teosofia#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (ciganas)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (indianas)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (orientais, árabes)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (flamenco e salsa)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (brasileiras)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (hawaianas, polinesia, tailandesas, chinesas outras)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (árabes – dança do vente, orientais tribais, indianas fusion e afins)#Mandala#Grupo Mawaka#Outras Músicas#Sarasvati, Lakshmi, Parvati – As Três deusas, Shaktis supremas do induísmo#Yasodhara#Yasodhara#Céu Real – Céu Astronômico do momento (Efemérides Astronômicas)#Beltane#Mulher Shaman / Mulheres Xamãs#Maha Devi – Lalitha Sahasranamam – Os 1000 nomes de Lalitha / Lalita#Dança Duende – Danza Duende e ‘El Duende’#Mulheres Heroínas Indígenas#Apu (divindade) – Os Espíritos da Montanha do Peru#Mitos e lendas: Paititi, uma importante cidade perdida dos Incas#Caminho do Peabiru – Caminho utilizado pelos nativos ancestrais sul-americanos, ligando o litoral ao interior#SHAKTI-SHIVA e a Cosmogênese – Os mistérios da origem do humano e do universo#Qoya – A Rainha-Sacerdotisa Inca#Ginecologia Natural – Naturologia Feminina: Saúde da Mulher#NEFERTITI, a Bela e Poderosa Rainha do Egito – A Grande Rainha do Nilo#Recebemos as mitocôndrias de nossas mães: maioria dos seus genes são oriundos de sua mãe.#Mulheres Incas#Hello world!#Deusas indianas e o significado de suas imagens#História das mulheres#Musicas Danças#RECONEXÃO Caminho Sagrado Feminino: Práticas Essenciais#O que é o Feminicídio ou femicídio#Gênero Feminino#Políticas públicas de combate à violência contra a mulher#Movimentos pelos Direitos da Mulher#Atos Internacionais – convenções que se referem às mulheres (Diretos da Mulher 2)#Direitos da Mulher#Helena Blavatsky#Mulheres em luta: Mulheres revolucionárias#Sobre o Útero – O Cálice Sagrado (pela abordagem do xamanismo tolteca contemporaneo)#Sobre Alquimia Interior – Alquimia Feminina – Respiração Ovariana – (pela abordagem do Tao Universal)#Tambores Xamânicos Sagrados#Xamanismo Huna (Hawai) e o Ho'oponopono#Atlantida, uma civilização matriarcal esquecida#Elementais da Natureza#Pedras de Poder#Os cristais e o ventre#Equilíbrio hormonal da mulher 2 – A importância da Progesterona#Equilíbrio Hormonal da Mulher#Por que nem todas as fêmeas menstruam? ….#Shakti#O Sagrado Feminino e a Deusa Gaia Manifestada#Os Mistérios de Vila Velha (Ponta Grossa – PR – Brasil)#Mistérios Brasileiros Famosos#As Deusas Védicas#O Poder das Plantas#Pesquisa revela o poder das mulheres Incas#Profecias dos Incas Q’ero#Mulheres da Floresta#ZENEIDA, A PAJÉ DO MARAJÓ#Mulheres Pajes – As xamas nativas brasileiras#A Sabedoria dos Incas e Andina e os resquícios de uma sabedoria sagrada feminina#A CHAKANA – A Cruz Andina ou Cruz Quadrada – a ponte entre os mundos#Acllas, as Sacerdotisas do Sol – Mulheres Sagradas dos Andes (sacerdotisas incas)#Princípios dos Povos Andinos#Pachamama#Herbologia mística – o poder das ervas e plantas#O Poder dos Cristais#O Poder das Flores – O Povo Flor#A Lenda das 13 Matriarcas#O Poder das Árvores: O Povo em Pé#Purificação com ervas – por método xamânico#Plantas de Poder#Catal Hoyuk – Anatólia (atual Turquia) e a arte da deusa e do feminino#Símbolos minóicos do culto a Deusa#Animais de poder – As ‘Criaturas’ ou ‘Criaturas Animais’ – Totens (Xamanismo)#Animais de poder – As 'Criaturas' ou 'Criaturas Animais' – Totens (Xamanismo)#Mix de ervas emagrecedoras – também diminui a barriga (perde gordura abdominal)#Shakti Mantras: os mantras de poder e graça potencializando outros mantras#Oração (ou contemplações) às Marias Navegantes – das Sacerdotisas de Maria#Theotokos – Maria como a 'Mãe de Deus'#Theotokos – Maria como a ‘Mãe de Deus’#Coliridianismo#A TERRA OCA – Mistérios milenares da Terra#Sara La Kali ou Santa Sara Kali – O Sagrado Feminino e o Sincretismo religioso#Segredos do Sagrado Feminino Cristão – As Marias do Mar#O que é ser uma sacerdotisa – A Sacerdotisa e o Sagrado Feminino#Sagrado Feminino: Brasil, ÍSIS, N.Srª Aparecida, o poder da Deusa#Sobre o Sagrado Feminino, as Abelhas e o mel, A Deusa Abelha#Shaktis – As mulheres Yoginis, Dakinis e Sacerdotisas#Shakti – A importância de seu reconhecimento pela mulher#Shaktis dos Nakshatras#Shakti – Poder Cósmico e Universal#Shakti : A Mãe do Mundo 1#Shakti: O Despertar da Deusa Adormecida na Matéria#Shakti: O Poder, a Força Divina Cósmica, Planetária e Pessoal#Shakti, kundalini e Tantra#Cariatides – Sacerdotisas de Artemis#Piramides na Bosnia e China#A história das coisas, pelas pessoas e pela Terra#Os Mistérios da Serra do Roncador#Avatara ou Avatar e o Kalki Avatar ou Maitreya#Links Astrologia Sideral e Astrologia Védica#O que são formas pensamento, egregoras e tulpa?#Estátua de Maitreya: uma imagem que a mente pode fazer dela uma ponte!#Allamirah – Uma Encarnação da Divina Mãe, do Feminino Sagrado#Oricalco: o metal desaparecido usado na Atlântida#Especiarias#Sacerdotisas Sumérias#Ervas Medicinais, Especiarias e Temperos#Shakti#Srichakra – representação de Shiva-Shakti no macrocósmico e microcósmicos#Dharma e Sanatana Dharma – As Leis Universais e o Sistema de Sabedoria da Índia para estar em sintonia com essas leis#A Filosofia Yoga Shakti – por Sri Swami Sivananda#Samantabhadri, Prajnaparamita, Vajravarahi e Arya Tara (As Grandes Shaktis do dharmakaya, sambhogakaya e Nirmanakaya)#Kurukulla: Lalitavajra ou Vajratara (ou Tara Vermelha)#Vajravahari e Vajrayogini#As ‘Deidades’ do Bardo (estágio intermediário)#Aditi – Devamatri, expansão cósmica, espaço; mãe de todas as coisas#Adi Parashakti (Adi Shakti) – Param Prakriti, o Poder do Para Brahman#Lokapalas ou Maharajas#Shri Yantra – Um dos mais conhecidos e poderosos Yantras#Lalita Tripurasundari – A origem dos 3 mundos#Filmes Indicados#Bibliografia: Livros – Indicação para o estudo da Espiritualidade e Sabedoria Feminina#Glossário de Deusas#Glossário Indígena e Xamânico#Músicas de Marcus Viana e Sagrado Coração#Links para as constelações e estrelas fixas: Pleiades, Orion/Tres Marias, Sirius, Algol, Cruzeiro do Sul, Pleiades do Sul, Cão e Ursa Maior, Coroa Austral e Boreal, Spica, Sadalmelik#Conjunções de Vênus (de 1900 a 2050) – Trânsitos e Ciclos de Venus (1032 a 2255)#Estações do Ano de 1900 a 2099#O Céu do Momento#Leis Herméticas – Leis ou Princípios Existenciais ou Leis que regem o Universo#As linguas originais sagradas: Sensar e Vatan – e os mistérios que elas guardam#Matrikas (Mães Protetoras e Purificadoras) e as 64 Dakinis#As Cinco Mães, Irmãs ou Consortes de Sabedoria (Prajnas) – Mães e Consortes dos Dhyanis Budhas#Pleroma – A Plenitude#Aeon – Emanações Supremas do Pleroma#Os conceitos de Self, Individuação e Iluminação#Os estágios-níveis de desenvolvimento humano e os domínios transpessoais#Meditação e o despertar do Poder e da Sabedoria Interior#Qual a diferença, entre os gêneros, que interferem nos métodos de despertar? (resumo síntese)#Como se dá a exploração energética direta da mulher? (resumo síntese)#O que é o ‘processo evolucional’ ou despertar da consciência? (resumo síntese)#Porque esta urgência de despertar? (resumo síntese)#Protegido: Sonhos lúcidos – teoria e prática#O que são Elementos Vibracionais?#Porque um sistema iniciático (de despertar) específico para as mulheres? (resumo síntese)#Crianças / Humanos Índigo e Cristais#Anjos e Devas#Porque muitas mulheres se sentem insatisfeitas nos seus relacionamentos? (Parte 1)#Dualismo e não dualismo#O que é Magia, Teurgia e Teurgia Natural?#Sobre as mulheres – pensamentos e frases#Hildegard de Bingen#O que significa Shekinah (Shekhinah ou Shechiná)#Shakti – O poder interior humano, planetário e cósmico: O Grande Feminino#Fenícios no Brasil muito antes dos portugueses#Ilha Brasil – Hy Brazil a ilha mítica, a ilha afortunada#Roda do Ano – Os 8 Festivais Celtas – As 8 fases da Deusa#Sobre o feminino, o masculino e o sexo – Dion Fortune#Sobre o significados de Sacerdotisa#Mata Amritanandamayi Devi, Ammachi ou Amma – A Shakti Mãe que distribui o Poder do Amor pelo abraço#Ma Yoga Shakti – A Shakti com realizações materiais e espirituais para o bem comum#Anandi Ma: uma Shakti oferecendo Shaktipat no ocidente#Transformando a energia em Shakti – referente aos ensinamentos de Shree Maa#Shee Maa – Uma deusa mãe da Índia para o ocidente#Planetas e Arcanos – para refletir os aspectos arquetípicos#Yeshe Tsogyal: uma Dakini iluminada#Therese Neumann – uma santa cristã#Sri Ma Anandamayi – Uma grande Shakti manifestada na índia#Mahavidya – As dez grandes Shaktis associadas aos grandes poderes cósmicos para os tântricos#Sri Sarada Devi – A Santa Mãe, uma Shakti encarnada#Alguns mestres orientais e suas Dakinis ou Shaktis – Padmasambhava, Ramamkrishna, Aurobindo#o que significam: Libertação, Iluminação, Auto Realização, Arhat, Nirvana#Nangsa Obum – uma mulher tibetana considerada emanação de Tara#Vajrayogini – A Shakti orientadora e inspiradora no caminho de iluminação#Tara – uma manifestação do aspecto feminino iluminado#As 64 Dakinis ou Yoginis#o que significa Prakrit, Mahaprakrit e Purusha#O que significa Kundalini, Fohat e Prana#O que significa Sophia (Sofia)#o que significam Deusas Mães ou Grandes Deusas#O que significa Devi#O que significa Dakini#O que significa Yogini#O que significa diksha, deeksha ou deeksa – ou iniciação espiritual#O que siginifica Shaktismo#O que significa Shaktipat#o que significa SHAKTI#Shakti#As Sacerdotisas da história desta civilização: Pitonisas, Vestais, de Ísis, de Inana, Sibilas#o que é THEASOPHIA (Theasofia, Teasofia) e THEALOGIA (Tealogia)#Gurumayi Chidvilasananda – uma bela e bem aventurada Shakti transmitindo Shaktipat ao ocidente#o que é TEURGIA e TAUMATURGIA#Mirra Alfassa – Shakti ou Companheira espiritual de Sri Arobindo#Ayu Khadro – Uma Grande Dakini manifestada
Início » Sobre Magia

Sobre Magia

Magia

Magia , um conceito usado para descrever um modo de racionalidade ou modo de pensar que busca forças invisíveis para influenciar eventos, efetuar mudanças nas condições materiais ou apresentar a ilusão de mudança. Dentro da tradição ocidental, esse modo de pensar é distinto dos modos religioso ou científico; no entanto, essas distinções e até a definição de mágica estão sujeitas a amplo debate.

Natureza e Âmbito

As práticas classificadas como mágicas incluem adivinhação , astrologia , encantamentos, alquimia, feitiçaria, mediação espiritual e necromancia. O termo magia também é usado coloquialmente na cultura popular ocidental para se referir a atos de conjuração e truque para entretenimento. O objetivo da magia é adquirir conhecimento, poder, amor ou riqueza; curar ou afastar doenças ou perigos; garantir produtividade ou sucesso em um empreendimento; causar dano a um inimigo; revelar informação; induzir transformação espiritual; enganar; ou para entreter. A eficácia da magia é frequentemente determinada pela condição e desempenho do mágico , que acredita-se ter acesso a forças invisíveis e conhecimento especial das palavras e ações apropriadas para manipular essas forças.

Fenômenos associados ou confundidos com magia incluem formas de misticismo , medicina, paganismo, heresia , bruxaria , xamanismo , vodu e superstição . Às vezes, a magia é dividida na magia “alta” da elite intelectual , na fronteira com a ciência , e na magia “baixa” das práticas populares comuns. Também é feita uma distinção entre magia “negra”, usada para fins nefastos , e magia “branca”, ostensivamente usada para fins benéficos . Embora esses limites geralmente não sejam claros, as práticas mágicas têm um senso de “alteridade” por causa dapoder sobrenatural que se acredita ser canalizado através do praticante, que é uma figura marginalizada ou estigmatizada em algumas sociedades e uma figura central em outras.

Elementos de magia

Feitiços

O desempenho da magia envolve palavras (por exemplo, feitiços, encantamentos ou encantos) e símbolos simbólicos. números que se acredita terem poder inato, objetos materiais naturais ou artificiais e ações rituais executadas pelo mago ou por outros participantes. Acredita-se que um feitiço ou encantamento atrai poder de agências espirituais para realizar mágica. O conhecimento de feitiços ou números simbólicos é muitas vezes secreto (oculto), e o possuidor de tal conhecimento pode ser muito reverenciado ou temido. Em alguns casos, o feitiço é o componente mais considerado do ritual ou cerimônia mágica. o Os habitantes da ilha de Trobriand , na Melanésia, por exemplo, consideravam o uso correto das palavras da maneira correta como essencial para a eficácia do ritual realizado. Entre o Para os maori da Nova Zelândia, o poder das palavras é considerado tão importante que se acredita que erros nas recitações públicas causem desastres para indivíduos ou a comunidade . Além disso, como os encantos medievais europeus que usavam línguas arcaicas e partes da liturgia latina, os feitiços costumam empregar um vocabulário esotérico que contribui para os ritos respeitados. A crença no poder transformador das palavras também é comum em muitas religiões. Xamãs, médiuns espirituais e místicos, por exemplo, repetem sons ou sílabas específicas para alcançar um estado extático de contato com forças espirituais ou um estado iluminado de consciência. Até a mágica moderna do entretenimento retém um resíduo do feitiço com o uso do termo abracadabra .

 

Material

Muita literatura antropológica se refere aos objetos usados ​​na magia como “medicamentos “, daí o uso popular do termo curandeiro para mágico. Esses medicamentos incluem ervas, partes de animais, pedras preciosas, objetos sagrados ou adereços usados ​​no desempenho e são considerados potentes em si mesmos ou fortalecidos por encantamentos ou rituais. Em alguns casos, os medicamentos que se destinam a curar são fisiologicamente eficazes; por exemplo, a papoula é usada amplamente como anestésico, a casca de salgueiro é usada por alguns chineses como analgésico e o alho e a cebola foram usados ​​como antibióticos na Europa medieval. Outros medicamentos que causam danos, como extratos de sapos e bufadienolidos, são, de fato, venenos conhecidos. Outros materiais têm uma relação simbólica com o resultado pretendido, como adivinhação de partes de animais. Dentro escapulamancia  (adivinhação do osso do ombro de uma ovelha), por exemplo, o osso da ovelha reflete as forças macrocósmicas do universo. Dentro feitiçaria, um mágico pode empregar algo pertencente à vítima pretendida (por exemplo, cabelo, aparas de unhas ou uma peça de roupa) como parte do ritual. O rito em si pode ser simbólico, como acontece com o desenho de círculos de proteção para chamar espíritos, a aspersão de água no chão para fazer chuva ou a destruição de uma imagem de cera para prejudicar a vítima. Plantas ou outros objetos também podem simbolizar os resultados desejados: em ritos para garantir a velocidade de uma canoa, os Trobriand usam folhas vegetais leves para representar a facilidade com que a embarcação desliza sobre a água; a Zande do Sul do Sudão colocar uma pedra em um garfo árvore para adiar o pôr do sol; e muitos povos dos Balcãs já engoliram ouro para curar a icterícia.

Magia (n.)
final de 14c., magike, “arte de influenciar ou prever eventos e produzir maravilhas usando forças naturais ocultas”, também “arte sobrenatural”, especialmente a arte de controlar as ações de seres espirituais ou sobre-humanos; do magique francês antigo “mágica; mágico”, da magice latina tardia “feitiçaria, magia”, do magike grego (presumivelmente com tekhnē “arte”), fem. dos magikos “mágicos”, dos magos “, um dos membros da classe erudita e sacerdotal”, do magush do Velho Persa, que é possivelmente da raiz da TORTA * magh- “poder, tenha poder”.

A sensação transferida de “domínio principal, ilusão de ótica etc.” é de 1811. Deslocou o wiccecræft do inglês antigo (ver bruxa); também drycræft, do seco “mágico”, do irlandês drui “padre, mágico” (veja Druida). Magia natural na Idade Média era aquela que não envolvia a ação de espíritos pessoais; era considerado mais ou menos legítimo, não pecaminoso e envolvia muito que seria explicado cientificamente como a manipulação de forças naturais.

Origem e significado da magia
magia (adj.)

“de ou pertencendo à magia; trabalho ou produzido por encantamento; possuindo qualidades ou poderes sobrenaturais”, final de 14c., da Magique francesa antiga, do latim magicus “mágica, mágica”, dos magikos gregos, de magike (ver magia (n. )). O tapete mágico, um lendário tapete que transportaria uma pessoa para onde ele desejava ir, é atestado em 1816. Magic Marker (1951) é uma marca registrada (EUA) pela Speedry Products, Inc., Richmond Hill, NY Instrumento óptico de lanterna mágica em que uma imagem ampliada é lançada sobre uma parede ou tela “é de 1690, do latim moderno laterna magica (1670).

Origem e significado da magia
magia (v.)

“transformar, produzir, efetuar etc. como se por mágica”, 1864, de magic (n.). Palavras-chave: Magicked; magicking.

Soletrando a História do ‘Feitiço’

Linguagem é mágica! (E também requer muito estudo.)

Em inglês, o feitiço da palavra tem três homógrafos distintos , o que significa que a ancestralidade da palavra tem três ramos etimológicos distintos – e, como qualquer família extensa, é uma história complicada.

alt 5b0ebd2a9ebbe

Primos em terceiro grau removidos duas vezes? Grandes tios? Quem sabe quem são essas pessoas.

No inglês médio, feitiço significava “significar” ou “significar”, que provavelmente se desenvolveu a partir de um espírito anglo-francês , ele próprio do feitiço do alto alemão médio , significando “relacionar” ou “conversar”. Esse feitiço , no inglês moderno, passou a significar “ler devagar (letra por letra)”.

O feitiço referente ao encantamento mágico é de origem diferente. Essa palavra é estritamente germânica (do substantivo spel ) e refere-se a conversas, histórias, fofocas e sermões. É também a derivada do evangelho (que se traduz em “bom conto”) e é a fonte do poder mágico e dos sentidos de encantamento do feitiço . O poeta inglês Edmund Spenser une esses sentidos da palavra em seu poema épico The Faerie Queene (1590):

Feitiço é um tipo de verso ou encanto que, nos tempos antigos, costumavam dizer sobre tudo o que teriam preservado: como o feitiço noturno para ladrões e o feitiço da madeira. E aqui, portanto, eu diminuo, é chamado de Evangelho, ou Palavra.

Spell também se tornou um substantivo referente a um substituto e um verbo referente ao ato de substituição. Esse feitiço parece ser caseiro e é concebido a partir do inglês antigo spala (de origem desconhecida). Quando apareceu magicamente no século XVI, esse feitiço tinha o significado específico de “aliviar ou substituir o outro no trabalho”, como no exemplo antiquado de “os avós se soletram enquanto assistiam seus netos”. Usado como um substantivo, nesse sentido, feitiçooriginalmente significava “uma troca de trabalhadores”. No século seguinte, passou a se referir à “volta de um único trabalhador ao trabalho” e depois a “um período passado em um emprego ou ocupação” (como em “Estou dispensando você de um feitiço”) – e, inversamente, ” um período de descanso do trabalho “, que parece ter se originado com os australianos em algum momento do século 19 na expressão” Soletrar Oh “, sinalizando uma interrupção do trabalho.

A cada duas horas, mais ou menos, o grito de “soletrar oh” ressoa no galpão de lã; e então, um a um, os tosquiadores param de trabalhar para desfrutar de uma fumaça e um pannikin de chá.
– Sydney News , 13 de abril de 1872

O sentido australiano está ligado a um uso anterior de feitiço que geralmente se refere a um período indeterminado de tempo. (Tais “feitiços” fora da Austrália tendem a ser do tipo menos desejável: “um feitiço de desmaio”, “um feitiço quente / frio / seco / úmido”, “um feitiço na prisão”. Se você está sentado ou estão em um feitiço e você não está na Austrália, algo provavelmente não está certo.)

feitiço (principalmente) anglo-francês , referente à leitura lenta, entra em inglês no século XIV.

Qual deve ser o estado daquele que se senta para soletrar os jornais com a resolução determinada de acreditar no que vê na imprensa?
– O Espelho , 1780

No século 16, as pessoas começaram a “soletrar” palavras – ou seja, começaram a nomear letras individuais de uma palavra em sua ordem correta. E não demorou muito para o uso figurativo do verbo se desenvolver. De fato, o Bardo usou sentidos literais e figurativos em suas peças:

Oh, ela sabia bem / Teu amor lia de maneira mecânica, que não sabia soletrar.
– William Shakespeare, Romeu e Julieta , 1594-1595

Você fala a verdade. Eu ainda nunca vi o homem, / Quão sábio, quão nobre, jovem, quão raramente caracterizado, / Mas ela o soletrava para trás.
– William Shakespeare, Muito Barulho por Nada , 1598-99

Este feitiço levou a soletrar para baixo no século XIX. Essa expressão refere-se a derrotar alguém em uma partida de ortografia, abelha, torneio, luta, etc., e o ato de ortografia estava se tornando algo feroz.

Houve exercícios de leitura e brigas de ortografia.
– Mark Twain, Tom Sawyer , 1876

No século 20, soletre , significando “esclarecer” – como em “Tenho que soletrar para você? Você está demitido”. – acontece. Outra expressão é feitiço padeiro . O uso mais famoso dessa expressão vem do poeta americano Henry Wadsworth Longfellow: “Se um homem velho se casa com uma jovem esposa, por que então … ele deve soletrar padeiro” [o que implica que o casamento de uma pessoa jovem tem suas dificuldades].

Suspeita-se que a expressão tenha se originado do uso de padeiro no livro de ortografia elementar de Noah Webster, como uma das primeiras palavras de duas sílabas para as crianças escreverem. Na entrada para o verbo soletrar em seu dicionário, Webster inclui o exemplo: “Nossa ortografia é tão irregular que a maioria das pessoas nunca aprende a soletrar”.

Este pergaminho de 2.000 anos é coberto por palavras misteriosas em aramaico. (Miomir Korac / Instituto Arqueológico)

 Mantendo você atualizado

Um Guia de Magia Antiga

Na antiguidade, amor ou vingança era apenas um feitiço de distância

 

Pode ser um acidente feliz: quando um grupo de arqueólogos sérvios descobriu recentemente um esconderijo de esqueletos de 2.000 anos, eles descobriram um conjunto de pergaminhos misteriosos cobertos com maldições aramaicas também. Como relata a Reuters , os minúsculos pergaminhos estavam contidos no que se pensa serem amuletos antigos e são cobertos com feitiços usados ​​em rituais de “magia vinculativa” de outrora.

Enquanto os arqueólogos trabalham para decifrar os pergaminhos (um processo que nunca poderia ser concluído), por que não reservar um momento para acompanhar o que os historiadores já sabem sobre os rituais mágicos antigos?

Feitiços eram tudo 

Na antiga “mágica vinculativa”, era tudo sobre feitiços. Ao contrário de frases mágicas modernas, como, por exemplo, “bippity boppity boo”, os praticantes de magia no grego antigo e em Roma usavam feitiços para “ligar” as pessoas a diferentes resultados em eventos esportivos, negócios e assuntos pessoais relacionados a amor e até vingança .

Como escreve o especialista em magia grega e romana Derek Collins , feitiços de ligação conheciam fórmulas e nomeavam partes envolvidas, como deuses e pessoas, e depois as conectavam a ações ou resultados. Você pode usar um feitiço obrigatório para invocar uma próxima vitória atlética ou garantir seu casamento feliz com um novo parceiro – e, para isso, usaria poderosas sequências de palavras transmitidas por mágicos ou pessoas comuns.

Os amuletos eram um acessório de moda mágico indispensável

Feitiços não foram apenas ditos no mundo antigo – eles foram anotados. E, como os objetos encontrados na Síria, os feitiços eram frequentemente carregados com uma pessoa até que eles passassem. Os amuletos projetados para carregar feitiços se tornaram um acessório de moda obrigatório e são encontrados regularmente em locais e escavações de sepulturas e gregos antigos e romanos.

Embora outras culturas antigas, como a do Egito Antigo, preferissem os amuletos com simbolismo , os amuletos da Grécia Antiga e da Roma foram projetados para carregar feitiços. Em 2011, os arqueólogos descobriram um amuleto em Chipre gravado com um feitiço palíndromo e, em 2008, os arqueólogos suíços encontraram um pergaminho de ouro em uma cápsula de amuleto de prata que se pensava pertencer a uma criança romana antiga. Os amuletos podem parecer decorativos, mas seu conteúdo parecia vida e morte para os crentes, que pagavam aos mágicos para lhes dar pergaminhos e talismãs que colocavam suas intenções em forma física.

Maldições e vingança eram uma coisa e tanto

Uma das tradições mais charmosamente amargas da Grécia e Roma antigas eram as “tábuas da maldição” – feitiços escritos em chumbo, cera ou pedra que mostravam as maneiras pelas quais as pessoas haviam sido prejudicadas. Pense nas tábuas da maldição como as quedas do mundo antigo: se alguém a desrespeitou ou prejudicou, você pode ir ao seu mágico local e pagar para amaldiçoá-las. As pessoas amaldiçoavam as pessoas que feriam seus familiares, mas também as amaldiçoavam quando cometeram crimes ou até entraram em processos judiciais contra eles. Grandes caches de comprimidos de maldição foram encontrados nas escavações romanas no Reino Unido moderno.

Um desses tabletes invoca o deus Mercúrio para amaldiçoar Varianus, Peregrina e Sabinianus, a quem o amaldiçoado pensou ter prejudicado seu animal. “Peço que você os conduza à morte máxima e não permita que eles saiam ou durmam, a menos que eles resgatem de você o que eles me administraram”, amaldiçoou o dolorido Docilinus. Ai.

Curse Tablet
(UCLA / Domínio Público)

E depois havia os bonecos de maldição 

É claro que, se alguém lhe ofendeu, você também teve a opção de criar uma pequena efígie para causar dano. Embora às vezes comparados aos bonecos de vodu modernos, os estudiosos ainda não sabem ao certo para que servem as pequenas figuras usadas na encadernação mágica na Grécia e Roma antigas. O que eles sabem é que a palavra “encadernação” foi usada literalmente quando se trata dessas figuras: elas foram encontradas em caixões minúsculos com mãos e pés amarrados ou corpos mutilados e parecem ter sido moldados juntamente com feitiços de encadernação .

Nem todo mundo na Grécia antiga e Roma gostava de magia 

As descrições acima podem fazer você pensar que todo mundo no mundo antigo gostava de magia. Mas isso não era verdade: os historiadores agora acreditam que a magia era bastante separada da religião antiga. Embora ambos envolvessem os deuses, a mágica envolvia manipular os deuses, enquanto outros rituais se baseavam em súplicas e ofertas na esperança de que os deuses pudessem favorecer a pessoa que pedia.

A legislação anti-mágica existia na Grécia antiga e na Roma antiga, mesmo antes dos dias do cristianismo, mas muitas vezes essas leis cobriam apenas a magia que realmente matava, como quando uma madrasta foi processada por administrar um “encanto de amor” fatal à amante de seu enteado. Lição aprendida: Se você usar apenas suas maldições, feitiços e encantos antigos para causar danos leves em vez de morte, você deve ficar bem. Agora, para onde foi esse tablet de maldição?