Artigos do Portal:
#Artigo da Semana#Divindades Femininas na América do Sul#Deusas Maias#Chá para o Parto – Chá Mexicano#Domesticidade e Feminilidade#A Deusa Inuit Sedna#Changelings – Lendas das crianças trocadas#Gaulesas e Gauleses e as Divindades Celtas#Origem da Festa Junina#Festival Folclórico de Parintins#História e Origem das Festas Juninas na América#Anat, Deusa antiga Cananita#Óleo de Abramelin#Deusas Celtas#Mitos e Lendas Eslavas#Cartimandua e Boudica (Boadiceia)#Zorya, Deusa Eslava da Luz#Reavivando o Divino Feminino por meio de histórias e tradições celtas#Reino de Hel: A Deusa Nordica do Submundo – Indo e voltando para o inferno#Fiar e tecer, as artes mágicas femininas e maravilhosas associações#História Celta relacionada ao Mito do Rei Arthur#Cailleach: Mito Irlandês, Lenda e o Feminino Divino#Mitos e Estações no céu Tupi-Guarani#Deusas da Natureza#Druidas femininas, as sacerdotisas esquecidas dos celtas#Deusa Nemetona#A luta de Elizabeth Packard contra a tirania legal dos maridos#Baalbek – Templos de mais de 5000 anos – Deusas Venus / Atargatis#Al-Lāt, Allat, Allatu ou Alilat , a deusa árabe pré-islâmica#Tir na nOg e Tuatha De Danann#Oráculos no Druidismo / Oráculos Druidas#Um Ogham para os Montes Apalaches#Awen, a inspiração divina: princípio central na tradição druida#Atlantida, a civilização anterior a atual#Mulheres na sociedade Maia#O princípio feminino: uma ideia em evolução#Yoni e ‘Sheela Na Gig’#Deusas Nativas do Brasil e os mitos de mitos#Os Nativos do Novo Mexico (Norte America) Zuni e Puebloans Ancestrais#Maria Madalena / Maria Magdalena#Mehrgarh – sitio arqueológico neolítico (datado de 7000 aC a 2500/2000 aC – Paquistão)#A PODEROSA ORAÇÃO AO PLANETA DE MAIS DE 500 MULHERES NO VALE SAGRADO DO PERU#Monte Ararat#Alfabeto siríaco#Monte Nemrut / Nemrud#Maitreya (as três mães) se encarna#Compreendendo a filosofia de Shiva-Shakti através de ‘Ardhanarishvara’#Shakti e Kali#Sobre Magia#As Eras Glaciais – A História da Ciência sobre o tempo antes do auge da Civilização Ariana#Sonhos lúcidos podem nos aproximar de experimentar a “realidade” não dualista do que acordar a meditação#Honrando nosso sagrado ciclo feminino ‘tempo da lua’#Atlantida e os deuses antigos#Artemis#Doze mulheres famosas da idade média#Jezabel: princesa de Sidom, rainha de Israel#Hormônios e seu ambiente – Quando se trata de hormônios, há mais de um “normal”#Os ciclos femininos, ciclos de fertilidade e menstruação nas Culturas Nativas#Ereshkigal – Deusa Crone, Deusa do Submundo e da Morte#Deusas Crone – As Mães das Sombras, da Morte#Deusas Incas#Deusas da Água – Deusas do mar, dos rios e lagos#Deusas do Fogo#Recomendações da medicina tradicional chinesa para ajudar a aliviar as dores do período menstrual#Maré – a força do Sol, da Lua e outros astros sobre a Terra#Mais artigos para ginecologia natural: plantas, ervas#A civilização mais antiga do mundo é ainda mais antiga do que se pensava#Antropologia Feminista#Abraçando o feminino divino, a escuridão, a sombra e tudo#Deusas nativas americanas#Coatlicue, deusa mãe asteca#Ginocentrismo e Androcentrismo#O Feminino nas religiões#Amphitrite / Salacia: A Deusa contraparte de Netuno / Poseidon#CORRESPONDÊNCIA ENTRE PLANTAS E PLANETAS: UM GUIA DE ASTROBOTÂNICA PARA PREPARAR REMÉDIOS MÁGICOS#CORRESPONDÊNCIA ENTRE PLANTAS E PLANETAS: UM GUIA DE ASTROBOTÂNICA PARA PREPARAR REMÉDIOS MÁGICOS#O Sagrado Feminino pelo Budismo Vajrayana#Volvas – Mulheres ‘xamas’: as temidas e respeitadas Profetisas, Sábias, Sacerdotisas, Videntes nórdicas#A Adoração de Deus na forma feminina#Atma Shakti pela abordagem do Yoga#As Bruxas do Brasil Colônia#Os Planetas/ Astros na astrologia#Atargatis: uma deusa síria adorada nos primeiros séculos dC.#Ecofeminismo(s): Por Que Mulheres, Animais e Natureza Sob o Mesmo Olhar?#Disfunção Sexual Feminina#Anatomia Genital Feminina#Ginecologia natural: o poder das ervas a serviço da saúde da mulher#Ginecologia natural: um caminho para a humanização do cuidado#MENSTRUAÇÃO, CORPOS FÍSICO & SUTIL, GINECOLOGIA NATURAL & HOLÍSTICA#Diu de Cobre – Métodos contraceptivos não hormonais#O que você deve saber sobre os octagramas – estrelas de oito pontas#Sete raios#Empatia nos cuidados de saúde da mulher#Ginecologia Ayurveda#Passos positivos para se estabelecer para a gravidez pela Ginecologia Tradicional Chinesa#Ginecologia na Medicina Chinesa – Ginecologia Tradicional Chinesa – Oriental#Astrologia egípcia e signos do zodíaco egípcio#O Feminino Divino nos Contos de Fadas#Sirius – Estrela Nobre e Divina#Quiromancia#Shamans Göbekli Tepe e seus símbolos cósmicos e Shahmaran#Mulheres antigas xamãs da Irlanda: curandeiros, sacerdotisas e adivinhos#Shakti – seus significados#Imagens do Feminino Ancestral: Reconhecimento de Padrões, Através do Espaço e do Tempo#O keebèt e a cerimônia feminina no Chaco#Notre Dame de la Vie: Nossa Senhora da Vida#Templos da Deusa na Ásia Ocidental#Atete, Deusa do Povo Oromo no sul da Etiópia#Rainha de Saba / Sabah / Shaba – Makeda, Bilqis#Matriarcado, Matrilinearidade,#Mãe Menininha do Gantois#A rabina Léah Novick#A natureza divina das mulheres naturalmente – um desafio do século XXI#Citações do Feminino Divino#O poder da Irmandade / Fraternidade Feminina ou Sororidade#Influencias da Lua, dos planetas e outros astros sobre a terra#Sobre a Vagina, a Vulva e soluções naturais para alguns problemas#Runas – História, Mitos e Significados dos Símbolos#Madeiras para fazer varinhas mágicas#Dualidade Mútua: Yin Yang / Shiva Shakti#Plantas para reconexão feminina#O Feminino Divino está em Ascensão#Pindorama – O Brasil Nativo, O Brasil Ancestral – e Abya Yala#Astros de tônicas femininas para encontrá-los e entender o feminino no seu mapa astrológico#Florais para as mulheres#Ervas e plantas para a cura dos disturbios femininos – ervas e plantas para mulheres – Ginecologia Natural#Vênus e as Plêiades!#Código e Contemplação da ética das Sacerdotisas#Purificação, Consagração e Carregamento de objetos#Plantando um jardim mágico – Plantas Mágicas#Jóias egípcias antigas arrancadas do monte funerário da “princesa virgem” na Siberia, montanhas de Altai#Ervas, plantas e magia#Tuatha De Danann#Os Duidas#Moura Encantada#Poder dos Metais – Propriedades Magicas dos Metais#De Tonantzin Coatlicue à Virgem de Guadalupe: o que Elas têm em comum#Magia dos tecidos: A Cosmovisão Andina Através da Tecelagem#Deusas da Cura#As Hostes Angelicas – de Geoffrey Hodson#Os Anjos#Astrologia do Centro Galáctico – o centro galáctico no mapa astrológico#Tonalidade cósmica – o significado sagrado da tartaruga#Deusas hindus. Lakshmi, Sarasvati e Parvati (Sati, Durga e Kali)#A lenda hindu do dilúvio de Manu e o relato bíblico de Noé#A Deusa Ganga e O Ganges: o rio sagrado do hinduísmo#Qhaqoy – técnica massagem andian#simbolos para os principios#Ativando a Prosperidade#Sobre o que é Sombra#A Menstruação é realmente ‘normal’ ou ‘natural’? (do ponto de vista muito ancestral)#Ogham / Ogam – Alfabeto Celta – Druida#A Jornada de Inanna: A descida de Inanna ao submundo: uma obra-prima literária de 5.500 anos#Shakti – Invocando sua energia feminina#Deusa Mãe (Ninmah, Nintud / r, Belet-ili e Nin e Ninhursag)#Principais desastres ambientais no Brasil e no mundo#Salto de Sete Quedas – SALTOS DEL GUAIRÁ – O fim das maiores cachoeiras do mundo#Meses da árvore celta – 13/treze divisões lunares#Plantas harmonização hormonal#Magia, Magia Cerimonial e Teurgia#A Mãe Divina#Shakti – Na astrologia oriental e numerologia#Planetários e quadrados mágicos –#Artes divinatórias e práticas mânticas#Tarot: A Rota ou Roda das Experiências das civilizações antigas#Deusa Asherah – Representação Feminina do Sagrado, a Deusa de Israel#A Grande Deusa – Histórico#A Mais Antiga Oração Dirigida à Maria Datada Do Ano 250 d.C#Áreas reflexas femininas do corpo físico-etérico#Lilith#A Humanização do Parto e do Nascimento#Nomes Xamãs#Animais com fêmeas dominantes#Uma não definição de “xamã”#Enheduanna – A poeta e Alta Sacerdotisa acadiana#O Panteão da Mesopotâmia – Mitologia Mesopotâmia#Tiamat#Lista de ocultistas e escritores ocultistas#Plantas e seus benefícios#Reflexões de uma antropóloga e mãe: ‘O que aprendi com índios sobre educação infantil’#As “Montanhas Sagradas”, o Centro das Montanhas Mágicas da Mantiqueira – Aiuruoca#Serra do Roncador#Instrumentos Musicais Indígenas#O poder das raízes: As plantas falam umas com as outras pelas suas raízes#As mulheres e produção de óvulos: mulheres nascem com óvulos em seus ovários#Escritos e Evangelhos Apócrifos#Astarte, Astoreth, Ashtarot, a verdadeira origem de Venus e Afrodite#Deusas em Transformação:#Exercícios Kegel: Exercícios Musculares Pélvicos#Alquimia Feminina: Cultivo Feminino#Hypatia de Alexandria#Sírius, a estrela da realeza#Quem é Baphomet?#Maquiagem com produtos naturais (maquiagens veganas, naturais e caseiras)#Ēostre – A Deusa da Origem da Páscoa#Arqueólogos encontram vestígios de civilização desconhecida na Amazônia#Inanna – Ishtar – Astart (Ashtoreth)#Apsaras#Sobre a Frequência 432 e afins#A Era de Aquário#Evangelho de Maria#Quando Deus era mulher: A civilização das deusas gordas#Aradia#Porque precisamos de energia feminina no mundo#Mudanças no campo magnético da Terra#Associações de apoio às mulheres pelo mundo#Como a sabedoria das mulheres estava perdida#Ondas Cerebrais e Meditação#O Movimento do Sagrado Feminino ou Divino Feminino#A lenda de Mulan: a jornada da mulher e do feminino#Jornada de Cura – integrado as jornadas dos heróis e heroínas#Marija Gimbutas e a Deusa#Jornada da heroína: a narrativa mítica da mulher#Diferenças entre Signos e Constelações#Centro Galáctico#108 Siddhas Femininas, Dakinis, Yoginis e tântricas#Mulheres nas religiões#Casa da Virgem Maria na Turquia#As Mulheres na Cultura Védica#A Jornada da heroína e os ciclos de morte e vida#Elementos da meditação ativa:#Shakti Sadhana – Disciplina espiritual hindu (combinação de prática védica e tântrica)#Fases da Lua de 1900 a 2060#Informações básicas e interessantes da Astronomia#Locais importantes relacionados ao Caminho Evolutivo da civilização Ária#Samhain#Deusas da Mitologia no Brasil#A Centralidade da Feminina Divina – Shakti – no Sufismo#LILITH, O grande misterio do feminino selvagem#O que é Ginecosofia / Ginecosophia – Ginesofia / Ginesophia#Pleiades – pela Teosofia#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (ciganas)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (indianas)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (orientais, árabes)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (flamenco e salsa)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (brasileiras)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (hawaianas, polinesia, tailandesas, chinesas outras)#Vídeos de Danças Femininas Étnicas (árabes – dança do vente, orientais tribais, indianas fusion e afins)#Mandala#Grupo Mawaka#Outras Músicas#Sarasvati, Lakshmi, Parvati – As Três deusas, Shaktis supremas do induísmo#Yasodhara#Yasodhara#Céu Real – Céu Astronômico do momento (Efemérides Astronômicas)#Beltane#Mulher Shaman / Mulheres Xamãs#Maha Devi – Lalitha Sahasranamam – Os 1000 nomes de Lalitha / Lalita#Dança Duende – Danza Duende e ‘El Duende’#Mulheres Heroínas Indígenas#Apu (divindade) – Os Espíritos da Montanha do Peru#Mitos e lendas: Paititi, uma importante cidade perdida dos Incas#Caminho do Peabiru – Caminho utilizado pelos nativos ancestrais sul-americanos, ligando o litoral ao interior#SHAKTI-SHIVA e a Cosmogênese – Os mistérios da origem do humano e do universo#Qoya – A Rainha-Sacerdotisa Inca#Ginecologia Natural – Naturologia Feminina: Saúde da Mulher#NEFERTITI, a Bela e Poderosa Rainha do Egito – A Grande Rainha do Nilo#Recebemos as mitocôndrias de nossas mães: maioria dos seus genes são oriundos de sua mãe.#Mulheres Incas#Hello world!#Deusas indianas e o significado de suas imagens#História das mulheres#Musicas Danças#RECONEXÃO Caminho Sagrado Feminino: Práticas Essenciais#O que é o Feminicídio ou femicídio#Gênero Feminino#Políticas públicas de combate à violência contra a mulher#Movimentos pelos Direitos da Mulher#Atos Internacionais – convenções que se referem às mulheres (Diretos da Mulher 2)#Direitos da Mulher#Helena Blavatsky#Mulheres em luta: Mulheres revolucionárias#Sobre o Útero – O Cálice Sagrado (pela abordagem do xamanismo tolteca contemporaneo)#Sobre Alquimia Interior – Alquimia Feminina – Respiração Ovariana – (pela abordagem do Tao Universal)#Tambores Xamânicos Sagrados#Xamanismo Huna (Hawai) e o Ho'oponopono#Atlantida, uma civilização matriarcal esquecida#Elementais da Natureza#Pedras de Poder#Os cristais e o ventre#Equilíbrio hormonal da mulher 2 – A importância da Progesterona#Equilíbrio Hormonal da Mulher#Por que nem todas as fêmeas menstruam? ….#Shakti#O Sagrado Feminino e a Deusa Gaia Manifestada#Os Mistérios de Vila Velha (Ponta Grossa – PR – Brasil)#Mistérios Brasileiros Famosos#As Deusas Védicas#O Poder das Plantas#Pesquisa revela o poder das mulheres Incas#Profecias dos Incas Q’ero#Mulheres da Floresta#ZENEIDA, A PAJÉ DO MARAJÓ#Mulheres Pajes – As xamas nativas brasileiras#A Sabedoria dos Incas e Andina e os resquícios de uma sabedoria sagrada feminina#A CHAKANA – A Cruz Andina ou Cruz Quadrada – a ponte entre os mundos#Acllas, as Sacerdotisas do Sol – Mulheres Sagradas dos Andes (sacerdotisas incas)#Princípios dos Povos Andinos#Pachamama#Herbologia mística – o poder das ervas e plantas#O Poder dos Cristais#O Poder das Flores – O Povo Flor#A Lenda das 13 Matriarcas#O Poder das Árvores: O Povo em Pé#Purificação com ervas – por método xamânico#Plantas de Poder#Catal Hoyuk – Anatólia (atual Turquia) e a arte da deusa e do feminino#Símbolos minóicos do culto a Deusa#Animais de poder – As ‘Criaturas’ ou ‘Criaturas Animais’ – Totens (Xamanismo)#Animais de poder – As 'Criaturas' ou 'Criaturas Animais' – Totens (Xamanismo)#Mix de ervas emagrecedoras – também diminui a barriga (perde gordura abdominal)#Shakti Mantras: os mantras de poder e graça potencializando outros mantras#Oração (ou contemplações) às Marias Navegantes – das Sacerdotisas de Maria#Theotokos – Maria como a 'Mãe de Deus'#Theotokos – Maria como a ‘Mãe de Deus’#Coliridianismo#A TERRA OCA – Mistérios milenares da Terra#Sara La Kali ou Santa Sara Kali – O Sagrado Feminino e o Sincretismo religioso#Segredos do Sagrado Feminino Cristão – As Marias do Mar#O que é ser uma sacerdotisa – A Sacerdotisa e o Sagrado Feminino#Sagrado Feminino: Brasil, ÍSIS, N.Srª Aparecida, o poder da Deusa#Sobre o Sagrado Feminino, as Abelhas e o mel, A Deusa Abelha#Shaktis – As mulheres Yoginis, Dakinis e Sacerdotisas#Shakti – A importância de seu reconhecimento pela mulher#Shaktis dos Nakshatras#Shakti – Poder Cósmico e Universal#Shakti : A Mãe do Mundo 1#Shakti: O Despertar da Deusa Adormecida na Matéria#Shakti: O Poder, a Força Divina Cósmica, Planetária e Pessoal#Shakti, kundalini e Tantra#Cariatides – Sacerdotisas de Artemis#Piramides na Bosnia e China#A história das coisas, pelas pessoas e pela Terra#Os Mistérios da Serra do Roncador#Avatara ou Avatar e o Kalki Avatar ou Maitreya#Links Astrologia Sideral e Astrologia Védica#O que são formas pensamento, egregoras e tulpa?#Estátua de Maitreya: uma imagem que a mente pode fazer dela uma ponte!#Allamirah – Uma Encarnação da Divina Mãe, do Feminino Sagrado#Oricalco: o metal desaparecido usado na Atlântida#Especiarias#Sacerdotisas Sumérias#Ervas Medicinais, Especiarias e Temperos#Shakti#Srichakra – representação de Shiva-Shakti no macrocósmico e microcósmicos#Dharma e Sanatana Dharma – As Leis Universais e o Sistema de Sabedoria da Índia para estar em sintonia com essas leis#A Filosofia Yoga Shakti – por Sri Swami Sivananda#Samantabhadri, Prajnaparamita, Vajravarahi e Arya Tara (As Grandes Shaktis do dharmakaya, sambhogakaya e Nirmanakaya)#Kurukulla: Lalitavajra ou Vajratara (ou Tara Vermelha)#Vajravahari e Vajrayogini#As ‘Deidades’ do Bardo (estágio intermediário)#Aditi – Devamatri, expansão cósmica, espaço; mãe de todas as coisas#Adi Parashakti (Adi Shakti) – Param Prakriti, o Poder do Para Brahman#Lokapalas ou Maharajas#Shri Yantra – Um dos mais conhecidos e poderosos Yantras#Lalita Tripurasundari – A origem dos 3 mundos#Filmes Indicados#Bibliografia: Livros – Indicação para o estudo da Espiritualidade e Sabedoria Feminina#Glossário de Deusas#Glossário Indígena e Xamânico#Músicas de Marcus Viana e Sagrado Coração#Links para as constelações e estrelas fixas: Pleiades, Orion/Tres Marias, Sirius, Algol, Cruzeiro do Sul, Pleiades do Sul, Cão e Ursa Maior, Coroa Austral e Boreal, Spica, Sadalmelik#Conjunções de Vênus (de 1900 a 2050) – Trânsitos e Ciclos de Venus (1032 a 2255)#Estações do Ano de 1900 a 2099#O Céu do Momento#Leis Herméticas – Leis ou Princípios Existenciais ou Leis que regem o Universo#As linguas originais sagradas: Sensar e Vatan – e os mistérios que elas guardam#Matrikas (Mães Protetoras e Purificadoras) e as 64 Dakinis#As Cinco Mães, Irmãs ou Consortes de Sabedoria (Prajnas) – Mães e Consortes dos Dhyanis Budhas#Pleroma – A Plenitude#Aeon – Emanações Supremas do Pleroma#Os conceitos de Self, Individuação e Iluminação#Os estágios-níveis de desenvolvimento humano e os domínios transpessoais#Meditação e o despertar do Poder e da Sabedoria Interior#Qual a diferença, entre os gêneros, que interferem nos métodos de despertar? (resumo síntese)#Como se dá a exploração energética direta da mulher? (resumo síntese)#O que é o ‘processo evolucional’ ou despertar da consciência? (resumo síntese)#Porque esta urgência de despertar? (resumo síntese)#Protegido: Sonhos lúcidos – teoria e prática#O que são Elementos Vibracionais?#Porque um sistema iniciático (de despertar) específico para as mulheres? (resumo síntese)#Crianças / Humanos Índigo e Cristais#Anjos e Devas#Porque muitas mulheres se sentem insatisfeitas nos seus relacionamentos? (Parte 1)#Dualismo e não dualismo#O que é Magia, Teurgia e Teurgia Natural?#Sobre as mulheres – pensamentos e frases#Hildegard de Bingen#O que significa Shekinah (Shekhinah ou Shechiná)#Shakti – O poder interior humano, planetário e cósmico: O Grande Feminino#Fenícios no Brasil muito antes dos portugueses#Ilha Brasil – Hy Brazil a ilha mítica, a ilha afortunada#Roda do Ano – Os 8 Festivais Celtas – As 8 fases da Deusa#Sobre o feminino, o masculino e o sexo – Dion Fortune#Sobre o significados de Sacerdotisa#Mata Amritanandamayi Devi, Ammachi ou Amma – A Shakti Mãe que distribui o Poder do Amor pelo abraço#Ma Yoga Shakti – A Shakti com realizações materiais e espirituais para o bem comum#Anandi Ma: uma Shakti oferecendo Shaktipat no ocidente#Transformando a energia em Shakti – referente aos ensinamentos de Shree Maa#Shee Maa – Uma deusa mãe da Índia para o ocidente#Planetas e Arcanos – para refletir os aspectos arquetípicos#Yeshe Tsogyal: uma Dakini iluminada#Therese Neumann – uma santa cristã#Sri Ma Anandamayi – Uma grande Shakti manifestada na índia#Mahavidya – As dez grandes Shaktis associadas aos grandes poderes cósmicos para os tântricos#Sri Sarada Devi – A Santa Mãe, uma Shakti encarnada#Alguns mestres orientais e suas Dakinis ou Shaktis – Padmasambhava, Ramamkrishna, Aurobindo#o que significam: Libertação, Iluminação, Auto Realização, Arhat, Nirvana#Nangsa Obum – uma mulher tibetana considerada emanação de Tara#Vajrayogini – A Shakti orientadora e inspiradora no caminho de iluminação#Tara – uma manifestação do aspecto feminino iluminado#As 64 Dakinis ou Yoginis#o que significa Prakrit, Mahaprakrit e Purusha#O que significa Kundalini, Fohat e Prana#O que significa Sophia (Sofia)#o que significam Deusas Mães ou Grandes Deusas#O que significa Devi#O que significa Dakini#O que significa Yogini#O que significa diksha, deeksha ou deeksa – ou iniciação espiritual#O que siginifica Shaktismo#O que significa Shaktipat#o que significa SHAKTI#Shakti#As Sacerdotisas da história desta civilização: Pitonisas, Vestais, de Ísis, de Inana, Sibilas#o que é THEASOPHIA (Theasofia, Teasofia) e THEALOGIA (Tealogia)#Gurumayi Chidvilasananda – uma bela e bem aventurada Shakti transmitindo Shaktipat ao ocidente#o que é TEURGIA e TAUMATURGIA#Mirra Alfassa – Shakti ou Companheira espiritual de Sri Arobindo#Ayu Khadro – Uma Grande Dakini manifestada
Manifestações e Emanações de Shakti / Qoya / Auset / Cy Princípio Feminino - Shakti / Qoya / Cy - Jasuka

Shakti – Invocando sua energia feminina

Invocando sua energia feminina

Fonte editada de: Sally Kempton  / https://www.yogajournal.com/
(Através da prática do Yoga)
Invocar sua deusa interior não é uma coisa de menina – é uma chance de explorar a fonte mais profunda de fortalecimento, criatividade e felicidade.

Meses depois, em uma oficina de meditação , ela me perguntou o que eu achava que sua experiência significava. Depois de saber que ela estava no meio das pressões da escola de medicina, eu disse que talvez a Grande Mãe estivesse oferecendo um pouco de apoio.

Quando Ellen me olhou inexpressivamente, sugeri que tentasse acessar a energia novamente. “Sem preconceitos. Apenas sente-se em meditação e peça à energia de Durga para estar com você. Então observe como você se sente.” Soando extremamente hesitante, Ellen me perguntou o que ela deveria esperar. Eu resisti à tentação de dizer algo inescrutável, como “Não espere nada”, e disse a ela: “Você provavelmente sentirá alguma energia fortalecedora e benigna – energia que pode te abrir para uma fonte mais profunda de força.”

A prática que sugeri a Ellen é chamada yoga de divindade, e não é específica da tradição hindu. Os cristãos fazem uma prática semelhante, invocando Cristo, Maria ou outros santos. Os budistas invocam diferentes formas do Buda. Nas tradições de yoga, a deusa é considerada a personificação da energia vivificante. Quer encontremos essa energia espontaneamente, como Ellen fez, ou a exploremos deliberadamente como uma prática, a energia do feminino divino pode nos abrir para nossa própria fonte interna de capacitação.

Campos de energia

Os sábios iogues – especialmente nos ramos hindu e budista do Tantra – anteciparam a física quântica ao afirmar que uma energia vibratória sutil é o substrato de tudo o que conhecemos. Diferentemente dos físicos, no entanto, os videntes iogues experimentam essa energia não simplesmente como uma vibração neutra, mas como a expressão do poder feminino divino, chamado shakti . A realidade, diz a tradição, é a dança de Shakti, que toma forma como nosso corpo, nossos pensamentos, nossas percepções e também o mundo físico.

As tradições hindus estão confortáveis com a idéia de que a realidade absoluta, embora sem forma, também se manifesta como entidades divinas. Então shakti , a fonte sem forma de tudo, é entendida como formas: deusas ou personificações das energias que compõem o mundo e nossa consciência. Quer acreditemos ou não em deusas, contemplá-las pode nos ajudar a nos tornarmos íntimos de forças universais que, de outra forma, podem parecer vastas e impessoais. Paradoxalmente, a prática da deusa também pode revelar como as forças que movem nossos pensamentos e emoções não são, em última análise, pessoais, mas são energias arquetípicas que todos compartilhamos.

De deuses e homens

Jung e seus seguidores consideraram a mitologia como a auto-revelação da psique arquetípica. As divindades hindus fazem parte da estrutura psíquica da humanidade. Como qualquer outra forma simbólica poderosa, as divindades hindus representam e também podem revelar forças psicológicas úteis. Eles personificam as energias que sentimos, mas que nunca pensamos em nomear.

Essa compreensão está por trás da prática da meditação da divindade, que os praticantes avançados das tradições tântricas desenvolveram como uma ciência viva para transformar a consciência. A meditação da Deidade pode desencadear nós psicológicos – por exemplo, questões com poder ou amor – e evocar forças transformadoras específicas dentro da mente e do coração. Isso nos coloca em contato com o poder protetor dentro de nós e pode mudar a maneira como vemos o mundo. Isto é particularmente verdadeiro para as energias das deusas da tradição hindu. Então, procurar por sua deusa interior não é apenas uma coisa de menina. A deusa transcende o gênero, e os homens, assim como as mulheres, se beneficiam da sintonia com essas forças vibrantes.

Poder da Deusa

Uma maneira óbvia de explorar a energia da deusa é contemplando Durga / Kali, Lakshmi e Saraswati – os poderes personificados de força, beleza e sabedoria. Existem muitas lendas sobre essas deusas. Minha favorita é a história de Durga e dos reis demoníacos Shumbha e Nishumbha.

Os dois demônios tomaram o mundo e expulsaram os deuses do céu. No seu juízo final, as divindades se ajoelharam em oração e suplicaram a Durga para derrotar os demônios. Durga consentiu e tomou forma como uma linda mulher, então entrou no jardim dos reis demoníacos. Conhecedores de beleza, os demônios ficaram encantados e enviaram um emissário para convidá-la a se juntar a seu estábulo de esposas. “Eu adoraria!” a deusa exclamou. “Mas há apenas uma coisinha em primeiro lugar: quando eu era criança, prometi casar apenas com um homem que fosse capaz de me derrotar em batalha.”

Então os demônios enviaram seus vastos exércitos contra ela. Enquanto a batalha se desenrolava, uma série de lindas deusas – Lakshmi, Saraswati, Kali – emergiu do corpo de Durga. Essas senhoras aparentemente delicadas devastaram os exércitos e os reis demônios protestaram. “Não é justo! Você disse que lutaria contra nós sozinhos e olharia para todos esses ajudantes!”

“Estes não são ajudantes”, replicou a deusa. “Eles são aspectos de mim mesmo!” Para provar isso, ela atraiu as outras deusas de volta para seu corpo e matou os demônios com uma mão – provando que o poder da eterna shakti é invencível.

Ouça-me rugir

Durga (seu nome significa “o insondável”) é o guerreiro cósmico, a força dentro da consciência que luta contra a ignorância e a escuridão. Durga monta um leão, e seus braços se eriçam com armas, que ela usa para matar uma variedade de demônios e forças negativas. Seu rosto, no entanto, brilha com paz e compaixão.

Durga é o poder por trás dos avanços dramáticos; ela é a força que você pode usar quando enfrenta uma situação desafiadora ou mesmo uma profunda retroflexão. Eu também gosto de pensar em Durga como uma deusa patrona para mães que trabalham fora, inspirando-as a lidar com os desafios de fazer malabarismos com um emprego, uma família e incontáveis emergências diárias.

A manifestação mais temível de Durga, Kali (“a negra”), representa tanto o poder consumista do tempo (que dissolve todas as coisas) quanto a atemporalidade da meditação profunda. Kali – a língua dela saindo – é a energia que nos leva além da convenção. Ela é adornada com uma guirlanda de cabeças humanas, que representa as vibrações sonoras que se manifestam como pensamentos, todos os quais são “devorados” quando entramos na quietude da meditação.

Lakshmi (“boa fortuna”), por outro lado, é a essência de tudo que consideramos desejável. Como divindade da riqueza, da boa sorte e da felicidade (em uma feliz coincidência lingüística, seu nome é pronunciado “Luck-shmi”), ela está no topo de uma flor de lótus aberta, tão bela quanto uma estrela de cinema de Bollywood. Moedas de ouro pingam de um de seus quatro braços, simbolizando sua generosidade transbordante.

Em algumas partes da Índia, os empresários adoram dinheiro e livros como Lakshmi, pois ela é dinheiro. Mas Lakshmi também dá dons espirituais – o sentimento de felicidade, por exemplo, é um sinal claro de sua presença sutil. Um de seus outros nomes, Shri (ou Shree), significa auspiciosidade, e tudo sobre essa deusa transmite beleza, bondade e harmonia.

Saraswati (“o que flui”) veste-se de branco e segura um livro, um rosário e um instrumento de cordas chamado veena para representar a prática da reposição do mantra. Seu companheiro, o cisne, é celebrado na iconografia hindu como o pássaro cujo bico pode separar o leite da sabedoria da água da existência material, pois a grande dádiva de Saraswati é o discernimento que nos permite encontrar a divindade no mundo. Saraswati é também a divindade da linguagem e da música, o poder por trás da inspiração criativa.

O lado obscuro

Cada uma dessas deusas representa energias expressas em todas as áreas da vida – física, intelectual, emocional e espiritual. No entanto, tradicionalmente, dizem que eles têm duas faces. Quando não são reconhecidos como expressões do divino, podemos experimentar suas energias de maneiras ilusórias, excessivas ou até negativas.

Por exemplo, a energia de Durga em sua forma pura é uma espada que atravessa obstáculos e desequilíbrios de direitos. Essa mesma energia pode aparecer como agressão ou aspereza, como no julgamento crítico agudamente dirigido aos outros ou a nós mesmos. Quando a abundância da energia de Lakshmi se move através do prisma do ego, ela pode ser experimentada como ganância ou gastos compulsivos, como vícios de comida ou sexo, como vaidade ou escravidão ao prazer. O poder do discurso divino de Sarasvati torna-se a inundação sem fim de informações que afeta todos os canais do mundo moderno, ou os pensamentos e fantasias incontroláveis que desfilam pela mente.

A prática da deidade yoga é uma maneira poderosa de libertar essas energias arquetípicas das redes lançadas por nossos egos, para que elas possam se revelar em suas formas mais puras e sublimes. Além disso, quando invocamos as deusas como fonte de nosso próprio poder, nos treinamos para parar de nos identificarmos de maneira tão pessoal com nossas habilidades, talentos e dons, e nos abrirmos para a corrente sutil da energia divina sempre presente em nós, pronta para guiar. nós se nós deixarmos.

Isso requer uma confiança radical e um espírito experimental, que pode parecer estranho quando você está acostumado a se identificar como o realizador de suas ações. No entanto, se você puder abraçar o sentimento de que a energia divina flui através de suas ações, isso o colocará diretamente no estado de fluxo, no qual suas ações são sem esforço graciosas.

Tornando-se Lakshmi

Relacionar-se com as energias das deusas é a yoga divina e, como qualquer outra yoga, funciona melhor se você a engajar em vários níveis – através da contemplação, da prática física e comportamental, da oração e da meditação. Aqui está uma prática para envolver seu princípio interior de abundância – seu Lakshmi. (Você pode seguir o mesmo conjunto de práticas se quiser chamar o guerreiro interior, Durga, ou o poder da criatividade, Saraswati.)

Primeiro, pergunte a si mesmo como Lakshmi se manifesta em sua vida, olhando sua relação com a beleza, a riqueza e o amor. Existem áreas onde você se sente ausente? Você se sente indigno ou azarado?
Em seguida, faça duas listas. Em um deles, liste as coisas que você não quer em sua vida (talvez “fealdade”, “falta de dinheiro” e “falta de tempo” estejam nessa lista). Por outro lado, liste as coisas que você quer. Use essas listas para criar uma prática de contemplação afirmativa. Você pode fazer isso escrevendo declarações como “Estou curtindo uma vida de amor, abundância e beleza agora” e depois lendo e repetindo para si mesmo algumas vezes por dia.

Ao trabalhar com essas ideias positivas, você também faz esforços conscientes para mudar seu comportamento físico em torno da abundância. O princípio operativo aqui é “Atrair Lakshmi, tornando-se Lakshmi”. Como você faz isso? Você pode adotar certos comportamentos tradicionais de Lakshmi, como limpeza e ordem sobre questões de dinheiro. Fazer orçamentos, planejar e manter o controle de seu dinheiro são formas de respeitar a energia de Lakshmi. Você também pode honrar Lakshmi cuidando do meio ambiente e dos objetos materiais em sua vida.

Bondade e generosidade expressam o espírito Lakshmi – não apenas a generosidade material (embora a doação filantrópica seja uma das grandes maneiras pelas quais podemos “ser” Lakshmi), mas também generosos sentimentos e generosidade de tempo e assistência. A gratidão é um grande atrator de Lakshmi. Então, é um compromisso de tornar a vida ao seu redor bonita, amorosa e harmoniosa. Lakshmi é tudo sobre dar, mas ela também é sobre estar aberta para receber. Então, procure maneiras de não bloquear a abundância de sua vida.

Um encontro íntimo

As formas das deusas são vórtices de energia, e a meditação sobre elas é uma maneira poderosa de trazê-las à vida em sua vida. Assim, repetir um mantra Lakshmi trará energia Lakshmi específica para o seu ambiente. Imaginar a presença de Lakshmi investirá sua consciência com parte de sua energia. Aqui está uma maneira de fazer isso:

Sente-se confortavelmente, em uma postura ereta. Se você tem uma foto de Lakshmi, coloque-a na sua frente e olhe para o rosto dela. (Você pode baixar um da Web, se quiser.) Então, feche os olhos e imagine-a. Você não precisa visualizá-la exatamente – basta sentir sua presença. Imagine suas qualidades – amor, bênçãos, harmonia e bondade – profundamente presentes.
Neste ponto, você pode invocar Lakshmi, usando palavras como “Bela Lakshmi, auspiciosa, você é todo pensamento gracioso. Por favor, esteja presente em toda a sua generosidade amorosa”. Ou, você pode repetir um de seus mantras, como Hreem shreem kreem mahalakshmyai namaha . (“Hreem”, “shreem” e “kreem” são sílabas de sementes que incorporam a energia da deusa. As duas últimas palavras significam “Saudações ao grande Lakshmi”.)

Agora, expresse sua gratidão pelas bênçãos em sua vida e peça a Lakshmi suas bênçãos. Sinta que você está recebendo essas bênçãos. Sinta a energia dela, como uma corrente dourada, fluindo em seu coração e fluindo através de todo o seu corpo. Mesmo que você não visualize as bênçãos que vêm em sua direção, é importante ter tempo para sentir uma conexão com elas. A conexão pode a princípio ser tão sutil que não é aparente, mas conforme você continua praticando, você definitivamente começará a sentir a energia da divindade.

Com o tempo, você terá diferentes insights. Você pode notar uma forma particular de energia ao seu redor ou sentir mudanças em seus padrões emocionais. Você provavelmente experimentará consciência aumentada nas áreas relacionadas de sua vida. (Por exemplo, você pode ser mais proposital na forma como gasta dinheiro.) Reserve um tempo para registrar sua experiência com a prática, especialmente quaisquer mudanças internas ou externas que pareçam estar relacionadas a ela.

Finalmente, lembre-se que a prática das divindades é diferente para todos. Com o tempo, você encontrará suas próprias maneiras de se tornar íntimo da energia da deusa, assim como faria com qualquer relacionamento íntimo. Deixe-o desdobrar como será. Invocar energias divinas é uma maneira de invocar seus poderes adormecidos, que são infinitamente criativos, surpreendentes e cheios de doçura. Conheça-os, entenda que eles são aspectos de si mesmo, e um dia você perceberá que a divindade não é algo desconhecido ou estranho, mas a própria essência de quem você é.

O que é o projeto da ioga da deusa?

de: Sianna Sherman

Descubra sua divindade interior ao aprofundar sua prática física, mental e espiritual com o conhecimento do poder feminino mítico .

Temos uma missão para ajudar toda mulher a descobrir sua divindade interior. Aprofundar sua prática física, mental e espiritual com o conhecimento do poder feminino mítico e criar círculos femininos inspiradores, compartilhando experiências.

Toda mulher tem graça e poder feminino inerente e toda mulher é um vaso sagrado da energia da Deusa. O Yoga ensina que a energia criativa do Universo é um poder feminino chamado shakti . Em um mundo que muitas vezes nega ou rejeita o poder feminino, é hora de fazer o trabalho necessário para recuperar a shakti que está dentro de cada um de nós – homens e mulheres e afins. Entre no Projeto de Yoga da Deusa.

Descubra o poder de sua energia interna da deusa

Quando você começa a fazer esse trabalho, a energia da Deusa pode fazer uma entrada dramática em sua vida que exige toda a sua atenção. Ela pode se apressar em seu campo de consciência. Ou ela pode surgir dentro de você como um nascer do sol pacífico que o abre para uma nova maneira de abraçar a vida. Independentemente disso, quando você começa a se remontar através de suas histórias, imagens, canções, rituais e mantras, os lugares feridos em sua própria psique começam a se curar e você percebe que, de fato, você é uma forma sagrada da Deusa. Seus poderes são infinitos e suas formas infinitas. Ela empunha todas as armas necessárias para derrotar os demônios da vergonha, culpa, traição, indignidade, culpa, vitimização, ganância, arrogância, raiva, separação – tudo o que limita a sua expressão plena de sua natureza suculenta e criativa.

Na minha primeira viagem à Índia, em meus vinte e poucos anos, encontrei as formas ferozes da Deusa conhecida como Durga e Kali. Eles eram terríveis e ultrajantes para mim. Eu não sabia como me conectar com eles e estava profundamente ferida no meu corpo feminino. Vergonha e culpa viviam dentro de mim de abuso sexual, e eu não sabia como me curar. As temíveis deusas magneticamente me atraíram para elas e, no entanto, eu tinha tanto medo delas. Na verdade, eu estava com medo do meu próprio poder. No meu retorno da Índia, as histórias das deusas foram o que me trouxe de volta à integridade mais uma vez.

Como sua natureza da deusa se revela

Se você ainda não encontrou a sua própria energia da Deusa, preste atenção nesses sinais de que uma Deusa está chamando você.

  • Urgência para falar sua verdade com honestidade radical
  • Agitação na injustiça social do mundo
  • Escalada de sonhos vívidos e emocionais
  • Sonhos com água, fogo, cobras, submundo, amantes e aliados espirituais
  • Circunstâncias inesperadas deixam você com incerteza
  • Desejo de me apaixonar por todo o seu ser
  • Excitação sexual e energia criativa agitando dentro de você
  • Desejo por tempo interno e com alma por si mesmo
  • Quando você ouve a palavra “Deusa”, algo acelera dentro de você
  • Tédio com o status quo das coisas, tanto local como globalmente
  • Sentindo-se insultado pelas definições superficiais da beleza das mulheres
  • A não conformidade está chamando você
  • Cansado de ser uma vítima e querer empoderamento
  • Sabendo que você está aqui por um motivo, mesmo que você não consiga nomear
  • Sentindo-se despojado, vulnerável e nu
  • Sua voz interior está dizendo: “Ouça e confie em mim!”
  • Descontentamento com a fachada externa do seu próprio interior profundo
  • Um desejo de dançar, cantar, pintar ou escrever
  • A natureza está chamando você
  • Ansiando por expressar seus instintos maternais
  • No fundo do seu coração, você acredita em magia
  • Algo dentro de você está explodindo para ser livre!

Meditação em 3 Passos para Inspirar a Intuição

Sua intuição é o seu GPS mais profundo e um dos seus maiores aliados na vida. Veja como cultivá-lo.

Intuição. Você tem, quer você escolha segui-lo ou ignorá-lo, cultivá-lo ou reprimi-lo. É o seu GPS mais profundo e um dos seus maiores aliados quando se trata de fazer escolhas em sua vida.

Pense em um momento em que você estava em uma encruzilhada. Sua mente racional poderia medir escolhas e ser muito prática na avaliação da situação, mas talvez houvesse outro sentimento subjacente que você não poderia ignorar. Esse sentimento está além da mente lógica e muitas vezes difícil de explicar. É um conhecimento além do raciocínio ou prova. Em minha própria vida, sinto isso como uma cutucada interna ou puxo minha alma – algo me chamando de uma maneira nova e requer uma tremenda coragem para segui-lo.

Eu tive uma escolha difícil de fazer há 25 anos: seguir minha mente lógica para a faculdade de medicina ou seguir minha intuição para a Índia. Minha mente racional estava me empurrando para fazer a aparentemente “coisa certa”, e ainda assim minha voz instintiva estava me implorando para sair desse caminho e mergulhar na ioga. Lembro-me de um dos meus professores mais confiáveis dizendo-me: “Achamos que o caminho mais curto é de A para B, mas a verdade é que o caminho mais curto é quando você segue seu coração”.

Conheça Saraswati, a Deusa da Intuição

Na tradição do yoga, a Deusa Saraswati personifica a essência da intuição, criatividade e sabedoria. Seu nome significa “o que flui”. Ela é o lampejo do insight, do conhecimento instintivo e do conhecimento que é mais profundo do que palavras. Ela é a conexão com os ciclos da lua e o ritmo feminino que revela a sabedoria de dentro. Saraswati é a energia criativa de fluxo livre que vive dentro de todos.

Como usar os ensinamentos de Saraswati

Saraswati ensina você a ouvir e confiar em sua intuição. Todo mundo tem sentimentos fortes, e é um desafio confiar em seu conhecimento mais profundo quando isso não faz sentido para sua mente lógica. Saraswati ensina como distinguir entre a voz interior do Eu e os medos e artimanhas inconscientes de uma mente delirante. A combinação da força motriz é a intuição com discernimento e podemos cultivar isso conscientemente com as práticas da ioga.

Meditação em 3 passos para inspirar sua intuição

Use essa prática para recorrer a Saraswati sempre que precisar lembrar-se de sua mais alta verdade de dentro, quando estiver numa encruzilhada na vida e quando sua mente racional estiver dominando sua tomada de decisão. Peça um equilíbrio de receptividade e coragem para seguir seu caminho mais elevado. Confie na sua intuição e siga o SIM interior da sua vida.

Similar Posts