Lilith

Fonte: Wikipédia english

Lilith

( hebraico : לילית; lilit, ou Lilith) é um nome hebraico para uma figura na mitologia judaica , desenvolvido primeiro no Talmude Babilônico , que geralmente é pensado para ser, em parte, derivada de uma classe de mulheres demônios Lilitu na Mesopotâmia textos Assíria e Babilônia .

Evidência em materiais judaicas posteriores é grande, mas pouca informação foi encontrada relacionada com o original acadiano e babilônico visão desses demônios. A relevância das duas fontes anteriormente usado para conectar o Lilith judaica a um acadiano Lilitu-the Gilgamesh apêndice eo Arslan Tash amuletos -se agora tanto disputado por estudos recentes. [1] As duas fontes problemáticas são discutidas abaixo. [2]

O termo hebraico Lilith ou “Lilit” (traduzido como “criaturas da noite”, “night”, “monstro noite hag”, ou “coruja”) ocorre pela primeira vez em Isaías 34:14, singular ou plural de acordo com as variações na mais antiga manuscritos, embora em uma lista de animais. Nos Manuscritos do Mar Morto Canções do Sábio , o termo ocorre pela primeira vez em uma lista de monstros. Em inscrições mágicas judeus em tigelas e amuletos do 6 º século dC em diante, Lilith é identificado como um demônio feminino e as primeiras representações visuais aparecer.

No folclore judaico, a partir do século oitavo ao décimo Alfabeto de Ben Sira em diante, Lilith se torna Adam primeira esposa ‘s, que foi criado ao mesmo tempo ( Rosh Hashaná ) e da mesma terra como Adão. Isto contrasta com Eva , que foi criado a partir de uma das costelas de Adão. A lenda foi muito desenvolvida durante a Idade Média , na tradição demidrashim agádica , o Zohar , e misticismo judaico . [3] Nos escritos do século 13 do rabino Isaac ben Jacob ha-Cohen, por exemplo, Lilith deixou Adão, depois que ela se recusou para tornar-se subserviente a ele e, em seguida, não voltaria para o Jardim do Éden depois que ela acasalou com arcanjo Samael . [4] A lenda Lilith resultante ainda é comumente usado como material de origem na cultura moderna ocidental, literatura, ocultismo , fantasia e horror.

Etimologia [ editar ]

A raiz semita L – Y – L layil em hebraico , como layl em árabe ., significa “noite” talmúdica e iídiche uso de Lilith segue hebraico.

Em acadiano os termos lili e Lilitu significa espíritos. Alguns usos de Lilitu são listados em O Dicionário do Instituto Oriental da Universidade de Chicago Assírio (CAD, 1956, L.190), em Wolfram von Soden ‘s Akkadisches Handwörterbuch ( AHW , p. 553), e Reallexikon der Assyriologie ( RLA, p. 47). [5]

Os sumérios She-lili demônios não têm nenhuma relação etimológica para acadiano Lilu, “noite”. [6]

Archibald Sayce (1882) [7] considerou que lilit hebraico (ou Lilith) hebraico : לילית e acadiano : Lilitu são de proto-semita . Charles Fossey (1902) [8] tem esta literalmente traduzido para “noite do sexo feminino ser / demônio “, embora cuneiformes existem inscrições onde Lilit e Lilitu refere-se ao vento doença-rolamento espíritos . carece de fontes? ] Outra possibilidade é a associação não com “night”, mas com “vento”, identificando assim o acadiano Lil-itu como um empréstimo do suméria lil, “ar” – especificamente de Ninlil , “senhora ar”, deusa do vento sul (e esposa de Enlil ) -. e itud, “lua” carece de fontes? ]

Mitologia mesopotâmica

Ver artigo principal: Lilu (mitologia)

Embora amplamente repetida em fontes secundárias e terciárias, as possíveis referências a Lilith na mitologia mesopotâmica estão agora disputadas:

O espírito na árvore no ciclo de Gilgamesh 

Samuel Noah Kramer (1932, publicado 1938) [9] traduzido ki-sikil-lil-la-ke como Lilith em “Tablet XII” da Epopéia de Gilgamesh datado c.600 aC. “Tablet XII” não faz parte do Épico de Gilgamesh, mas é uma tarde acadiano tradução da última parte do sumério poema de Bilgames eo Inferno . [10] O ki-sikil-lil-la-ke está associada a uma serpente e um pássaro zu . [11] Em Bilgames eo Inferno, uma árvore huluppu ( salgueiro ) cresce em Inana jardim ‘s em Uruk , cuja madeira ela planeja usar para construir um novo trono. Após dez anos de crescimento, ela vem para colhê-lo e encontra uma serpente viva em sua base, um pássaro Zu levantando jovem em sua coroa, e que um ki-sikil-lil-la-ke fez uma casa em seu tronco. Bilgames / Gilgamesh disse ter ferido a cobra, e então o pássaro zu voou para as montanhas com seus jovens, enquanto o ki-sikil-lil-la-ke com medo destrói sua casa e corre para a floresta. [12] [ 13] Identificação ki-sikil-lil-la-ke como Lilith é afirmado no Dicionário de Divindades e Demônios na Bíblia (1999). [14] De acordo com uma nova fonte de Antiguidade Tardia a Lilith (s) parecer (s) em um Mandaic história mágica onde ela (eles) é (são) considerado para representar o ramo (s) de uma árvore com outras figuras demoníacas que formam outras partes da árvore. [15]

Traduções sugeridas para o espírito Tablet XII na árvore incluem ki-sikil como “lugar sagrado”, lil como “espírito”, e lil-la-ke como “espírito da água”. [16] , mas também simplesmente “coruja”, uma vez que o lil está construindo uma casa no tronco da árvore. [17]

A conexão entre o Gilgamesh ki-sikil-lil-la-ke ea Lilith judaica foi rejeitada por Dietrich Opitz (1932) [18] e rejeitado por motivos textuais por Sergio Ribichini (1978). [19]

 

Burney Relief , Babilônia (1800-1750 aC). A figura no alívio às vezes era identificada com Lilith, baseado em uma leitura errada de uma tradução desatualizada do Épico de Gilgamesh. A pesquisa moderna tem identificado a figura tanto como Ishtar ou Ereshkigal .

Tradução de Kramer do fragmento de Gilgamesh foi usado por Henri Frankfort (1937) [20] e Emil Kraeling (1937) [21] para apoiar a identificação de uma mulher com asas e de aves pés no Relief Burney como relacionados a Lilith, mas isso não tem sido rejeitado por fontes posteriores, incluindo o Museu Britânico , que possui a peça.

Os amuletos Arslan Tash [ editar ]

Ver artigo principal: amuletos Arslan Tash

Os amuletos Arslan Tash são placas calcárias descobertos em 1933 em Arslan Tash , cuja autenticidade é contestada. William F. Albright , Theodor H. Gaster , [22] e outros, aceitou os amuletos como uma fonte pré-judaica, que mostra que o nome Lilith já existia no século 7 aC, mas Torczyner (1947) identificou os amuletos como uma fonte judaica mais tarde. [23]

Os demônios vardat Lilitu [ editar ]

A palavra lilu significa espírito no acadiano idioma , ea lili masculino e feminino Lilitu são encontrados em textos de encantamento de Nippur, Babilônia c600 aC em ambas as formas singular e plural. [24] Entre os espíritos o Lilitu vardat, ou espírito de solteira tem alguma comparação com lendas talmúdicas posteriores de Lilith. [25] [26] [27] [28] A lili está relacionada com a bruxaria na Suméria encantamento Texto 313. [29]

Na Bíblia [ editar ]

A única ocorrência está no livro de Isaías 34:14, que descreve a desolação de Edom , onde a lilit palavra hebraica (ou Lilith) aparece em uma lista de oito animais imundos, alguns dos quais podem ter associações demoníacas. Desde que a palavra Lilit (ou Lilith) é umhapax legomenon na Bíblia hebraica e os outros sete mandatos na lista estão melhor documentados, a leitura de estudiosos e tradutores muitas vezes é guiado por uma decisão sobre a lista completa de oito criaturas como um todo . [30] [31] Citando Isaías 34 (NAB ):

(12) Seus nobres não haverá mais, nem reis ser proclamada lá, todos os seus príncipes se foram. (13) Seus castelos será cheio de espinhos, suas fortalezas com cardos e abrolhos. Ela deve tornar-se uma morada de chacais e um refúgio para avestruzes. (14) Wildcats se reunirá com os animais do deserto, sátiros chamarão umas às outras; Não deve o repouso Lilith, e encontrar para ela um lugar para descansar. (15) Há a coruja de buzina deve ninho e pôr ovos, chocar-los e reuni-los em sua sombra; Não deve montar as pipas, nada será faltando seu companheiro. (16) Olhe-se no livro do SENHOR e lede: nenhuma delas faltará, porque a boca do SENHOR o ordenou, eo seu espírito deve reuni-los lá. (17) É Ele quem lança as sortes por eles, e com as mãos Ele marca suas ações dela; Devem possuí-la para sempre, e habita ali de geração em geração.

Texto hebraico [ editar ]

No Texto Massorético :

Hebraico: וּפָגְשׁוּ צִיִּים אֶת – אִיִּים, וְשָׂעִיר עַל – רֵעֵהוּ יִקְרָא; אַךְ – שָׁם הִרְגִּיעָה לִּילִית, וּמָצְאָה לָהּ מָנוֹח

Hebraico ( ISO 259 ): u-pagšu iyyim et-ʾ iyyim w-sa ʿ ir ʿ al-ʿ Re Ehu yiqra; ʾ ak-sam hirgi ʿ um lilit u-mas ʾ um lah Manoá [32]

34:14 “E deve-atendam deserto criaturas com chacais

o bode ele-chama seu colega de

lilit (lilith), ela-e ela descansa-encontra descanso [33]

34:15 lá ela-deve-ninho da grande-coruja, e ela-estabelece-(ovos), e ela-escotilhas, e ela-reúne sob sua sombra:

falcões [papagaios, gledes ] também eles-reunir, cada um com o seu companheiro.

No Manuscritos do Mar Morto , entre os 19 fragmentos de Isaías encontrado em Qumran , o Grande Rolo de Isaías (1Q1Isa) em 34:14 torna a criatura como liliyyot plural (ouliliyyoth). [34] [35]

Eberhard Schrader (1875) [36] e Moritz Abraham Levy (1885) [37] sugerem que Lilith era uma deusa da noite, conhecida também pelos judeus exilados na Babilônia . A visão de Schrader e Levy é, portanto, em parte, dependente de um namoro depois de Deutero-Isaías do século 6 aC, ea presença dos judeus em Babilônia , que coincidiria com as possíveis referências ao Lilitu em babilônico demonologia . No entanto, essa visão é contestada por algumas pesquisas modernas, como por Judit M. Blair (2009), que considera que o contexto indique animais imundos. [38]

Versão grega [ editar ]

A Septuaginta traduz a referência para o grego como onokentauros , aparentemente por falta de uma palavra melhor, uma vez que também o Se’irim, “sátiros”, no início do verso são traduzidas com daimon onokentauros. Os “feras da ilha e do deserto” são omitidos por completo, e “chorando ao seu companheiro” também é feito pelos onokentauros daimon. [39]

Bíblia latina [ editar ]

O início do século 5- Vulgata traduziu a mesma palavra que Lamia . [40] [41]

et ocorrente daemonia onocentauris et pilosus clamabit alterar ad alterum ibi cubavit Lamia et Invenit requiem sibi

-Isaías (Isaias Propheta) 34.14, Vulgata

A tradução é: “E os demônios se reunirá com monstros, e um cabeludo clama para outro, há o Lamia tem deitado e encontrou descanso para si mesma … “.

Versões em inglês [ editar ]

Bíblia de Wyclif (1395) preserva a Lamia tornando Latina:

Isa 34:15 Lamya schal ligge lá, e foond descansar lá para hir silf.

Os Bíblia Episcopal de Matthew Parker (1568) a partir do latim:

Isa 34:14 haverá a soda cáustica Lamia e haue seu lodgyng.

Douay-Rheims Bible (1582/1610) também preserva a Lamia tornando Latina:

Isa 34:14 “E os demônios e monstros se reunirá, e os cabeludos clama um para o outro, não tem o Lamia deitado, e encontrou descanso para si mesma.”

A Bíblia de Genebra de William Whittington (1587) a partir do hebraico:

Isa 34:14 eo shricheowle deve descansar lá, e deve finde para ela Selfe uma moradia tranquila.

Em seguida, a versão King James da Bíblia (1611):

Isa 34:14 “Os selvagens feras do deserto também se reunirá com as feras da ilha , eo sátiro clamará ao seu companheiro, a coruja também deve descansar lá, e encontrar para si um lugar de descanso. ”

A tradução “coruja” da KJV é, juntamente com a “coruja” (yanšup, provavelmente um pássaro de água) em 34:11 eo “grande coruja” (qippoz propriamente uma cobra) de 34:15, uma tentativa de tornar a passagem, escolhendo animais adequados para de difícil traduzir palavras hebraicas.

Traduções posteriores incluem:

  • noite-coruja (Young, 1898)
  • noite-fantasma (Rotherham, Ênfase Bíblia , 1902)
  • noite monstro ( ASV de 1901; JPS 1917, O Livro, 1992; NASB , 1995)
  • vampiros (Moffatt Translation, 1922)
  • noite bruxa ( RSV , 1947)
  • Lilith ( Bíblia de Jerusalém , 1966)
  • Lilith ( New American Bible , 1970)
  • Lilith ( NVI , 1989)
  • Lilith ( The Message (Bíblia) , Peterson, 1993)
  • noite criatura ( NIV , 1978; NVI , 1982; NLT 1996, TNIV )
  • nightjar ( Tradução do Novo Mundo , 1984)
  • noite pássaro ( Inglês Standard Version , 2001)

A tradição judaica [ editar ]

As principais fontes na tradição judaica a respeito de Lilith em ordem cronológica incluem:

  • c. 40 10BCE Manuscritos do Mar Morto – Canções para um Sábio (4Q510-511)
  • c.200 Mishná – não mencionada
  • c.500 Gemara do Talmud
  • c.800 O Alfabeto de Ben-Sira
  • c.900 Midrash Abkir
  • c.1260 Tratado sobre a emanação Esquerda , Espanha
  • c.1280 Zohar , Espanha.

Manuscritos do Mar Morto [ editar ]

O Manuscritos do Mar Morto contém uma referência indiscutível para Lilith em Canções do Sábio (4Q510-511) [42] fragmento 1:

E eu, o Instrutor, proclamar o Seu esplendor glorioso, a fim de assustar e te [rrify] todos os espíritos dos anjos destruidores, espíritos dos bastardos , demônios, Lilith, bugios, e habitantes do deserto […] e aqueles que incidem sobre homens sem aviso para desviá-los a partir de um espírito de compreensão e de fazer seu coração e sua […] desolada durante o actual domínio da impiedade e do tempo pré-determinado de humilhações para os filhos de lig [ht], por a culpa de as idades de [aqueles] ferido por maldade -. não para a destruição eterna, [bu] t para uma era de humilhação para a transgressão [43]

Tal como acontece com o Texto Massorético de Isaías 34:14 e, portanto, ao contrário do liliyyot plural (ou liliyyoth) no Rolo de Isaías 34:14, lilit em 4Q510 é singular, este texto litúrgico ambos os adverte contra a presença de maldade sobrenatural e assume familiaridade com Lilith; distinto do texto bíblico, no entanto, essa passagem não funciona em qualquer agenda sócio-política, mas sim serve na mesma qualidade de um exorcismo (4Q560) e Canções para dispersar Demons (11Q11) [. carece de fontes? ] O texto é, portanto, a uma comunidade “profundamente envolvido na esfera da demonologia”, [44] um hino exorcismo.

Joseph M. Baumgarten (1991) identificou a mulher sem nome de A Sedutora (4Q184) como relacionado ao demônio feminino. [45] No entanto, John J. Collins [46] considera que esta identificação como “intrigante”, mas que “é seguro dizer “que (4Q184) baseia-se na mulher estranha de Pv 2, 5, 7, 9:

Sua casa se inclina para a morte,
E seu curso leva aos tons.
Todos os que ir até ela não pode retornar
E reencontrar os caminhos da vida.
– Provérbios 2:18-19
Suas portas são portas da morte, e da entrada da casa
Ela estabelece para Sheol.
Nenhum de quem entra lá nunca vai voltar,
E todos os que possuem ela vai descer à cova.
– 4Q184

Talmud [ editar ]

Lilith não ocorrer no Mishnah . Há três referências a Lilith no Talmude Babilônico na Gemara em três Tractatus separadas da Mishná:

  • “Rab Judá citando Samuel governou: Se um aborto tinham a semelhança de Lilith sua mãe é impuro em razão do nascimento , pois é uma criança, mas tem asas. ” ( Talmude Babilônico em Tractate Nidda 24b) [47]
  • “[Expondo sobre as maldições da feminilidade] Em um Baraitha foi ensinado:. Ela cresce cabelo comprido como Lilith, senta ao fazer a água como uma besta, e serve como uma almofada para o seu marido “( Talmude Babilônico em Tractate Eruvin 100b)
  • “R. Hanina disse:. Uma pessoa não pode dormir em uma casa sozinha [em uma casa solitária], e quem dorme em uma casa sozinha é apreendido por Lilith” ( Talmude Babilônico em Tractate Shabbath 151b)

A declaração acima por Hanina pode estar relacionado com a crença de que as emissões noturnas gerou o nascimento de demônios:

  • “R. Jeremias b Eleazar acrescentou:. Em todos esses anos [130 anos depois de sua expulsão do Jardim do Éden] durante o qual Adão estava sob a proibição que gerou afantasmas e demônios masculinos e demônios femininos [ou demônios noite], pois é dito nas Escrituras: E Adão viveu cento e trinta anos e gerou um filho à sua semelhança, conforme a sua própria imagem, a partir do qual segue-se que até aquele momento ele não gerar a sua própria imagem … Quando ele viu que através dele a morte foi ordenado como castigo passou de cento e trinta anos de jejum , separada conexão com sua esposa para cento e trinta anos, e usava roupas de figo em seu corpo por um cento e trinta anos -. Essa declaração [de Jeremias R.] foi feita em referência aos sêmen que ele emitidos acidentalmente. “(Talmude Babilônico em Tractate Eruvin 18b)

Tigelas Incantation [ editar ]

Um Lilith individual, juntamente com Bagdana “rei dos lilits”, é um dos demônios para um lugar de destaque em feitiços de proteção nos oitenta sobreviventes ocultas judaicastigelas de encantamento do Império Sassânida Babilônia (século 4 a 6 de CE). [48] Essas bacias foram enterrados de cabeça para baixo em casas para prender o demônio, e quase todas as casas judaica em Nippur foi encontrado para ter essas taças de proteção enterrado. [49] Uma tigela contém a seguinte inscrição encomendado a um ocultista judaico para proteger uma mulher chamada Rashnoi e seu marido de Lilith:

Tu Lilith, lili macho e fêmea lilith, bruxa e ghool, Eu te conjuro pelo forte Um dos Abraham, pelo Rock of Isaac, pelo Shaddai de Jacó, por Yah Ha-Shem por Yah seu memorial, a afastar-se esta Rashnoi b. M. e de Geyonai b. M. marido. [Aqui está] o seu divórcio e mandado e carta de separação, enviado através de santos anjos.Amém, Amém, Selah, Halleluyah! ( imagem )

– Trecho de tradução em aramaico Incantation Textos de Nippur James Alan Montgomery 2011 p156 [50]

Alfabeto de Ben Sira [ editar ]

Ver artigo principal: Alfabeto de Ben Sira

O pseudepigraphic [51] 8a-10o séculos Alfabeto de Ben Sira é considerada a forma mais antiga da história de Lilith como a primeira mulher de Adão. Se essa tradição particular é mais velho não é conhecido. Estudiosos tendem a datar o alfabeto entre os dias 8 e 10 séculos AD.

No texto um amuleto está inscrito com os nomes dos três anjos ( Senoy , Sansenoy e Semangelof ) e colocado ao redor do pescoço do recém-nascido meninos , a fim de protegê-los do lilin até a sua circuncisão . [52] Os amuletos utilizados contra Lilith que foram pensados ​​para derivar dessa tradição são, de fato, datado como sendo muito mais velho. [53] O conceito de Eva ter um antecessor não é exclusivo para o alfabeto, e não é um conceito novo, pois ele pode ser encontrado em Gênesis Rabá . No entanto, a idéia de que Lilith foi o antecessor é exclusivo para o alfabeto.

A idéia no texto que Adam tinha uma esposa antes de Eva pode ter se desenvolvido a partir de uma interpretação do livro de Gênesis e seus relatos da criação dupla, enquanto Gênesis 2:22 descreve a criação de Deus de Eva da costela de Adão, uma passagem anterior, 1: 27, já indica que uma mulher tinha sido feito: “E criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou, homem e mulher os criou.” O texto do alfabeto coloca a criação de Lilith após as palavras de Deus em Gênesis 2:18 que “não é bom que o homem esteja só”, neste texto Deus forma Lilith do barro do qual ele fez Adão mas ela e Adam brigam. Lilith diz que, desde que ela e Adão foram criados da mesma forma que eles eram iguais e ela se recusa a submeter-se a ele: [54] O fundo eo propósito do Alfabeto de Ben-Sira não é clara. É uma coleção de histórias sobre heróis da Bíblia e Talmud , que pode ter sido uma coleção de contos folclóricos , uma refutação do cristão , Karaite , ou outros movimentos separatistas, o seu conteúdo parece tão ofensivo para judeus contemporâneos que foi mesmo sugerido que poderia ser um anti-judaica sátira , [55] , embora, em qualquer caso, o texto foi aceito pelos místicos judeus da Alemanha medieval.

O Alfabeto de Ben-Sira é a fonte sobrevivente mais antiga da história, e a concepção de que Lilith foi a primeira esposa de Adão tornou-se amplamente conhecido apenas com o século 17 Lexicon Talmudicum do estudioso alemão Johannes Buxtorf .

Nesta tradição folclórica que surgiu no início da Idade Média Lilith, um demônio feminino dominante, tornou-se identificado com Asmodeus , o Rei dos Demônios, como sua rainha.[56] Asmodeus já era bem conhecido por esta altura por causa das lendas sobre ele no Talmud. Assim, a fusão de Lilith e Asmodeus era inevitável. [57] O segundo mito de Lilith cresceu para incluir lendas sobre um outro mundo e por algumas contas esse outro mundo existiram lado a lado com este, Yenne Velt é Yiddish para esta descrito “Other mundo “. Neste caso, foram acreditados Asmodeus e Lilith de procriar filhos demoníaca sem parar e espalhar o caos em cada turno. [58] Muitos desastres foram atribuídos a ambos, fazendo com que o vinho se transformar em vinagre, os homens sejam impotentes, mulheres incapazes de dar à luz, e foi Lilith, que foi responsabilizado pela perda da vida infantil.A presença de Lilith e seus companheiros foram considerados muito real neste momento. carece de fontes? ]

Duas características principais são vistos nessas lendas sobre Lilith: Lilith como a encarnação da luxúria, fazendo com que os homens sejam desviados, e Lilith como uma bruxa de matar criança, que estrangula recém-nascidos indefesos. Estes dois aspectos da lenda de Lilith parecia ter evoluído separadamente, não há praticamente um conto onde ela engloba as duas funções. [58] Mas o aspecto do papel bruxa-like que Lilith desempenha amplia seu arquétipo do lado destrutivo de bruxaria. Essas histórias são comumente encontrados entre folclore judaico. [58]

Kabbalah [ editar ]

Parte de uma série sobre
Cabala
Conceitos[Show]
História[Show]
Práticas[Show]
Pessoas[Show]
Papel[Show]
  • v
  • t
  • e

Ver artigo principal: Lilith (Lurianic Kabbalah)

Misticismo cabalístico tentou estabelecer uma relação mais exata entre Lilith e Divindade. Com suas principais características de ter sido bem desenvolvido até o final do período talmúdico, depois de seis séculos se passaram entre o aramaico encantamento textos que mencionam Lilith e os primeiros escritos cabalísticos espanhóis no século 13, ela reaparece, e sua história de vida se torna conhecido em maior detalhe mitológica. [59]

Sua criação é descrita em muitas versões alternativas. Uma menciona sua criação como sendo antes de Adão, no quinto dia, porque os “seres vivos”, com cujos enxames Deus encheu as águas incluído ninguém menos que Lilith. Uma versão similar, referente às passagens talmúdicas anteriores, conta como Lilith foi moldada com a mesma substância que Adão era, pouco antes. Uma terceira versão alternativa afirma que Deus originalmente criou Adão e Lilith, de forma que a criatura do sexo feminino estava contido no masculino. A alma de Lilith foi apresentada nas profundezas da Grande Abismo. Quando Deus chamou, e ela se juntou a Adam. Após o corpo de Adão foi criado de milalmas da esquerda (o mal) lado tentou juntar-se a ele. No entanto, Deus levou-os fora. Adam ficou deitado como um corpo sem alma. Em seguida, uma nuvem desceu e Deus ordenou a terra para produzir uma alma viva. Este Deus soprou em Adão, que começou a ganhar vida e sua fêmea foi anexado ao seu lado. Deus separou a mulher do lado de Adão. O lado feminino foi Lilith, quando então ela voou para as Cidades do Mar e ataques a humanidade . No entanto, outra versão afirma que Lilith surgiu como uma entidade divina que nasceu de forma espontânea, ou fora da Grande Celestial Abyss ou fora do poder de um aspecto de Deus (o Geburah de Din ). Este aspecto de Deus, um de seus atributos (dez Sefirot), em sua manifestação mais baixa tem uma afinidade com o reino do mal e ele está fora deste que Lilith se fundiu com Samael . [60] De acordo com o Alfabeto de Ben-Sira Lilith foi a primeira mulher de Adão.

Uma história alternativa liga Lilith com a criação de luminárias. A “primeira luz”, que é a luz da Misericórdia (uma das Sefirot ), apareceu no primeiro dia da criação, quando Deus disse “Haja luz”. Essa luz tornou-se oculta ea Santidade ficou cercada por uma casca do mal. “A casca (klippa) foi criado em torno do cérebro “, e isso se espalhou casca e trouxe outra casca, que era Lilith. [61]

Midrash ABKIR [ editar ]

A primeira fonte medieval para representar Adão e Lilith na íntegra foi o Midrash ABKIR (ca. século 10), que foi seguido pelos escritos do Zohar e cabalísticos. Adam é dito ser perfeito até que ele reconhece tanto o seu pecado ou fratricídio de Caim que é a causa de trazer a morte no mundo. Em seguida, ele se separa do santo Eva, dorme em paz, e jejua por 130 anos. Durante esse tempo, Lilith, também conhecida como Pizna, desejava sua beleza e veio a ele contra sua vontade.

Tratado sobre a emanação Esquerda [ editar ]

Ver artigo principal: Tratado sobre a emanação Esquerda

A escrita mística de dois irmãos Jacob e Isaac Hacohen, que antecede o Zohar por algumas décadas, afirma que Samael e Lilith são na forma de um andrógino ser, de dupla face, nascida da emanação do Trono de Glória e correspondente no reino espiritual de Adão e Eva, que foram também nasceu como um hermafrodita . Os dois casais andróginos gêmeas se assemelhava a um ao outro e ambos “eram como a imagem de Above”, isto é, que são reproduzidas em uma forma visível de uma divindade andrógina.

19. Em resposta à sua pergunta sobre Lilith, vou explicar-lhe a essência da questão. Relativamente a este ponto, há uma tradição recebida dos antigos sábios que fizeram uso do Conhecimento Secreto dos Palácios do Menor, que é a manipulação de demônios e uma escada pela qual se sobe para os níveis proféticos. Nesta tradição, é claro que Samael e Lilith nasceram como um, semelhante à forma de Adão e Eva, que também nasceu como um, refletindo o que está acima. Esta é a conta de Lilith, que foi recebido pelos sábios no conhecimento secreto dos Palácios. [62]

Outra versão esclarecimentos necessários ], que também era corrente entre círculos cabalísticos nos Idade Média estabelece Lilith como a primeira das quatro esposas de Samael: Lilith, Naamah , Igrath e Mahalath . Cada um deles são mães de demônios e têm seus próprios exércitos e espíritos imundos, em nenhum número. [63] O casamento de arcanjoSamael e Lilith foi organizado por “Blind Dragon”, que é a contrapartida do “dragão que está no mar “. Dragão Cego atua como um intermediário entre Lilith e Samael:

Dragão Cego passeios Lilith o pecador – que ela possa ser extirpado rapidamente nos nossos dias, amém! – E este Dragão Cego traz a união entre Samael e Lilith. E assim como o dragão que está no mar (Is. 27:1) não tem olhos, da mesma forma Dragão Cego que está em cima, à semelhança de uma forma espiritual, é, sem olhos, ou seja, sem cores … . (Patai81: 458) Samael é chamada a Serpente Slant, e Lilith é chamada a Serpente Tortuoso. [64]

O casamento de Samael e Lilith é conhecida como o “Anjo Satanás” ou o “Outro Deus”, mas não foi autorizado a durar. Para evitar que Lilith e crianças demoníacas de SamaelLilin de encher o mundo, Deus castrado Samael. Nos livros cabalísticos muitos do século 17, este mitologema é baseado na identificação de ” Leviatã a Serpente Slant e leviatã a serpente tortuosa “e uma releitura de um antigo mito talmúdica onde Deus castrado o Leviatã macho e matou o Leviatã feminino, a fim de impedi-los de acasalamento e, assim, destruir a terra. [65] Depois de Samael tornou-se castrado e Lilith era incapaz de fornicar com ele, ela deixou a par com os homens que sofrem de emissões noturnas. Um texto Kabbalah século 15 ou 16 afirma que Deus tem “resfriado” o Leviatã fêmea, o que significa que ele fez Lilith infértil e ela é uma mera prostituição.

Tratado sobre a emanação Esquerda diz que existem duas Lilith, o menor ser casada com o grande demônio Asmodeus . [66] [67]

Outra passagem cobra Lilith como sendo uma serpente tentadora de Eva . [68]

Zohar [ editar ]

As referências a Lilith no Zohar incluem o seguinte:

Ela perambula à noite, vexatório os filhos dos homens e fazendo com que se contamine (19b)

Essa passagem pode estar relacionada com a menção de Lilith no Talmud Shabbath 151b (veja acima), e também para 18b Talmud Eruvin onde emissões noturnas estão conectados com a procriação dos demônios.

Raphael Patai afirma que fontes mais antigas afirmam claramente que depois da estada de Mar Vermelho de Lilith (também mencionado no Louis Ginzberg ‘s Legends dos judeus), ela voltou para Adão e crianças gerou dele. No Zohar, no entanto, Lilith é dito ter conseguido prole procriação de Adão durante a sua experiência sexual de curta duração. Lilith deixa Adão no Éden, como ela não é uma companheira adequada para ele. Ela volta, mais tarde, para forçar-se sobre ele. No entanto, antes de fazer isso, ela atribui-se a Caim e dá-lhe numerosos espíritos e demônios. [ 69 ]

De acordo com Gershom Scholem , o autor do Zohar, o rabino Moisés de Leon , estava ciente da tradição popular de Lilith. Ele também estava ciente de uma outra história, possivelmente mais velhos, que podem ser conflitantes. [ 70 ] De acordo com o Zohar, dois espíritos femininos, Lilith e Naamah – encontrou Adão, desejava sua beleza, que era como a do disco solar, e se deitou com ele. A emissão dessas uniões eram demônios e espíritos chamados de “as pragas da humanidade”. [ 69 ] A explicação adicional é que era através do próprio pecado de Adão que Lilith venceram contra a sua vontade.

Amuletos mágicos hebraico do século 17 [ editar ]

Uma cópia de Jean de Pauly tradução ‘s do Zohar na Biblioteca Ritman contém um século 17 atrasado inserido folha impressa hebraico para uso em amuletos mágicos, onde o profeta Elias confronta Lilith. [ 71 ] Neste encontro, ela tinha vindo para a festa em a carne da mãe, com uma série de demônios, e levar o recém-nascido dela. Ela finalmente revela seus nomes secretos para Elias na conclusão. Estes nomes são ditas para provocar Lilith a perder o seu poder: Lilith, abitu, abizu, hakash, afirma hikpodu, ayalu, matrota … [ 72 ]Em outros, provavelmente informado por O Alfabeto de Ben-Sira , ela é a primeira mulher de Adão. ( Yalqut Reubeni , Zohar 1:34 b, 03:19 [ 73 ] )

Árvore da Vida (Cabala) [ editar ]

Lilith é listado como um dos Qliphoth , correspondente à Sephirah Malkuth na cabalística Árvore da Vida . O demônio Lilith, a mulher má, é descrita como uma mulher bonita, que se transforma em um demônio azul borboleta-like, e está associada com o poder de sedução. carece de fontes? ]

O Qliphah é o poder desequilibrada de uma Sephirah. Malkuth é o menor Sephirah, o reino da terra, na qual flui toda a energia divina, e em que o plano divino é trabalhada. No entanto, sua forma desequilibrada é como Lilith, a sedutora. O mundo material, e todos os seus prazeres, é a sedutora final, e pode levar a desequilíbrio materialismo pela espiritualidade das esferas mais elevadas. E isso leva a uma descida na consciência animal. O equilíbrio deve ser encontrado entre Malkuth e Kether , para encontrar ordem e harmonia. carece de fontes? ]

Mitologia greco-romana [ editar ]

Ver artigo principal: Lamia (mitologia)

No latim da Vulgata Livro de Isaías 34:14, Lilith é traduzido Lamia .

De acordo com Siegmund Hurwitz a talmúdica Lilith está relacionado com o grego Lamia , que, de acordo com Hurwitz, igualmente regido uma classe de crianças roubar Lamia-demônios. Lamia deu o título de “assassino de crianças” e era temido por sua maldade, como Lilith. Ela tem origens diferentes e conflitantes é descrito como tendo um corpo humano superior da cintura para cima e um corpo sinuoso da cintura para baixo. [ 74 ] Uma fonte afirma simplesmente que ela é uma filha da deusa Hecate . Outra, que Lamia foi posteriormente amaldiçoado pela deusa Hera ter filhos natimortos por causa de sua associação com Zeus, alternativamente, Hera matou todos os filhos de Lamia (exceto Cila) na raiva que Lamia dormia com o marido, Zeus. A dor causada Lamia para se transformar em um monstro que se vingaram mães roubando seus filhos e devorá-los. [ 75 ] Lamia tinha um apetite sexual vicioso que combinava com seu apetite canibal para crianças. Ela era conhecida por ser um espírito vampírico e amado sugando o sangue dos homens. [ 76 ]Seu dom era a “marca de uma Sibila”, um dom da segunda visão. Zeus foi dito a ela ter dado o dom da visão. No entanto, ela foi “amaldiçoado” para nunca ser capaz de fechar os olhos para que ela sempre obcecado com seus filhos mortos. Com pena Lamia, Zeus deu-lhe a capacidade de remover e substituir os olhos das órbitas. [ 75 ]

O Empusae eram uma classe de demônios sobrenaturais que Lamia foi dito ter nascido. Hecate, muitas vezes enviá-los contra os viajantes. Eles consumidos ou morrendo de medo de qualquer do povo, onde eles habitavam. Eles carregam muitas semelhanças com lilim. Tem sido sugerido que, mais tarde lore medieval do súcubos ou lilim é derivado deste mito. carece de fontes? ]

Mitologia árabe [ editar ]

Lilith ( árabe : ليليث ) não é encontrada no Alcorão ou Haddith . O oculto escritor sufi Ahmad al-Buni (d.1225), em seu Shams al-Ma’arif al-Kubra ( Sol do Grande Conhecimento , em árabe: الشمس للمعرفة كبيرة) menciona um demônio chamado a mãe dos filhos de um termo também usado ” em um só lugar ” [ 77 ] , no século 13-judaica Zohar e é, portanto, provavelmente derivada da mitologia judaica.

Na literatura ocidental [ editar ]

Na literatura alemã [ editar ]

Primeira aparição de Lilith na literatura do período romântico (1789-1832) estava no Goethe ‘s 1808 trabalhos Faust: A primeira parte da tragédia . [ 78 ]

Em Inglês literatura [ editar ]

 

 

Lilith (1892) por John Collier emSouthport Atkinson Art Gallery

A Irmandade Pré-Rafaelita , que se desenvolveu em torno de 1848, [ 79 ] foram grandemente influenciados pela obra de Goethe sobre o tema de Lilith. Em 1863, Dante Gabriel Rossetti da Irmandade começou a pintar o que viria a ser a sua primeira versão de Lady Lilith , uma pintura que ele espera que seja o seu “melhor filme até agora” [ 79 ] Os símbolos que aparecem na pintura fazem alusão à reputação de “femme fatale” da Lilith Romântico: papoulas (morte e frio) e branco rosas (paixão estéril). Acompanhando sua Lady Lilithpintura de 1866, Rossetti escreveu um soneto intitulado Lilith , que foi publicado pela primeira vez em panfleto é uma avaliação de Swinburne (1868), Notas sobre a Exposição Royal Academy . [ 80 ] O poema ea imagem apareceu junto ao lado de pintura de RossettiSibylla Palmifera eo soneto a beleza da alma . Em 1881, a Lilith soneto foi rebatizada de ” Beleza do Corpo “, a fim de contrastá-la e a beleza da alma . Os dois foram colocados sequencialmente em A Casa da Vida coleção (sonetos número 77 e 78). [ 79 ]

Rossetti escreveu em 1870:

Lady [Lilith] … representa uma Lilith Modern pentear os cabelos de ouro abundante e olhando para si mesma no espelho com que a auto-absorção por cuja estranho fascínio dessas naturezas atrair os outros dentro de seu próprio círculo.

-Rossetti, WM ii.850, a ênfase de DG Rossetti [ 79 ]

Isto está de acordo com a tradição popular judaica, que associa Lilith tanto com cabelos longos (um símbolo do perigoso poder de sedução feminina em judaico de cultura), e com a posse de mulheres, inserindo-os através de espelhos. [ 81 ]

O vitoriano poeta Robert Browning re-imaginado Lilith em seu poema “Adão, Lilith e Eva”. Publicado pela primeira vez em 1883, o poema usa os mitos tradicionais que rodeiam a tríade de Adão, Eva e Lilith. Browning retrata Lilith e Eva como sendo amigável e cúmplice com o outro, como eles se sentam juntos em um ou outro lado de Adão. Sob a ameaça de morte, Eva admite que ela nunca amou Adão, Lilith, enquanto confessa que sempre o amou: [ 82 ] . Browning focada nos atributos emocionais de Lilith, ao invés do que a de seus antecessores demônios antigos [ 83 ]

Autor escocês George MacDonald também escreveu um romance de fantasia intitulada Lilith , publicado pela primeira vez em 1895.MacDonald empregou o caráter de Lilith a serviço de um drama espiritual sobre pecado e redenção, em que Lilith encontra uma salvação duramente conquistada. Muitas das características tradicionais da mitologia Lilith estão presentes em representação do autor: O cabelo longo escuro, pele pálida, um ódio e medo de crianças e bebês, e uma obsessão com olhando para si mesma no espelho. Lilith de MacDonald também tem qualidades vampíricos: ela morde as pessoas e suga seu sangue para seu sustento.

Poeta e estudioso australiano Christopher John Brennan (1870-1932), incluiu uma seção intitulada “Lilith” em sua obra principal “Poemas: 1.913” (Sydney: GB Philip e Filho, 1914).A seção “Lilith” contém treze poemas que exploram o mito de Lilith e é central para o significado da coleção como um todo.

CL Moore ‘s 1940 história fruto do conhecimento é escrito a partir do ponto de vista de Lilith. É uma re-narração da Queda do Homem como um triângulo amoroso entre Lilith, Adão e Eva – com a véspera de comer o fruto proibido estar nesta versão o resultado de manipulações equivocadas por parte da Lilith ciumento, que tinha a esperança de obter o seu rival desacreditado e destruído por Deus e, assim, recuperar o amor de Adão.

Lilith é também mencionado em O Leão, a Feiticeira eo Guarda-Roupa , por CSLewis . O personagem Mr. Beaver atribui ascendência Jadis “para Adão e Lilith. Jadis é o principal antagonista conhecida como a Feiticeira Branca .

Em armênio Literatura [ editar ]

A Lilith poema pelo renomado escritor do século 20 armênio Avetic Isahakyan é baseada na lenda judaica. Isahakyan escreveu Lilith em 1921, em Veneza. Sua heroína era uma criatura que surgiu a partir de fogo. Adam se apaixonou por Lilith, mas Lilith era muito indiferente, simpatia sendo seu único sentimento para o último porque Adão era uma criatura feita de terra, não dispara.

No ocultismo moderno [ editar ]

A representação de Lilith no Romantismo continua a ser popular entre os wiccanos e em outro moderno ocultismo . [ 79 ] Poucos mágicos ordens dedicadas à corrente de Lilith, apresentando iniciações especificamente relacionadas com os arcanos da “primeira mãe” existe. Duas organizações que usam iniciações e magia associados com Lilith são aOrdo Antichristianus Illuminati ea Ordem do fósforo . Lilith aparece como um súcubo em de Aleister Crowley De Arte Magica. Lilith também foi um dos nomes do meio do primeiro filho de Crowley, Nuit Ma Ahathoor Hecate Sappho Jezebel Lilith Crowley (nascido em 1904, d.1906), e Lilith é às vezes identificado com Babalon em Thelêmicas escritos. Muitos escritores ocultistas adiantados que contribuíram para a moderna Wicca expressa reverência especial para Lilith. Charles Leland associado Aradia com Lilith: Aradia , diz Leland, éHerodias , que era considerado na Stregheria folclore como sendo associado com Diana como chefe das bruxas. Leland observa ainda que Herodias é um nome que vem do oeste da Ásia, onde se denota uma forma primitiva de Lilith. [ 84 ] [ 85 ]

Gerald Gardner afirmou que não havia adoração histórico contínuo de Lilith para dias atuais, e que seu nome é dado às vezes a deusa sendo personificada no coven, pela sacerdotisa. Essa idéia foi ainda atestada por Doreen Valiente , que citou como uma deusa que preside o Ofício:. “a personificação de sonhos eróticos, o desejo reprimido de delícias” [ 86 ] Em alguns conceitos contemporâneos, Lilith é visto como a personificação de o Deusa , uma designação que é pensado para ser compartilhada com o que essas religiões acreditam ser seus colegas: Inana , Ishtar , Asherah , Anate e Isis . [ 87 ] De acordo com um ponto de vista, Lilith era originalmente um sumérios, babilônios, ou deusa mãe hebraico do parto, crianças, mulheres e sexualidade [ 88 ] [ 89 ] , que mais tarde tornou-se demonizada devido à ascensão do patriarcado. [ 90 ] Outras visões modernas sustentam que Lilith é uma deusa da lua escura a par com o hindu Kali . [ 91 ]

Modern Cabala, e ocidental mistério tradição [ editar ]

O mistério tradição ocidental associa Lilith com a Qliphoth da Cabala. Samael Aun Weor em A Pistis Sophia Unveiled escreve que os homossexuais são os “capangas” de Lilith.Da mesma forma, as mulheres que se submetem a aborto intencional, e aqueles que apóiam essa prática são “vistos na esfera de Lilith”. [ 92 ] Dion Fortune escreve: “A Virgem Maria se reflete em Lilith”, [ 93 ] e que Lilith é a fonte de “sonhos lascivos”. [ 93 ]

A cultura popular [ editar ]

Ver artigo principal: Lilith na cultura popular

Veja também: Lilith (disambiguation)

Veja também [ editar ]

  • Lilu , demônios acadiano
  • Lilin , termo hebraico de demônios em Targum Sheni Esther 1:03 e Apocalipse de Baruch
  • Lilith (Lurianic Kabbalah)
  • Lilith Fair
  • Abyzou
  • Daemon (mitologia clássica)
  • Norea
  • Semente da serpente
  • Espírito cônjuge

Notas [ editar ]

  1. ^ . Freedman, David Noel, ed, Anchor Bible Dictionary , (New York: Doubleday) 1997, 1992. “Muito pouca informação foi encontrada relativa ao acadiano e babilônico visão desses demônios. Duas fontes de informação previamente utilizados para definir Lilith são tanto suspeito. “
  2. ^ Kristen E. Kvam, Linda S. Schearing, Valarie H. Ziegler Eva e Adão: leituras judaicas, cristãs e muçulmanas em Gênesis e gênero Bloomington: Indiana University Press, 1999. p174 “Outros estudiosos, como Lowell K. Handy, concorda que Lilith é derivado de demônios mesopotâmicos, mas argumentar contra encontrar provas do hebraico Lilith em muitas das fontes epigráficas e de artefatos freqüentemente citados como tal (por exemplo, o fragmento sumério Gilgamesh, o encantamento suméria de Arshlan-Tash). “
  3. ^ Árvore das Almas: A Mitologia do judaísmo , por Howard Schwartz , página 218
  4. Eva e Adão: leituras judeus, cristãos e muçulmanos no Genesis e sexo por Kristen E. Kvam, Linda S. Schearing, Valarie H. Ziegler, pp 220-221, Indiana University Press, 1999
  5. ^ Erich Ebeling, Bruno Meissner, Dietz Otto Edzard Reallexikon der AssyriologieVolume 9 p47, 50
  6. ^ Michael C. Astour Hellenosemitica: um estudo étnica e cultural em termos de impacto semita oeste na micênica. Grécia 1965 Brill p138
  7. ^ Sayce (1887) página necessário ]
  8. ^ Fossey (1902) página necessário ]
  9. ^ Kramer, SN Gilgamesh ea Huluppu-Tree: Um Reconstructed suméria texto . Estudos Assyriological 10. Chicago. 1938

10. ^ George, A. O épico de Gilgamesh: o poema épico babilônico e outros textos em acadiano 2003 p100 Tablet XII. Apêndice A última Tablet na série de Gilgamesh “

11. ^ Kramer traduz o zu como ” coruja “, mas na maioria das vezes é traduzido como”águia “,” abutre “, ou” ave de rapina “.

12. Chicago Assírio Dicionário . Chicago: University of Chicago . 1956.

13. ^ Hurwitz (1980) p. 49

14. ^ artigo Manfred Hutter em Karel van der Toorn , Bob Becking, Pieter Willem van der Horst – 1999 p520-521, o artigo cita próprio 1988 o trabalho de Hutter Behexung, Entsuhnung und Heilung Eisenbrauns 1988. P224-228

15. ^ Müller-Kessler, C. (2002), “Um Charme contra Demônios do Tempo”, em C. Wunsch (ed.), Mineração Arquivos. Festschrift Christopher Walker, por ocasião do seu 60 º aniversário (Dresden), p. 185

16. ^ Roberta Sterman sábado tropos Sagradas: Tanakh, do Novo Testamento, e Alcorão como literatura e da cultura 2009

17. ^ Sexo e gênero no antigo Oriente Próximo: trabalhos da 47 Rencontre Assyriologique Internationale , Helsínquia, julho 2-6, 2001, Parte 2 P481

18. ^ Opitz, D. Ausgrabungen und Forschungsreisen Ur. AFO 8: 328

19. ^ Ribichini, S. Lilith nell-Albero Huluppu Pp. 25 em Atti del 1 ° Convegno Italiano sul Vicino Oriente Antico , Roma, 1976

20. ^ Frankfort, H. O Burney Relief AFO 12: 128, 1937

21. ^ Kraeling, EG Um único babilônico Relief BASOR 67: 168. 1937

22. ^ Gaster, TH 1942. Um texto mágico cananeu . Ou 11:

23. ^ Torczyner, H. 1947. “A Incantation hebreu contra Night-Demônios da bíblica Times”.JNES 6: 18-29.

24. ^ Lesses, Rebecca Exe (o) rcising Poder: Mulheres como Feiticeiras, exorcistas, e demonesses em babilônico judaica Sociedade da Antiguidade Tardia 2001 JAARJornal da Academia Americana de Religião Resumo pp 343-375

25. ^ Georges Contenau La Magie chez les Assyriens et les Babyloniens , Paris, 1947.

26. ^ Georges Contenau Vida Cotidiana na Babilônia e Assíria traduzido por KR Maxwell-Hyslop e AR Maxwell-Hyslop (New York: Imprensa de São Martinho , 1954)

27. ^ Fauth, Wolfgang (1982) Lilitu und die Eulen von Pylos . Em Tischler, Johann. (Ed.).Serta Indogermanica: Festschrift für Günter Neumann zum 60. Geburtstag . pp 60-61

28. ^ S. Lackenbacher, RA 65 (1971)

29. ^ Graham Cunningham Livra-me do mal: encantamentos da Mesopotâmia, 2500-1500 aC 1997 p104

30. ^ Jan De Waard Tradutores Manual de Isaías ; Delitzsch Isaías

31. ^ Veja Os animais mencionados na Bíblia Henry Chichester Hart 1888, e fontes mais modernas, também entradas Brown Motorista Briggs Hebrew Lexicon para tsiyyim … ‘iyyim … sayir … liylith … qippowz … Daya

32. ^ O consoantes p / k / t também pode ser pronunciado: ph / kh / th.

33. ^ (מנוח manowach , usado para aves como de Noé pomba, Gen.8: 9 e também os seres humanos, como Israel, Deut.28: 65; Naomi, Ruth 3:1).

34. ^ Blair J. “De-demonizar o Antigo Testamento” p.27

35. ^ Christopher RA Morray-Jones A ilusão transparente: a visão perigosa de água em Hekhalot P258 vol.59 2002 “As primeiras evidências da crença em uma pluralidade de Lilith é fornecido pelo rolo de Isaías de Qumran , que dá o nome como liliyyot e pelo Targum de Isaías, que, em ambos os casos, lê “(Targum diz:” quando Lilith a Rainha do [Sabá] e de Margod caiu sobre eles. “)

36. ^ Jahrbuch für protestantische Theologie 1 , 1875. p128

37. ^ Levy, [Moritz] A. [braham] (1817-1872)]. Zeitschrift der deutschen morgenländischen Gesellschaft . ZDMG 9. 1885. pp 470, 484.

38. ^ Judit M. Blair De-Demonising o Antigo Testamento – Uma Investigação de Azazel, Lilit (Lilith), Deber (Dever), Qeteb (Qetev) e Reshep (Resheph) na Bíblia hebraica.Forschungen zum Alten Testament 2 Reihe, Mohr Siebeck 2009 ISBN 3-16-150131-4

39. ^ 34:14 καὶ συναντήσουσιν δαιμόνια ὀνοκενταύροις καὶ βοήσουσιν ἕτερος πρὸς τὸν ἕτερον ἐκεῖ ἀναπαύσονται νοκένταυροι εὗρον γὰρ αὑτοῖς ἀνάπαυσιν

40. “O Propheta Antigo Testamento (Vulgata) / Isaias” . Wikisource (Latin) . Retirado 2007/09/24 .

41. “Parallel Vulgata Latina e da Bíblia Douay-Rheims Bíblia e da Bíblia King James; Os provérbios completos de Jesus Cristo” . LatinVulgate.com . Retirado 2007/09/24 .

42. ^ Michael T. Davis, Brent A. Strawn estudos de Qumran: novas abordagens, novas perguntas 2007 p47 “… dois manuscritos que datam do período de Herodes, com 4Q510 um pouco mais cedo”

43. ^ Bruce Chilton, Darrell Bock, Daniel M. Gurtner um comparativo Manual para o Evangelho de Marcos p84

44. ^ Revue de Qumran 1991 p133

45. ^ Baumgarten, JM ‘On the Nature of the Sedutora em 4Q184 “, Revue de Qumran 15 (1991-2), 133-143;’ A sedutora de Qumran”, Bíblia avaliação 17 n º 5 (2001), 21-23; 42 ;

46. ^ Collins, sabedoria judaica na época helenística

47. ^ Tractate Niddah na Mishná é o único tratado da Ordem dos Ṭohorot que tem Talmud nele. O Talmud de Jerusalém está incompleta aqui, mas o Talmude Babilônico em Tractate Niddah (2a-76b) está completa.

48. ^ Janet Howe Gaines Biblical Archaeology Review Lilith: Sedutora, Heroína ou Murderer “Uma tigela agora em exposição no Museu Semita da Universidade de Harvard diz:” Tu Lilith … Hag e Snatcher, Eu te conjuro pelo forte Um dos Abraham, pelo .. ”

49. ^ Descenders para o carro: as pessoas por trás do Hekhalot literatura .. Página 277 James R. Davila – 2001 “… que eles sejam utilizados por qualquer um e todos Toda a comunidade pode se tornar iguais aos sábios Talvez por isso, quase todos os casa escavada no assentamento judaico em Nippur tinham um ou mais tigela encantamento enterrado nele. “

50. ^ Texto completo em P156 aramaico Incantation Textos de Nippur James Alan Montgomery – 2011

51. ^ A atribuição ao sábio Ben Sira é considerado falso, com o verdadeiro autor desconhecido.

52. ^ Alfabeto de Ben Sira, Pergunta n º 5 (23a-b)

53. ^ Humm, Alan. Lilith no Alfabeto de Ben Sira

54. ^

Depois que Deus criou Adão, que estava sozinho, Ele disse: ‘Não é bom que o homem esteja só. ” Ele, então, criou uma mulher para Adão, da terra, como Ele havia criado o próprio Adão, e chamou-a de Lilith.Adão e Lilith imediatamente começou a lutar. Ela disse, ‘Eu não vou mentir abaixo’, e ele disse, ‘Eu não vou mentir abaixo de você, mas apenas na parte superior. Para você está apto apenas para estar na posição inferior, enquanto eu sou para ser o superior. ‘ Lilith respondeu: “Nós somos iguais uns aos outros na medida em que ambos foram criados a partir da terra. ‘ Mas eles não quiseram ouvir um ao outro.Quando Lilith viu isso, ela pronunciou o Nome Inefável e voou para o ar.

Adão permanecia em oração diante do seu Criador: “Soberano do universo!” ele disse, ‘a mulher que você me deu fugiu. Ao mesmo tempo, o Santo, bendito seja Ele, enviou estas três anjos Senoy ,Sansenoy e Semangelof , para trazê-la de volta. Disse o Santo a Adão: ‘Se ela concorda em voltar, o que é feito é bom. Se não, ela deve permitir que uma centena de seus filhos a morrer todos os dias. ” Os anjos deixaram Deus e perseguido Lilith, a quem ultrapassou no meio do mar, nas águas impetuosas em que os egípcios estavam destinados a se afogar. Eles disseram a palavra de seu Deus, mas ela não quis voltar. Os anjos disseram: ‘Vamos te afogar no mar. ” ‘Deixe-me!’ , ela disse. “Eu fui criado só para causar a doença aos bebês. Se a criança é do sexo masculino, eu tenho domínio sobre ele por oito dias depois de seu nascimento, e se do sexo feminino, durante vinte dias.

Quando os anjos ouviram as palavras de Lilith, que insistiu para que ela volte. Mas ela jurou a eles pelo nome do Deus vivo e eterno: “Sempre que eu vejo você ou seus nomes ou seus formulários em um amuleto, vou ter nenhum poder sobre aquela criança.” Ela também concordou em ter uma centena de suas crianças morrem todos os dias. Assim, a cada dia cem demônios perecem, e pela mesma razão, nós escrevemos os nomes dos anjos sobre os amuletos de crianças pequenas. Quando Lilith vê seus nomes, ela se lembra de seu juramento, ea criança se recupera.

55. ^ Segal, Eliezer. À procura de Lilith

56. ^ p.7 Schwartz

57. ^ Schwartz p 8

58. ^ Ir até:a b c Schwartz p.8

59. ^ Patai pp. 229-230

60. ^ p.230 Patai

61. ^ Patai p231

62. ^ p.231 Patai

63. ^ Patai P244

64. ^ Humm, Alan. Lilith, Samael, & Dragon Cegos

65. ^ Pataip246

66. ^

Em resposta à sua pergunta sobre Lilith, vou explicar-lhe a essência da questão. Relativamente a este ponto, há uma tradição recebida dos antigos sábios que fizeram uso do Conhecimento Secreto dos Palácios do Menor, que é a manipulação de demônios e uma escada pela qual se sobe para os níveis proféticos. Nesta tradição, é claro que Samael e Lilith nasceram como um, semelhante à forma de Adão e Eva, que também nasceu como um, refletindo o que está acima. Esta é a conta de Lilith, que foi recebido pelos sábios no conhecimento secreto dos Palácios. A matrona Lilith é o companheiro de Samael. Ambos nasceram na mesma hora na imagem de Adão e Eva, entrelaçados um no outro. Asmodeus o grande rei dos demônios tem como companheiro o Menor (mais jovem) Lilith, filha do rei, cujo nome é Qafsefoni. O nome do seu companheiro é Meetabel filha de Matrede, e sua filha é Lilith.

67. ^ R. Isaac b. . Jacob Ha-Kohen Lilith no misticismo judaico: Tratado sobre a emanação Esquerda

68. ^

E a serpente, a mulher de prostituição, incitado e seduziu Eva com a casca de sementes de Luz que em si é a santidade. E a serpente seduziu Eva Santo, e disse o suficiente para ele que entende. E tudo isso ruína surgiu porque Adão o primeiro homem juntamente com Eva, enquanto ela estava na sua impureza menstrual – esta é a sujeira ea semente impura da Serpente que montou Eva antes que Adão montado ela. Eis, aqui está diante de vós por causa dos pecados de Adão o primeiro homem todas as coisas mencionadas surgiu. Para mal Lilith, quando viu a grandeza de sua corrupção, tornou-se forte em suas cascas, e veio a Adão contra a sua vontade, e se tornou quente dele e lhe deu muitos demônios e espíritos e Lilin. (Patai81: 455f)

69. ^ Ir até:um b . Patai P232 “ou de acordo com o Zohar, dois espíritos femininos, Lilith e Naamah – Encontrei-o, desejava sua beleza, que era como a do disco solar, e se deitou com ele A emissão dessas uniões eram demônios e espíritos ”

70. ^ A mística judaica, p. 174

71. ^ “folha impressa, final do século 17 ou início do século 18, 185×130 mm. Esta folha foi inserido em uma das cópias da biblioteca de tradução de Jean de Pauly do Zohar. A folha contém dois textos dentro das fronteiras, que são amuletos, um para um . masculino (‘lazakhar’), o outro para uma mulher (‘lanekevah’) As invocações mencionar Adão, Eva e Lilith, ‘Chavah Rishoná’ (a primeira Eva, que é idêntica à Lilith), também demônios ou anjos: Sanoy , Sansinoy, Smangeluf, Shmari’el (The Guardian) e Hasdi’el (o misericordioso). Algumas linhas em iídiche são seguidos pelo diálogo entre o profeta Elias e Lilith quando ele a conheceu com sua série de demônios para matar a mãe . e ter seu filho recém-nascido (para beber seu sangue, chupar-lhe os ossos e comer sua carne ‘) Ela diz a Elias que ela vai perder o seu poder, se alguém usa seus nomes secretos, que ela revela no final:’ Lilith, abitu, abizu, hakash, afirma hikpodu, ayalu, matrota … ‘”.

72. “Lilith Amulet-JR Ritman Library” .

73. ^ . Humm, Alan Kabbalah: Lilith origens

74. ^ Hurwitz p. 43

75. ^ Ir até:um b Hurwitz p.43

76. ^ p.78 Hurwitz

77. ^ “um eine Stelle” Hurwitz S. Die erste Eva: Eine historische und Psychologische Studie2004 Page 160 “: Die Karina Auch in der Arabischen Literatur chapéu der gefunden Lilith-Mythos seinen Niederschlag 8) Lilith in der Arabischen Literatur”.

78. ^

Faust :

Quem é esse aí?

Mefistófeles :

Dê uma boa olhada.

Lilith .

Faust:

Lilith? Quem é esse?

Mefistófeles:

A esposa de Adam, seu primeiro. Cuidado com ela.

Sua beleza de uma glória é seu cabelo perigoso.

Quando Lilith ventos lo apertado em torno de homens jovens

Ela não logo abandoná-las novamente.

1992 tradução Greenberg, linhas 4206-4211 )

Depois de Mefistófeles oferece este aviso para Faust, ele então, muito ironicamente, incentiva Faust para dançar com “A Bruxa Bonita”. Lilith e Faust se envolver em um curto espaço de diálogo, onde Lilith narra os dias passados ​​no Éden.

Faust: [dançando com a jovem bruxa]

Um sonho lindo que eu sonhei um dia

Eu vi uma árvore de maçã verde com folhas,

Duas maçãs balançavam em cima de um tronco,

Então tentador! Subi para eles.

A Bruxa Bonita:

Desde os dias do Éden

Maçãs têm sido o desejo do homem.

Como eu sou muito feliz para pensar, senhor,

Maçãs crescer, também, em meu jardim.

1992 tradução Greenberg, linhas 4216-4223 )

79. ^ Ir até:a b c d e “Amy Scerba O Feminismo e da Mulher Estudos site: Mudando Representações Literárias de Lilith ea Evolução de uma heroína mítica” .

80. ^

É a primeira mulher de Adão, Lilith, ela é contada
(A bruxa que ele amava antes de o dom da Eva,)
Isso, antes da cobra, sua língua doce poderia enganar,
E seu cabelo encantado foi o primeiro ouro.
Ainda assim ela se senta, o jovem enquanto a terra é velho,
E, sutilmente de si mesma contemplativa,
atrai os homens para assistir a web brilhante ela pode tecer,
até que o coração eo corpo ea vida estão no seu domínio.
A rosa e papoula são sua flor, por onde
é que ele não foi encontrado, ó Lilith, a quem derramou perfume
e beijos suaves-galpão e sono macio será cilada?
Lo! Enquanto os olhos dos jovens que queimaram a tua, por isso fui
teu feitiço por ele, e deixou seu pescoço dobrado em linha reta
e em volta de seu coração se estrangulando cabelo dourado.
(Collected Works, 216)

81.